O Quarteto de Cordas no 8 (1944) de Villa-Lobos: neoclassicismo e invenção

Autores

  • Paulo de Tarso Salles ECA-USP

DOI:

https://doi.org/10.5965/2525530402012017068

Palavras-chave:

Quarteto de cordas, Neoclassicismo, Análise formal, Simetria, Villa-Lobos

Resumo

A estrutura formal dos quatro movimentos do Quarteto de Cordas nº 8 (1944) de Heitor Villa-Lobos revela sua preocupação com o reaproveitamento das formas clássicas (forma-sonata, andante, minueto/ scherzo e rondó-sonata) em função da linguagem harmônica pós-tonal desenvolvida pelo compositor ao longo dos anos 1920. Este estudo investiga a correlação entre harmonia e forma interpretando as analogias aparentemente feitas por Villa-Lobos para emular os pontos de articulação formal no classicismo. O emprego de estruturas peculiares de acordes, com recorrência de simetria intervalar ao invés da tonalidade tradicional, levou à aplicação de ferramentas derivadas da teoria dos conjuntos, mais adequada a esta abordagem.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALBUQUERQUE, Joel; SALLES, Paulo de Tarso. Teoria dos Conjuntos versus Teoria neorriemanniana: duas abordagens interdependentes na análise dos Choros nº4 e Choros nº7 de Villa-Lobos. In: Anais do VI Encontro de Musicologia de Ribeirão Preto. USP: Ribeirão Preto, 2014.

ANTOKOLETZ, Elliott. The Music of Béla Bartók: A Study of Tonality and Progression in Twentieth-Century Music. Berkeley; Los Angeles; London: University of California Press, 1984.

CAMARGO, Luciano F. Chostakóvitch - discurso e ação. Análise e interpretação da sinfonia nº10 Op. 93. 361 f. 2017. Tese (Doutorado) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 2017.

ESTRELLA, Arnaldo. Os quartetos de cordas de Villa-Lobos. Rio de Janeiro: MEC/Museu Villa-Lobos, 1970.

FORTE, Allen. The Structure of Atonal Music. New Haven and London: Yale University Press, 1973.

HEPOKOSKI, James; DARCY, Warren. Elements of Sonata Theory: Norms, Types, and Deformations in the Late-Eighteenth-Century Sonata. New York: Oxford University Press, 2006.

MENEZES BASTOS, Rafael J. de; PIEDADE, Acácio T. de C. Sopros da Amazônia: sobre as músicas das sociedades tupi-guarani. Mana, v. 5, n. 2, p. 125-143, 1999.

MOREIRA, Gabriel. O Elemento Indígena na Obra de Villa-Lobos: observações músico analíticas e considerações históricas. Dissertação (Mestrado em Música) – UDESC, Florianópolis, 2010.

OLIVEIRA, Jamary. Black Key Versus White Key: a Villa-Lobos Device. Latin American Music Review / Revista de Musica Latinoamericana, v. 5, n. 1, p. 33-47, Spring-Summer, 1984.

OLIVEIRA, João Pedro. Teoria analítica da música do século XX. Lisboa: Calouste Gulbekian, 1998.

RAHN, John. Basic Atonal Theory. New York: Schirmer Books, 1980.

ROSEN, Charles. The Classical Style: Haydn, Mozart, and Beethoven. London and New York: Norton, 1998.

SALLES, Paulo de Tarso. Haydn, segundo Villa-Lobos: uma Análise do Primeiro Movimento do Quarteto de Cordas no. 7 de Villa-Lobos. Per Musi, Revista Acadêmica de Música, Belo Horizonte, UFMG, n. 25, p. 27-38, jan./jun. 2012a.

______. “Quarteto de Cordas no. 2 de Villa-Lobos: Diálogo com a Forma Cíclica de Franck, Debussy e Ravel”. Música Hodie, v.12 n. 1. Goiânia: UFG, pp. 25-43, 2012b.

______. Villa-Lobos: Desafiando a Teoria e a Análise. Anais do IV Encontro de Musicologia de Ribeirão Preto: Intersecções da Teoria e Análise. Ribeirão Preto, SP (Brasil): FFCLRP/USP, p. 81-95, 2012c.

______. National identity, modernity and other intertextual relations in the Ninth String Quartet of Villa-Lobos. In: PAWLOWSKA, Malgorzata; MALECKA, Teresa. Music: Function and Value: Proceedings of the 11th International Congress on Musical Signification, 27 IX - 2 X 2010, Kraków, Poland, v. 1, p. 684-697, 2013.

______. Regiões Euler: um estudo sobre distância tonal e integração entre os ciclos octatônicos e hexatônicos. Musica Theorica, revista da TeMA – Associação Brasileira de Teoria e Análise Musical, v. 1, n. 1. Disponível em: <http://tema.mus.br/revistas/index.php/musica-theorica/issue/view/2/showToc, 2016>.

______. Villa-Lobos e sua brasilidade: uma abordagem a partir da teoria das marcações (markedness) de Hatten. Revista Portuguesa de Musicologia, Dossiê temático: Teoria Tópica e Retóricas de Identidade na América Latina, v. 4 n. 1, 2017a.

______. Inventando uma tradição: os quartetos de Villa-Lobos. Libreto do Box com os CDs “Villa-Lobos – Quartetos de Cordas – Quarteto Bessler-Reis e Quarteto Amazônia”, São Paulo: Selo Sesc, CDSS 0091/17, 92p, 2017b.

SALLES, Paulo de Tarso. Ritual dance, by Villa-Lobos: a music topic in the tropics. In: SALLES, P. T. et al. Anais do III Simpósio Villa-Lobos: novos desafios interpretativos. São Paulo: ECA/USP, 2017c, p. 66-82. Disponível em: <http://9qtrmpbsu2v.webhostusp.sti.usp.br/anais-do-iiisvl/>.

SALLES, Paulo de Tarso; DUDEQUE, Norton (Eds.). Villa-Lobos, um compêndio: novos desafios interpretativos. Curitiba: Editora UFPR, 2017.

SALLES, Paulo de Tarso; OLIVEIRA, Ísis B. (Eds.). Anais do Segundo Simpósio Villa-Lobos. São Paulo: Universidade de São Paulo, Departamento de Música, ECA/USP, 2012. Disponível em: <http://www3.eca.usp.br/sites/default/files/form/ata/pos/ppgmus/Anais_do_Simposio_Villa-Lobos_rev_2014-libre.pdf>.

______. Os quartetos de Villa-Lobos: o discurso da Besta. São Paulo: Edusp, no prelo.

SALLES, Pedro Paulo. Nozani-Ná e as flautas secretas dos homens-da-água: cosmologia e tradução de um canto paresi. In: SALLES, Paulo de Tarso; DUDEQUE Norton. Villa-Lobos, um compêndio: novos desafios interpretativos. Curitiba: Editora UFPR, no prelo.

SANTOS, Daniel Zanella dos. Narratividade e tópicas em Uirapuru (1917) de Heitor Villa-Lobos. Dissertação (Mestrado em Música) – UDESC, Florianópolis, 2015.

SCHOENBERG, Arnold; STRANG, Gerald. Fundamentos da composição musical. São Paulo: Edusp, 1993 [1967].

STRAUS, Joseph. Introdução à teoria pós-tonal. São Paulo: Editora da Unesp; Salvador: EDUFBA, 2013.

TARASTI, Eero. Villa-Lobos’s String Quartets. In: JONES, Evan (Ed.). Intimate voices: The Twentieth-Century String Quartet: v. 1, Debussy to Villa-Lobos. Rochester: University of Rochester Press, 2009. p. 223-255.

TISCHLER, Hans. Current Chronicle, United States, Chicago. The Musical Quarterly, v.36, n. 1, p. 92-94, jan. 1950.

TOVEY, Donald F. The Forms of Music. [S.l.]: Meridian Books, 1959 [1944].

TYMOCZKO, Dmitri. Stravinsky and the Octatonic: A Reconsideration. Music Theory Spectrum, v. 24, n. 1, p. 68-102, Spring 2002.

VISCONTI, Ciro; SALLES, Paulo de Tarso. “Simetrias e Palíndromos no Estudo no. 1 para violão de Villa-Lobos”. Anais do XXIII Congresso Nacional da ANPPOM. Natal: UFRN, 2013a.

______. Estruturas Musicais Simétricas no Estudo nº 11 para violão de Villa-Lobos. Anais da II Jornada Discente PPGMUS. São Paulo: Universidade de São Paulo, Programa de Pós-Graduação em Música, 2013b. Disponível em: <http://www3.eca.usp.br/sites/default/files/form/ata/pos/Ciro%20Paulo%20Visconti%20Canellas.pdf >.

VOLPE, Maria A. Indianismo and Landscape in the Brazilian Age of Progress: Art Music from Carlos Gomes to Villa-Lobos, 1870s-1930s. Dissertation (PhD) – The University of Texas at Austin, 2001.

WAIZBORT, Leopoldo. Os índios de Villa-Lobos. In: SALLES, Paulo de Tarso; OLIVEIRA, Ísis B. (Eds.). Anais do Segundo Simpósio Villa-Lobos. São Paulo: Universidade de São Paulo, Departamento de Música, ECA/USP, p. 9-17, 2012.

YELLIN, Victor F. The Omnibus Idea. Warren, Michigan: Harmonie Park Press, 1998.

Downloads

Publicado

2017-12-19

Como Citar

SALLES, Paulo de Tarso. O Quarteto de Cordas no 8 (1944) de Villa-Lobos: neoclassicismo e invenção. Orfeu, Florianópolis, v. 2, n. 1, p. 68–97, 2017. DOI: 10.5965/2525530402012017068. Disponível em: https://revistas.udesc.br/index.php/orfeu/article/view/1059652525530402012017068. Acesso em: 4 dez. 2023.