Pedalando com conforto: um olhar feminino em perspectiva sobre a usabilidade de selins

Autores

  • Wanderlayne Fernandes do Amaral UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO
  • Walter Franklin Marques Correia UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO

DOI:

https://doi.org/10.5965/2316796311212022128

Palavras-chave:

usabilidade de produtos, artefato seguro, selins para mulheres

Resumo

Com o crescente uso de bicicletas nas cidades, o mercado vem ampliando os produtos e serviços para melhor atender suas usuárias. Porém, alguns detalhes ainda não recebem a devida atenção e podem vir a ser um problema futuro. Um deles é o selim que objetiva apoiar o peso da ciclista sobre os ísquios dando suporte ao corpo para acomodar-se na bicicleta e por estar em contato direto com a região pélvica pode causar vários problemas, principalmente na saúde vaginal. Por esta razão, realizou-se uma avaliação da usabilidade dos selins sob a percepção das usuárias a fim de identificar lacunas a serem preenchidas

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Wanderlayne Fernandes do Amaral, UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO

Mestranda no Programa de Pós-Graduação em Design na Universidade Federal de Pernambuco. Graduanda em Design na UFPE. Bacharela em Economia Doméstica pela Universidade Federal Rural de Pernambuco (2018). Tem experiência na área de Ciências Sociais Aplicadas, atuando principalmente com a temática do vestuário associado ao conforto e a proteção. Desenvolve estudos e acessórios upcycling de moda.

Walter Franklin Marques Correia, UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO

Doutor em Engenharia de Produção pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) com período Sanduíche na Universidade Técnica de Lisboa (UTL), em Portugal (2007), Mestre em Engenharia de Produção pela UFPE (2002), Especialista (Lato Sensu) em Ergonomia pela UFPE (2001), e Bacharel em Desenho Industrial com Habilitação em Projeto do Produto pela UFPE (1999). Diretor do CAC - Centro de Artes e Comunicação da UFPE (2012-2016 / 2016-2020), Coordenador do PPGErgo - Programa de Pós-Graduação em Ergonomia | Mestrado Profissional em Ergonomia (2019 - 2021), Professor Associado II do Departamento de Design da UFPE | Campus Recife e permanente / orientador no PPGDesign | Programa de Pós-graduação em Design - Mestrado e Doutorado na UFPE. Coordenador do LaCAI - Laboratório de Concepção e Análise de Artefatos Inteligentes desde 2009, com portaria de funcionamento pela UFPE.

Referências

ABERGO – Associação Brasileira de Ergonomia. O que é Ergonomia. Disponível em: http://www.abergo.org.br/internas.php?pg=o_que_e_ergonomia. Acesso em: 12 jan. 2021.

ABNT – Associação Brasileira de Normas Técnicas. NBR ISO 9241-11: requisitos ergonômicos para o trabalho com dispositivos de interação visual parte 11: orientações sobre usabilidade. Rio de Janeiro, 2011.

ASPLUND, Chad et al. Genitourinary Problems in Bicyclists. Current Sports Medicine Reports, [S.L.], v. 6, n. 5, p. 333-339, out. 2007. Ovid Technologies (Wolters Kluwer Health). http://dx.doi.org/10.1097/01.csmr.0000306497.53648.d5.

Brasil. Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior. Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia - Inmetro. Portaria n.º 656, de 17 de dezembro de 2012. Brasília, 2012.

BITTENCOURT, Gabriela. Bike fit: o que é, onde fazer e benefícios da técnica que deixa a bicicleta sob medida para você. 2019. Globo Esporte. Disponível em: https://globoesporte.globo.com/eu-atleta/noticia/bike-fit-o-que-e-onde-fazer-e-beneficios-da-tecnica-que-deixa-a-bicicleta-sob-medida-para-voce.ghtml. Acesso em: 03 out. 2020.

CAVALCANTI, Vinicius et al. Caracterização do posicionamento de ciclistas recreacionais de bicicletas aerodinâmicas: Dados preliminares do Projeto Bike Fit. Revista Portuguesa de Ciências do Desporto - RPCD (S1.A), p. 461-470. Porto, 2014. Disponível em: https://rpcd.fade.up.pt/_arquivo/artigos_soltos/2014-3_1/RPCD_2014-3_1-0460.pdf. Acesso em: 24 fev. 2021.

DIBAN, David Omar Núñez et al. Contribuição da Ergonomia no Processo de Desenvolvimento de Produto: O Caso do Selim de Bicicletas. Human Factors In Design, Santa Catarina, v. 3, n. 2, p. 91-107, 2013. Disponível em: https://www.revistas.udesc.br/index.php/hfd/article/view/5674. Acesso em: 21 jan. 2021.

Escola de Bicicleta. A história da bicicleta no mundo. 2020. Disponível em: https://revistabicicleta.com/historias-da-bicicleta/a-historia-da-bicicleta-no-mundo-2/. Acesso em: 12 jan. 2021.

FALCÃO, Christianne Soares; SOARES, Marcelo Marcio. Usabilidade de Produtos de Consumo: uma análise dos conceitos, métodos e aplicações. Revista Estudos em Design (online). v. 21, n. 2, p. 01-26, Rio de Janeiro, 2013.

FIGUEIREDO, Gustavo. ENTENDENDO - SELINS DE BICICLETA. 2017. Pedal. Disponível em: https://www.pedal.com.br/entendendo-selins-de-bicicleta_texto11564.html. Acesso em: 12 jan. 2021.

FRANCO, Claudia. A saúde pélvica da ciclista e o selim. 2019. Revista Bicicleta. Disponível em: https://revistabicicleta.com/saude/selim-e-mulher/. Acesso em: 3 out. 2020.

FROBÖSE, Ingo; BAEYENS. Ergonomics of 2 Bicycle Saddles: pressure at the pudendal area in women of a normal saddle with gel and of a saddle with a hole. SQLAB Ergonomie, Germany, p. 01-15, mar. 2003.

GUESS, Marsha K. et al. Women's Bike Seats: a pressing matter for competitive female cyclists. The Journal Of Sexual Medicine, [S.L.], v. 8, n. 11, p. 3144-3153, nov. 2011. Elsevier BV. http://dx.doi.org/10.1111/j.1743-6109.2011.02437.x.

International Standards Organizations. ISO 9241-11: Ergonomics of human-system interaction — Part 11: Usability: Definitions and concepts.

JORDAN, Patrick W. An introduction to usability. London: Taylor & Francis, 1998.

LARSEN, Anna Sofie; et al. The effect of saddle nose width and cutout on saddle pressure distribution and perceived discomfort in women during ergometer cycling. Applied Ergonomics, v. 70, p. 175-181, jul. 2018. http://dx.doi.org/10.1016/j.apergo.2018.03.002.

MELO, Victor Andrade de; SCHETINO, André. A bicicleta, o ciclismo e as mulheres na transição dos séculos XIX e XX. Revista Estudos Feministas, Florianópolis, v. 17, n. 1, p. 111-134, abr. 2009. http://dx.doi.org/10.1590/s0104-026x2009000100007.

NIELSEN, Jakob. Usability engineering. San Francisco: Morgan Kaufman, 1993.

PINTO, Rochelly Sirremes et al. A Ergonomia no Processo de Desenvolvimento de Produtos: Estudo e Avaliação no Projeto de um Porta Esmalte. In: XXXIV ENCONTRO NACIONAL DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO, Curitiba: ENEGEP, 2014. p. 11. Disponível em: http://www.abepro.org.br/biblioteca/enegep2014_TN_STO_199_129_23464.pdf. Acesso em: 12 jan. 2021.

SCHETINO, André Maia. Ciclismo e Modernidade: apontamentos sobre a invenção da bicicleta e os primórdios do ciclismo no Rio de Janeiro. In: XXIV SIMPÓSIO NACIONAL DE HISTÓRIA, São Leopoldo: Associação Nacional de História - ANPUH, 2007. p. 01-08.

SILVA, Ana Bastos; SILVA, João Pedro. A Bicicleta como Modo de Transporte Sustentável. 2016. Research Gate. Disponível em: https://www.researchgate.net/publication/228593836_A_bicicleta_como_modo_de_transporte_sustentavel. Acesso em: 19 jan. 2021.

SOARES, Marcelo Márcio; MARTINS, Laura Bezerra. Design universal e ergonomia: uma parceria que garante a acessibilidade para todos. In: Adiel Teixeira de Almeida; Fernando M. Campello de Souza. (Org.). Produção e competitividade: aplicações e inovações. 1ed. Recife, PE: Editora Universitária da UFPE, 2000, v. 1, p. 127-156.

Downloads

Publicado

2022-06-20

Como Citar

AMARAL, W. F. do; CORREIA, W. F. M. Pedalando com conforto: um olhar feminino em perspectiva sobre a usabilidade de selins. Human Factors in Design, Florianópolis, v. 11, n. 21, p. 128-147, 2022. DOI: 10.5965/2316796311212022128. Disponível em: https://revistas.udesc.br/index.php/hfd/article/view/20759. Acesso em: 29 nov. 2022.