Ressonâncias históricas das religiões afro-brasileiras em santa catarina: Florianópolis, Itajaí e Joinville

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/2525530405032020503

Palavras-chave:

religiões afro-brasileiras, Candomblé, Umbanda, Hibridismo doutrinal

Resumo

Trata-se de um estudo sobre o processo histórico das religiões afro-brasileiras em Santa Catarina, em especial a umbanda e o candomblé na região entre Florianópolis e Joinville. Visando compreender por que estas religiões estão intimamente relacionadas, foi realizada uma investigação histórica amparada pelas lentes da etnomusicologia (BLACKING, 2000), antropologia (LAPLANTINE, 2012) e dos estudos culturais (GARCÍA CANCLINI, 2015). Diante da escassez de pesquisas sobre esta temática na região, foi adotada como estratégia o conceito das ressonâncias históricas. Foram utilizadas bibliografias locais da área da história, antropologia, etnomusicologia, ciências humanas e de afrorreligiosidades. Conta-se também com relatos orais e intensa experiência de campo. Por conta de fatores  geográficos, políticos e econômicos, detectamos que a história do candomblé em Santa Catarina passa pela umbanda, kardecismo, benzedeiras, curandeiros e pela figura do caboclo indígena, com vínculos no Rio de Janeiro e na Bahia. Diante das metamorfoses culturais, as religiões afro-brasileiras catarinenses são caracterizadas pela liberdade religiosa e pelo hibridismo doutrinal.

Biografia do Autor

Luciano da Silva Candemil, UFPR - Universidade Federal do Paraná

Natural de Florianópolis, atua como músico, percussionista, compositor, professor, pesquisador e produtor musical. Atualmente é doutorando em etnomusicologia na UFPR e bolsista CAPES. Mestre em música/etnomusicologia pela UDESC. Tem as seguintes titulações cursadas na UNIVALI: Especialização em Educação Musical, Licenciatura em Música e, Bacharelado em Música (percussão popular) com Mérito Estudantil. Na UFSC foi graduado no curso de Engenharia Civil.

Referências

ALVES, Jucélia Maria. Cacumbi: um aspecto da cultura negra em Santa Catarina. Florianópolis: UFSC, Secretaria da Cultura e do Esporte de Santa Catarina, 1990.

AMORIM, Tade-Ane. Benze, é bem dizer. As benzedeiras de Florianópolis: inventariando saberes. Florianópolis: Projeto via Edital Elisabeth Anderle, 2018.

BLACKING, John. How musical is man? 5. ed. Seattle; London: University of Washington, 1995 [6. ed.: 2000].

BLACKING, John. Que tán musical es el hombre? Desacatos, n. 12, p. 149-162, 2003. Trad. Briggite Sanabria. Texto original: BLACKING, John. How musical is man? 5. ed. Seattle; London: University of Washington, 1995.

BASTIDE, Roger. As religiões africanas no Brasil. São Paulo: Pioneira, 1971.

BRAGA, Reginaldo Gil. Tamboreiros de Nação: música e modernidade religiosa no extremo sul do Brasil. Porto Alegre: Ed. UFRGS, 2013.

BRAGA, Reginaldo Gil. Batuque Jêje-Ijexá em Porto Alegre: a música no culto aos orixás. Dissertação (Mestrado em Música) – UFBA, Salvador, 1997.

BRAGA, Reginaldo Gil. Música e Modernidade religiosa entre tamboreiros de Nação: em torno de uma tradição musical moderna. Em Pauta, v. 14, n. 23, p. 121-141, 2003.

CACCIATORE, Olga Gudolle. Dicionário de cultos afro-brasileiros. 2. ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1977.

CANDEMIL, Luciano; PAIVA, Rodrigo Gudin. Percussão Catarina. Balneário Camboriú: Ed. do Autor, 2016.

CASTILLO, Lisa Earl. Entre a oralidade e a escrita: a etnografia nos Candomblés da Bahia. Salvador: UFBA, 2010.

COSTA, Moacir da; SILVA, José Bento Rosa da. Negros em Itajahy: da invisibilidade à visibilidade. Mais de 150 anos de história. Itajaí: Casa Aberta, 2010.

COSTA, Moacir da. Negras tradições: a Festa do Rosário e suas reinvenções. In: COSTA, Moacir da; SILVA, José Bento Rosa da. Negros em Itajahy: da invisibilidade à visibilidade. Mais de 150 anos de história. Itajaí: Casa Aberta, 2010. p. 13-44.

DA SILVA SELAU, Mauricio. História oral: uma metodologia para o trabalho com fontes orais. Esboços: histórias em contextos globais, v. 11, n. 11, p. 217-228, 2004.

D’ÁVILA, Edison. Pequena história de Itajaí. 2. ed. rev. ampl. Florianópolis: IHGSC, 2018.

D’ÁVILA, Edison. Pequena história de Itajaí. Itajaí: Prefeitura Municipal de Itajaí, 1982.

GARCÍA CANCLINI, Néstor. Culturas híbridas: estratégias para entrar e sair da modernidade. Trad. Heloísa Pezza Cintrão e Ana Regina Lessa. São Paulo: Ed. USP, 2015.

GILROY, Paul. O Atlântico negro: modernidade e dupla consciência. Trad. Cid Knipel Moreira. 2. ed. São Paulo: Editora 34; Rio de Janeiro: Universidade Candido Mendes, Centro de Estudos Afro-Asiáticos, 2012.

HALL, Stuart. Da diáspora: identidades e mediações culturais. Belo Horizonte: Ed. UFMG; Brasília: Representação da Unesco no Brasil, 2003.

IBGE. Santa Catarina: Itajaí – Panorama. Brasília: IBGE, 2020. Disponível em: https://cidades.ibge. gov.br/brasil/sc/itajai/panorama. Acesso em: 11 mar. 2020.

ITAJAÍ. Itajaí, entre o rio e o mar. Itajaí: Prefeitura Municipal de Itajaí, 2020. Disponível em: https://itajai.sc.gov.br/c/a-cidade#.XmkXbqhKjIU. Acesso em: 11 mar. 2020.

LAPLANTINE, François. Aprender Antropologia. Trad. Marie-Agnès Chauvel. São Paulo: Brasiliense, 2012.

LEITE, Ilka Boaventura; OLIVEN, Ruben George. Negros no Sul do Brasil: invisibilidade e territorialidade. Florianópolis: Letras Contemporâneas, 1996.

LEITE, Ilka Boaventura. Descendentes de africanos em Santa Catarina: invisibilidade histórica e segregação. In: LEITE, Ilka Boaventura; OLIVEN, Ruben George. Negros no Sul do Brasil: invisibilidade e territorialidade. Florianópolis: Letras Contemporâneas, 1996. p. 33-53.

LEITE, Ilka Boaventura (coord.). Territórios do Axé: religiões de matriz africana em Florianópolis e municípios vizinhos. Florianópolis: Nuer; Ed. UFSC, 2017.

LÉVI-STRAUSS, Claude. Antropologia estrutural: Claude Lévi-Strauss. Trad. Beatriz Perrone-Moisés. São Paulo: Ubu, 2017.

LIMA, Vivaldo da Costa. O Conceito de “Nação” nos candomblés da Bahia. Revista Afro-Ásia, Salvador, Centro de Estudos Afro-Orientais (CEAO), n. 12, p. 65-90, 1976.

LODY, Raul. Samba de caboclo. Rio de Janeiro: Campanha de Defesa do Folclore Brasileiro, 1977.

MACHADO, Gerson. Os atabaques da Manchester: subjetividades, trajetórias e identidades religiosas afro-brasileiras em Joinville/SC (Décadas de 1980-2000). Tese (Doutorado em História) – Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2012.

MAGNANI, José Guilherme C. Doença mental e cura na Umbanda. Revista PPG Ciências Sociais, São Carlos: UFSC, n. 40/41, jan./jul. 2002.

MAPASBLOG. Mapa dos municípios de Santa Catarina. Disponível em: http://mapasblog. blogspot.com.br/2011/10/mapas-de-santa-catarina.html. Acesso em: 2 abr. 2017.

MERRIAM, Alan P. The anthropology of music. Evanston: Northwestern University Press, 1964.

OLIVEN, Ruben George. A invisibilidade social e simbólica do negro no Rio Grande do Sul. In: LEITE, Ilka Boaventura; OLIVEN, Ruben George. Negros no Sul do Brasil: invisibilidade e territorialidade. Florianópolis: Letras Contemporâneas, 1996. p. 13-32.

ORO, Ari Pedro. Os negros e os cultos afro-brasileiros no Rio Grande do Sul. In: LEITE, Ilka Boaventura; OLIVEN, Ruben George. Negros no Sul do Brasil: invisibilidade e territorialidade. Florianópolis: Letras Contemporâneas, 1996. p. 147-157.

ORO, Ari Pedro. Religiões afro-brasileiras do Rio Grande do Sul: Passado e Presente. Estudos Afro-Asiáticos, ano 24, n. 2, p. 345-384, 2002.

ORO, Ari Pedro. Notas sobre a diversidade e a liberdade religiosa no Brasil atual. Revista Eclesiástica Brasileira, v. 64, n. 254, p. 317-336, 2004.

ORO, Ari Pedro. Modernas Formas de Crer. Revista Eclesiástica Brasileira, Petrópolis, Vozes, n. 225, p. 39-56, mar. 1997.

ORTIZ, R. A morte branca do feiticeiro negro: umbanda e sociedade brasileira. 2. ed. São Paulo: Brasiliense, 1999.

PAI Fabriciano. Diarinho, Itajaí, 16 e 17 fev. 2008. Caderno Entrevistão.

PEDRO, Joana Maria. Negro em terra de branco: escravidão e preconceito em Santa Catarina no século XIX. Porto Alegre: Mercado Aberto, 1988.

PRANDI, Reginaldo. As religiões afro-brasileiras em ascensão e declínio. In: TEIXEIRA, Faustino; MENEZES, Renata (org.). Religiões em movimento: o censo de 2010. Petrópolis: Vozes, 2013. p. 203-218.

PRANDI, Reginaldo. Os mortos e os vivos: uma introdução ao espiritismo. São Paulo: Três Estrelas, 2012.

RASCKE, Karla Leandro. Festas, procissões e celebração da morte na Irmandade de Nossa Senhora do Rosário e São Benedito dos Homens Pretos m Desterro/SC (1860-1890). Itajaí: Casa Aberta, 2010.

RASCKE, Karla Leandro. Irmandades Negras: memórias da diáspora no sul do Brasil. Curitiba: Appris, 2016.

RODRIGUES, Daniel Vasconcelos. Memória de santo: 15 anos de trajetória do terreiro de umbanda “junco verde” em Itajaí-SC. REDIVI: Revista de divulgação interdisciplinar virtual do núcleo das licenciaturas, v. 4, n. 1, 2016.

SEEGER, Anthony. Etnografia da música. Trad. Giovanni Cirino. Cadernos de campo, São Paulo, n. 17, p. 237-260, 2008.

SILVA, Beatriz Pereira. Trajetória de luz e encanto: discursos e narrativas sobre Mãe Malvina (1970-2016, Florianópolis/SC). Dissertação (Mestrado em História) – Udesc, Florianópolis, 2016.

SILVA, Jaime José dos Santos. A dança do cacumbi: novo olhar sobre as festas afrobrasileiras e as vivências do pós-emancipação em Santa Catarina. In: ENCONTRO ESCRAVIDÃO E LIBERDADE NO BRASIL MERIDIONAL, 6., 2013, Florianópolis. Anais […]. Florianópolis: UFSC, 2013.

SILVA, J. B. R. da; COSTA, M. da. Negros em Itajahy: da invisibilidade à visibilidade: mais de 150 anos de história. Itajaí: Casa Aberta, 2010. p. 89-107.

SILVA, José Bento Rosa da. Africanos na Foz do Itajaí/SC: nos séculos XIX e XX. In: COSTA, Moacir da; SILVA, José Bento Rosa da. Negros em Itajahy: da invisibilidade à visibilidade. Mais de 150 anos de história. Itajaí: Casa Aberta, 2010, p. 125-142.

SILVA, José Bento Rosa da. Congada de São Sebastião: uma manifestação da Cultura Luso-afro-brasileira na Armação do Itapocoroy/SC. In: COSTA, Moacir da; SILVA, José Bento Rosa da. Negros em Itajahy: da invisibilidade à visibilidade. Mais de 150 anos de história. Itajaí: Casa Aberta, 2010. p. 61-68.

SILVA, José Bento Rosa da. Memórias de um quilombo urbano: Itajaí/SC. In: COSTA, Moacir da; SILVA, José Bento Rosa da. Negros em Itajahy: da invisibilidade à visibilidade. Mais de 150 anos de história. Itajaí: Casa Aberta, 2010. p. 89-108.

TRAMONTE, Cristiana. Com a Bandeira de Oxalá! Trajetória, práticas e concepções das religiões afro-brasileiras na Grande Florianópolis. Itajaí: Univali, 2001.

Downloads

Publicado

2020-12-16

Como Citar

Candemil, L. da S. (2020). Ressonâncias históricas das religiões afro-brasileiras em santa catarina: Florianópolis, Itajaí e Joinville. Orfeu, 5(3). https://doi.org/10.5965/2525530405032020503