Ponto contra ponto: o debate sobre a nacionalização musical no Brasil e o Café

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/2525530405032020313

Resumo

O presente artigo procura analisar as perspectivas envolvidas nos embates entre erudito e vanguarda, de um lado, e popular e folclore, de outro, em torno da politização da arte e da nacionalização musical no Brasil da primeira metade do XX, especialmente a partir de H. J. Koellreutter. Para tanto, confrontamos as perspectivas de autores como T. W. Adorno e Antonio Gramsci, H. J. Koellreutter e Mário de Andrade, recorrendo aos acervos documentais destes para compreender como a musicalização de Café, de Mário de Andrade, por H. J Koellreutter, se inscreve no debate sobre o nacionalismo musical brasileiro.

Biografia do Autor

Tiago Hermano Breunig, Universidade Federal de Pernambuco

Doutor em Literatura pela Universidade Federal de Santa Catarina. Professor do Departamento de Letras da Universidade Federal de Pernambuco.

Referências

ADORNO, Theodor W. Filosofia da nova música. São Paulo: Perspectiva, 1989.

______. Introdução à Sociologia da Música: doze preleções teóricas. São Paulo: Editora Unesp, 2011.

ADRIANO, Carlos; VOROBOW, Bernardo. A revolução de Koellreutter. Folha Mais! São Paulo, 7 de novembro de 1999.

ANDRADE, Mário de. O baile das quatro artes. São Paulo: Martins, 1963.

______. Poesias completas. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2013a (vol. 1).

______. Poesias completas. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2013b (vol. 2).

ANTELO, Raúl. Na ilha de Marapatá: Mário de Andrade lê os hispano-americanos. São Paulo: Hucitec; Brasília: INL, Fundação Nacional Pró-Memória, 1986, p. 100.

FERNANDES, Florestan. Mário de Andrade e o folclore brasileiro. Revista do Instituto de Estudos Brasileiros. São Paulo, n. 36, p. 141-158, 1994.

GRAMSCI, Antonio. Cuadernos de la cárcel: literatura e vida nacional. 3. ed. México, D.F.: Juan Pablos Ed., 1998.

GUARNIERI, Rossine Camargo. Koellreutter, charlatão e plagiário. Fundamentos, São Paulo, n. 28, p. 26-28, jun., 1952.

GUERRA PEIXE. Música e dodecafonismo. Fundamentos, São Paulo, n. 29, p. 3, 1952.

GUERRA PEIXE. Que ismo é esse, Koellreutter? Fundamentos, São Paulo, n. 31, p. 33-35, 1953.

KATER, Carlos Elias. Música Viva e H.J. Koellreutter: movimentos em direção à modernidade. São Paulo: Musa Editora: Atravez, 2001.

KOELLREUTTER, H. J. A caminho da superação dos opostos. Música hoje: revista de pesquisa musical, v. 2, CPMC, UFMG, Belo Horizonte, 1995.

KOELLREUTTER, H. J. Artistas modernos. Leitura, Rio de Janeiro, n. 19, p. 57, jun. 1944a.

KOELLREUTTER, H. J. Contestando afirmações infundadas. Leitura, Rio de Janeiro, n. 39, p. 53-54, abr., 1946a.

KOELLREUTTER, H. J. Estética. São Paulo: Novas Metas, 1983.

KOELLREUTTER, H. J. Música sacra e música nova. Leitura, Rio de Janeiro, n. 14, p. 47, fev. 1944b.

KOELLREUTTER, H. J. O “Lied” Brasileiro. Leitura, Rio de Janeiro, n. 39, p. 38, abr., 1946b.

KOELLREUTTER, H. J. Panamericanismo musical. Leitura, Rio de Janeiro, n. 14, p. 47, fev. 1944c.

KOELLREUTTER, H. J. Reparos e reflexões. Leitura, Rio de Janeiro, n. 40, p. 59-61, maio-jun., 1946c.

KOELLREUTTER, H. J. Sobre “O Banquete” de Mário de Andrade. Leitura, Rio de Janeiro, n. 27, p. 53-54, mar., 1945.

LACLAU, Ernesto; MOUFFE, Chantal. Hegemonía y estrategia socialista: hacia uma radicalización de la democracia. Madrid: Siglo XXI, 1987.

LACLAU, Ernesto. La razón populista. Buenos Aires: Fondo de Cultura Económica, 2011.

MARTINO, Ernesto de. El folclore progresivo y otros ensayos. Trad. Carles Feixa. Barcelona: MACBA, 2008.

ORTIZ, Renato. Cultura brasileira e identidade nacional. 2. ed. São Paulo: Brasiliense, 1986.

PIMENTA, Emanuel Dimas de Melo. Hans Joaquim Koellreutter: as revoluções musicais de um mestre zen. 2010.

SANTORO, Claudio. Problema da Música Contemporânea Brasileira em face das Resoluções e Apelo do Congresso de Compositores de Praga. Fundamentos, São Paulo, n. 3, p. 233-240, jun. 1948.

SILVA, Flávio (org). Camargo Guarnieri: o tempo e a música. São Paulo: Funarte/Imprensa Oficial, 2001.

VALLS, Alvaro L.M. Estudos de estética e filosofia: numa perspectiva adorniana. Porto Alegre: UFRGS, 2002.

Downloads

Publicado

2020-12-16

Como Citar

Breunig, T. H. (2020). Ponto contra ponto: o debate sobre a nacionalização musical no Brasil e o Café. Orfeu, 5(3). https://doi.org/10.5965/2525530405032020313