Pedagogia visual para estudantes surdos: uma sequência didática na perspectiva da educação inclusiva para as aulas de biologia

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/2357724X112023e0120

Palavras-chave:

Vertebrados, Pedagogia visual, Surdos, Libras, Inclusão

Resumo

O presente artigo apresenta detalhes de um Produto Educacional (PE) resultado de uma pesquisa de Mestrado Profissional, do Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciências, Matemática e Tecnologias (PPGECMT) da Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc). Trata-se de uma sequência didática (SD) embasada nos pressupostos metodológicos da engenharia didática de Michèle Artigue (1988), com o objetivo de analisar os aspectos culturais do universo surdo que podem ser aplicados no ensino de biologia, por meio da implementação de uma sequência didática na classe comum do ensino regular. Para tal, foi aplicada numa turma da 2ª série do ensino médio de um Colégio Estadual do Paraná. Contou com 29 participantes, sendo 26 alunos ouvintes, um aluno surdo, uma intérprete de Libras, e a professora regente da turma — primeira autora deste texto. A sequência didática foi organizada em quatro atividades, o conteúdo de estudo foi abordado considerando aspectos culturais do universo surdo, como a pedagogia visual (CAMPELLO, 2008) e a Libras, de modo a contribuir para a inclusão escolar e social do estudante surdo. Além disso, valeu-se do apoio de um minidicionário com os principais conceitos de vertebrados em Libras, buscando facilitar o acesso do estudante surdo ao vocabulário científico. Os resultados demonstraram o letramento visual dos discentes, que a SD permitiu consolidar os conhecimentos relacionados ao conteúdo de vertebrados, colocando os estudantes como protagonistas em sala de aula, com práticas que enriquecem as aulas e favorecem a imersão dos estudantes no universo surdo com o estreitamento de laços.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Jéssica Guerreiro Valuthky, Rede Estadual de Educação do Paraná

Possui licenciatura em Ciências Biológicas pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR) e mestrado em Ensino de Ciências, Matemática e Tecnologias pela Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC). Atualmente é professora de Ciências e Biologia da Secretaria de Educação do Estado do Paraná.

Silvia Teresinha Frizzarini, Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC)

Doutora em Educação para a Ciência e a Matemática pela Universidade Estadual de Maringá – UEM. Docente do Programa de Pós-graduação em Ensino de Ciências, Matemática e Tecnologias – PPGECMTT – UDESC, Joinville/Santa Catarina/Brasil.

Virgílio Martins da Silva, Doutorando do PPGE/UDESC

Doutorando em Educação pela UDESC, Florianópolis/Santa Catarina/Brasil.

Referências

ARTIGUE, Michèle. Ingénierie didactique. Recherches en Didactique des Mathématiques. Grenoble: La Pensée Sauvage-Éditions, v. 9, n. 3, p.281-308, 1988.

BRASIL. Decreto 5.626, de 22 de dezembro de 2005. Regulamenta a Lei 10.436, de 24 de abril de 2002, que dispõe sobre a língua brasileira de sinais – Libras e o Art. 18 da Lei 10.098, de 19 de dezembro de 2000.

BRASIL. Lei nº 14.191, de 3 de agosto de 2021. Altera a Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996 (Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional), para dispor sobre a modalidade de educação bilíngue de surdos.

BRASIL. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular. Brasília: MEC, Consed, Undime, 2018.

CAMPELLO, Ana Regina e Souza. Aspectos da visualidade na educação de surdos. Tese (Doutorado em Educação) - Universidade Federal de Santa Catarina, 2008.

HICKMAN JUNIOR, Cleveland P. et al. Princípios integrados de zoologia. 16. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2016.

LACERDA, Cristina Broglia Feitosa de. A inclusão escolar de alunos surdos: o que dizem alunos, professores e intérpretes sobre esta experiência. Caderno Cedes, v. 26, n. 69, p. 163-184, 2006.

LOPES, Gérison Kézio Fernandes.; AGRELLO, Marisa Pascarelli. A representação histórico cultural da língua de sinais: opressão e repressão linguística versus pedagogia visual. Revista FSA, v. 14, n. 2, p. 86-111, 2017.

STROBEL, Karin. As imagens do outro sobre a cultura surda. Florianópolis: UFSC, 2008.

VALSECHI, Geisielen Santana. Análise da interação dos alunos surdos em Criciúma/SC: perspectiva na pedagogia. Revista Educação, Artes e Inclusão, Florianópolis, v. 17, p. e0017, 2021.

Downloads

Publicado

2023-12-30

Como Citar

GUERREIRO VALUTHKY, Jéssica; FRIZZARINI, Silvia Teresinha; MARTINS DA SILVA, Virgílio. Pedagogia visual para estudantes surdos: uma sequência didática na perspectiva da educação inclusiva para as aulas de biologia. Revista BOEM, Florianópolis, v. 11, p. e0120, 2023. DOI: 10.5965/2357724X112023e0120. Disponível em: https://revistas.udesc.br/index.php/boem/article/view/24821. Acesso em: 24 fev. 2024.

Edição

Seção

Discussões sobre produtos educacionais: ensino de ciências, matemática e tecnologias