Trilhas para o trabalho

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/2357724X112023e0116

Palavras-chave:

Produto Educacional, ABP, Produção Textual, Recursos Tecnológicos Digitais

Resumo

O objetivo deste trabalho é apresentar um produto educacional resultado da dissertação intitulada "Ensino e aprendizagem de produção textual, uma proposta baseada na problematização, nos recursos tecnológicos digitais e no mundo do trabalho" do Mestrado Profissional em Ensino e suas Tecnologias. O produto educacional é composto por uma sequência didática que aborda a temática do mundo do trabalho para o ensino de produção textual de Currículo e Portfólio Profissional. No intuito de levar o estudante à resolução de problemas e desenvolvimento de sua autonomia de variadas formas optou-se pela adoção da aprendizagem baseada em problemas com uso de recursos tecnológicos digitais. As principais ferramentas selecionadas para desenvolvimento das atividades e inclusão do aluno no mundo digital foram o Google Drive, a plataforma Edulivre e o Padlet. Este PE foi desenvolvido com alunos da 2ª série do Ensino Médio noturno de uma escola pública estadual de forma presencial e remota. Dos alunos participantes, apenas 11% cumpriu a proposta integralmente. A baixa adesão às aulas remotas aponta a necessidade de oferta de políticas públicas que efetivem a garantia constitucional do direito de acesso à Educação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Jaqueline Dias da Silva, Rede de Educação Básica do Rio de Janeiro

Mestre em Ensino e suas Tecnologias, professora da Educação Básica da SEEDUC RJ, Instituto Federal Fluminense, Campos dos Goytacazes/RJ/Brasil.

Valéria Souza Marcelino, Instituto Federal Fluminense

Doutora em Ciências Naturais (Ensino de Ciências), professora titular do Programa de Pós-Graduação do Mestrado Profissional em Ensino e suas Tecnologias (MPET), Instituto Federal Fluminense, Campos dos Goytacazes/RJ/Brasil.

Referências

ALMEIDA, M. E. B., VALENTE, J. A. Integração currículo e tecnologias e a produção de narrativas digitais. Currículo Sem Fronteiras, 12(3), 57-82,2012.

AZEVEDO, T. M. de; ROWELL, V. M. Problematização e ensino de língua materna. 2011.

BACICH, Lilian; MORAN, José. Metodologias ativas para uma educação inovadora: uma abordagem teórico-prática. Penso Editora, 2018.

BAKHITIN, M. Estética da Criação Verbal. São Paulo: Martins Fontes, 2003.

BARDIN, Laurence. Análise de Conteúdo. Lisboa: Edições 70, 1977.

BARELL, John F. Problem-based learning: An inquiry approach. Corwin Press, 2006.

BERBEL, N. A. N. As metodologias ativas e a promoção da autonomia de estudantes. Semina: Ciências Sociais e Humanas, v. 32, n. 1, p. 25-40, 2011.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil (1988). Brasília: Senado Federal, 1988.

BRASIL. Lei de Diretrizes e Bases Da Educação Nacional. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Brasília, DF: Senado Federal.

BRASIL. Lei nº 13.415, de 16 de fevereiro de 2017. Brasília, DF: Senado Federal, 2017a. Disponível em: Acesso em: 02 de jun. 2018.

BRASIL. Base Nacional Comum Curricular – Ensino Médio. Documento homologado pela Portaria n° 1.570, publicada no D.O.U. de 21/12/2017, Seção 1, Pág. 146. Brasília, 21 de dezembro de 2018.

DIESEL, A.; BALDEZ, A. L. S.; MARTINS, S. N. Os princípios das metodologias ativas de ensino: uma abordagem teórica. Revista Thema, v. 14, n.1, p. 268-288, 2017.

DEWEY, J. Democracia e educação: introdução à filosofia da educação. Trad. de Godofredo Rangel e Anísio Teixeira. 4. ed. São Paulo: Nacional, 1979.

DOLZ, J.; NOVERRAZ, M.; SCHNEUWLY, B. Sequências didáticas para o oral e a escrita: apresentação de um procedimento. In: SCHNEUWLY, B; DOLZ, J. Gêneros Orais e escritos na escola. Trad. e org. ROJO, R.; CORDEIRO, G. S. São Paulo: Mercado das Letras, 2004, p. 95-128.

GERHARDT, T. E.; SILVEIRA, D. T. Métodos de pesquisa. Plageder. Rio Grande do Sul: UFRGS, 2009.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2010.

KENSKY, V. M. Educação e tecnologias: o novo ritmo da informação. 7ª ed. Campinas: Papirus, 2007.

KENSKY, V. M. Tecnologias no ensino presencial e a distância. 9ª ed. Campinas: Papirus, 2012.

KOCH, I. Linguística Textual. São Paulo: Martins Fontes, 2003.

MARCUSCHI, L. A. In: KARWOSKI, A. M; GAYDECZKA,B; BRITO,K. S. Gêneros textuais: reflexões e ensino. Rio de Janeiro: Lucerna, 2006.

NÓVOA, A. (org.) Vidas de professores. Porto: Porto Editora, 1992.

VALENTE, J.A; FREIRE F.M.P; ARANTES, F.L. Tecnologia e Educação: passado, presente e o que está por vir. Campinas, SP: NIED/UNICAMP, 2018.

TAJRA, S. F. Informática na educação: o uso das tecnologias digitais na aplicação das metodologias ativas. 10ª ed. São Paulo: Érica, 2019.

TRIPP, D. Pesquisa-ação: uma introdução metodológica. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 31,n3,set./dez.2005.

Downloads

Publicado

2023-12-30

Como Citar

DIAS DA SILVA, Jaqueline; SOUZA MARCELINO, Valéria. Trilhas para o trabalho. Revista BOEM, Florianópolis, v. 11, p. e0116, 2023. DOI: 10.5965/2357724X112023e0116. Disponível em: https://revistas.udesc.br/index.php/boem/article/view/24857. Acesso em: 24 fev. 2024.

Edição

Seção

Discussões sobre produtos educacionais: ensino de ciências, matemática e tecnologias