São Luís, patrimônio cultural entre ruínas, grafites e pichações:

estética ou política?

Autores

  • Marcus Ramusyo de Almeida Brasil Professor do Mestrado Profissional em Artes - PROFARTES (UFMA). Professor do Mestrado Profissional em Educação Profissional e Tecnológica - PROFEPT (IFMA). https://orcid.org/0000-0003-2675-1825

DOI:

https://doi.org/10.5965/18083129152021e0006

Palavras-chave:

Arte e fotografia, Grafiteiros-São Luís (MA), Antropologia visual, Etnologia - Filosofia

Resumo

O presente trabalho se propõe a interrogar, a partir de uma produção fotográfica e uma posterior digressão reflexiva, as relações existentes entre as ruínas do Centro Histórico de São Luís e os registros que, através de grafites e pichações/pixações, os jovens da periferia têm efetuado nas paredes, portas e janelas das casas históricas da capital do Maranhão, no Brasil. A metodologia utilizada para a produção e inventário das imagens da pesquisa se calca entre uma antropologia visual e uma antropologia da imagem. Do ponto de vista do modo de operar o pensamento, utilizo algumas ideias do filósofo Walter Benjamin (2012, 2009, 2013) sobre fotografia, rememoração e alegoria. Por fim, teço alguns comentários sobre os significados e potências estéticas/políticas dos grafites e pichações/pixações no Centro Histórico de São Luís – MA e a correspondência estabelecida com as ruínas do casario ali presente. O texto não se pretende revisionista dos temas relacionados ao grafite e pichações/pixações ao patrimônio, mas um ensaio crítico no tocante a como as artes visuais operam no contexto da correspondência entre abandono e apropriação do espaço público.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marcus Ramusyo de Almeida Brasil, Professor do Mestrado Profissional em Artes - PROFARTES (UFMA). Professor do Mestrado Profissional em Educação Profissional e Tecnológica - PROFEPT (IFMA).

Professor de Comunicação / Fotografia e Multimídia do Instituto Federal do Maranhão. Dr. em Ciências Sociais (PUC-SP). Pós-Doutorado em Artes y Educación (Univ. de Granada). Pós-Doutorado em Tecnologias da Comunicação e Estética (ECO-UFRJ)

Referências

ANDRÉS, L. P. de C. C. São Luís: Reabilitação do Centro Histórico – Patrimônio da Humanidade. São Luís: IPHAN, 2012.

BENJAMIN, W. Passagens. Belo Horizonte: Editora UFMG; São Paulo: Imprensa Oficial, 2009.

BENJAMIN, W. Obras escolhidas: magia e técnica, arte e política. São Paulo: Brasiliense, 2012.

BENJAMIN, W. A origem do drama trágico alemão. Belo Horizonte: Autêntica, 2013.

SÁNCHEZ, J. F. “Jofras”. Trepes, bombas y piezas: transgresiones diferenciadas. In: VALENZUELA, J. M. (org.). Welcome amigos to Tijuana: graffiti en la frontera. Tijuana: El Colef, p. 25 – 31, 2012.

Publicado

2021-02-27

Como Citar

Brasil, M. R. de A. (2021). São Luís, patrimônio cultural entre ruínas, grafites e pichações:: estética ou política?. DAPesquisa, 16, 01-10. https://doi.org/10.5965/18083129152021e0006