O Fortalecimento da Cidadania como Estratégia de Design para Prevenção de Crimes

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/18083129152021e0011

Palavras-chave:

Arte - Proteção, Desenho (Projetos), Parques urbanos, Prevenção de crimes, Meio ambiente (Arte)

Resumo

Além da ação policial, outros fatores contribuem para a prevenção do crime, dentre eles, o design. A abordagem Crime Prevention Through Environmental Design (CPTED) utiliza o design para modificar a percepção do transgressor quanto à oportunidade e o benefício do crime. O objetivo da pesquisa consistiu em identificar no Parque do Confisco (município de Belo Horizonte, estado de Minas Gerais, Brasil), sob a ótica do CPTED, fatores que favoreceriam a prática criminosa, bem como verificar a possibilidade de supressão desses fatores. Para tanto, elaborou-se pesquisa bibliográfica e observação espacial em campo. A análise dos dados teve como base as três estratégias do CPTED: controle natural de acesso, vigilância natural e reforço territorial, bem como considerou alguns aspectos da abordagem 3D (Designação, Definição e Design), típica do CPTED. Os resultados revelaram que a baixa visibilidade, a depredação e a manutenção precária são os principais aspectos que favorecem a prática criminosa no local. É possível implantar melhorias, porém, faz-se necessária a construção de projetos integrados que considerem tanto as dimensões físicas quanto as comportamentais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Mariana Rosa de Almeida, Universidade do Estado de Minas Gerais

Atualmente é graduanda em Design Gráfico na Escola de Design da Universidade do Estado de Minas Gerais (ED-UEMG). No primeiro semestre de 2019, cursou a disciplina optativa Design para Prevenção do Crime ofertada na ED-UEMG e posteriormente ingressou no Centro de Estudos em Design e Tecnologia (CEDTec), no qual desenvolve pesquisa na área de Design para Prevenção do Crime em caráter de iniciação científica.

Suéllen Mota Marques Costa, Universidade do Estado de Minas Gerais

Professora na Escola de Design da Universidade do Estado de Minas Gerais (ED-UEMG) e pesquisadora no Centro de Estudos em Design e Tecnologia (CEDTec). É mestre em Construção Civil pela Escola de Engenharia da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), com ênfase em materiais cimentícios (2017), especialista em Construção Civil pela Escola de Engenharia da UFMG (2014), arquiteta e urbanista pela Escola de Arquitetura da UFMG (2009) e técnica em edificações pelo Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais (2002). Desenvolve pesquisas em Design para Prevenção do Crime e Habitação.

Rita de Castro Engler, Universidade do Estado de Minas Gerais

Possui graduação em Engenharia Civil pela Universidade Federal de Minas Gerais (1985), mestrado em Engenharia de Produção pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (1988) e especialização(DEA) e doutorado em Engenharia de Produção e Gestão de Inovação Tecnologica - Ecole Centrale Paris (1993), pós-doutorado em Design na UEMG(1994), pós-doutorado em Design Social na Ryerson University(2014). Foi bolsista de mestrado Na PUC/RJ, chargé des cours na Ecole des Mines de Paris, Bolsista de doutorado e pesquisadora na Ecole Centrale Paris, Coordenadora de Projetos no Centro de Pesquisas e Desenvolvimento da UEMG, Professora e Coordenadora do Mestrado em Gestão de Tecnologia do CEFET/RJ, criou e coordenou o Centro de Lideranças da BSP- Business School São Paulo, diretora e sócia da Eventail_ Produções & Eventos, atualmente é Professora concursada em Inovação e Design do programa de doutorado e mestrado em Design da UEMG, pesquisadora com bolsa de produtividade do CNPq, Professora convidada da University of Tennessee, CBU - Christian Brothers University, Middle Tennessee State University, Ryerson University, CPUT- Cape Peninsula University of Technology e Stellenbosch University, responsável no Brasil pelo Consorcio de Engineering Management, e coordenadora do CEDTec - Centro de Estudos em Design e Tecnologia, laboratório membro da Rede DESIS(rede Mundial de Inovação Social) e do LENSin.

Referências

AMARO, M. A. Arquitetura contra o crime: prevenção do crime através da arquitetura ambiental. Rio de Janeiro: [s.n.], 2005.

AMORIM, L. M. R. Criminalidade em Belo Horizonte: uma análise sobre seus aspectos temporais e espaciais e discussão dos efeitos das bases móveis da Polícia Militar sobre sua dinâmica. 2018. Monografia (Graduação em Administração Pública) - Escola de Governo Professor Paulo Neves de Carvalho, Fundação João Pinheiro, Belo Horizonte, 2018. Disponível em: http://monografias.fjp.mg.gov.br/handle/123456789/2529. Acesso em: 6 jan. 2021.

BONDARUK, R. L. A prevenção do crime através do desenho urbano. Curitiba: Edição do autor, 2007.

CAMPOS-DE-CARVALHO, M. I.; CAVALCANTE, S.; NÓBREGA, L. M. A. Ambiente. In: CAVALCANTE, S.; ELALI, G. (org.) Temas Básicos em Psicologia Ambiental. Petrópolis: Vozes, 2011. p.28-41.

CLARKE, R. V. Situational Crime Prevention: successful case studies. 2. ed. New York: Harrow and Heston Publishers, 1997.

CLARKE, R. V. Regulation Crime: The Birth of the Ideia, Its Nurture and the Implications for Contemporary Criminology. The ANNALS of the American Academic of Political and Social Science, United Kingdom, v. 679, n. 1, p. 20-35, 2018. https://doi.org/10.1177/0002716218775031. Disponível em: https://journals.sagepub.com/doi/abs/10.1177/0002716218775031 . Acesso em: 26 jan.2020.

CROWE, T. D. Crime Prevention Through Environmental Design. Revisado por Lawrence J. Fennelly. 3. ed. Oxford: Butterworth-Heinemann, 2013.

FERREIRA, E. L. T.; DAMÁZIO, I. N.; AGUIAR, J. M. de. Fatores estimuladores da sensação de insegurança e valorização midiática. Revista Ordem Pública e Defesa Social, Florianópolis, v. 4, n. 1, p. 121-130, semestre I e II, 2011. Disponível em: https://rop.emnuvens.com.br/rop/article/view/41. Acesso em: 10 dez. 2020.

FUNDAÇÃO JOÃO PINHEIRO. Informativo FJP: indicadores sociais IMRS segurança pública. Belo Horizonte: Fundação João Pinheiro, n. 5, 2019. Disponível em: http://www.bibliotecadigital.mg.gov.br/consulta/consultaDetalheDocumento.php?iCodDocumento=57235. Acesso em: 6 jan. 2021.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2002.

JACOBS, J. Morte e vida de grandes cidades. 3. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2011.

KUHEN, K.; HIGUCHI, M.I.G. Percepção Ambiental. In: CAVALCANTE, S.; ELALI, G. (org.) Temas Básicos em Psicologia Ambiental. Petrópolis: Vozes, 2011. p.250-266.

LIMA NETO, J. S. de L.; VIEIRA, T. A. A estratégia de prevenção do crime através do desenho urbano. Revista Ordem Pública e Defesa Social, v.7, n. 1, p. 55-77, 2014. Disponível em: https://rop.emnuvens.com.br/rop/article/view/67. Acesso em: 6 de junho de 2019.

LYNCH, K. A imagem da cidade. São Paulo: Martins Fontes, 1999.

MCCLAIN, J. Distinguished Faculty Member Dr. Ronald Clarke Wins Prestigious Stockholm Prize in Criminology. Rutgers University- Newark, 5 nov. 2014. Disponível em: https://www.newark.rutgers.edu/news/distinguished-faculty-member-dr-ronald-clarke-wins-prestigious-stockholm-prize-criminology. Acesso em: 10 jan. 2021.

MINISTÉRIO DA ECONOMIA, PLANEJAMENTO, DESENVOLVIMENTO E GESTÃO. O que é orçamento participativo? , 2015. Disponível em: http://www.planejamento.gov.br/servicos/faq/orcamento-da-uniao/elaboracao-e-execucao-do-orcamento/o-que-e-orcamento-participativo . Acesso em: 14 mar. 2020.

NAPOLEÃO JÚNIOR, E. C.; SILVEIRA, M. A. A estratégia da prevenção do crime e da desordem através do desenho urbano: realidade do estádio de futebol Orlando Scarpelli. Revista Ordem Pública e Defesa Social, Florianópolis, v. 10, n. 1, p. 33-52, jan./jul., 2018. Disponível em: https://rop.emnuvens.com.br/rop/article/view/145. Acesso em: 10 dez. 2020.

NATIONAL INSTITUTE OF CRIME PREVENTION. CPTED Trainning. 2021. Disponível em: https://www.cptedtraining.net/.Acesso em: 4 jan. 2021.

PARQUE do Confisco - Rua G - Conjunto Confisco, Belo Horizonte – MG. In: GOOGLE Maps. Mountain View: Google, 2020. Disponível em: https://goo.gl/maps/DzHFsNxK8F7CmTHh8 . Acesso em: 5 de mar. 2020

PERRY, M. Foreword. In: CROWE, T.D. Crime Prevention Through Environmental Design. Revisado por Lawrence J. Fennelly. 3 ed. Oxford: Butterworth-Heinemann, 2013.

PREFEITURA MUNICIPAL DE BELO HORIZONTE. Parque do Confisco. 2019. Disponível em: https://prefeitura.pbh.gov.br/fundacao-de-parques-e-zoobotanica/informacoes/parques/parque-do-confisco . Acesso em: 14 mar. 2020.

REVISTA ORDEM PÚBLICA E DEFESA SOCIAL. Florianópolis: Associação dos oficiais militares de Santa Catarina. 2008-. ISSN: 223-6380 versão online. Disponível em: https://rop.emnuvens.com.br/rop. Acesso em: 10 dez. 2020.

TEIXEIRA, R. S. Análise da Apropriação pelos Usuários de Parques Urbanos: Estudo de Caso na Bacia da Pampulha – Belo Horizonte, MG. Dissertação (Mestrado em em Ciência Florestal ), Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, 2007. Disponível em: https://www.locus.ufv.br/handle/123456789/3185. Acesso em: 13 mar. 2020.

TILLEY, N.; FARRELL, G (org.). The Reasoning Criminologist: Essays in Honour of Ronald V. Clarke. New York: Routledge, 2012.

Publicado

2021-03-22

Como Citar

ALMEIDA, M. R. de; COSTA, S. M. M.; ENGLER, R. de C. O Fortalecimento da Cidadania como Estratégia de Design para Prevenção de Crimes. DAPesquisa, Florianópolis, v. 16, p. 01-21, 2021. DOI: 10.5965/18083129152021e0011. Disponível em: https://revistas.udesc.br/index.php/dapesquisa/article/view/18086. Acesso em: 20 abr. 2021.