Por que não? Para desestabilizar algumas certezas sobre espaços educativos e seus sujeitos

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/24471267812022074

Palavras-chave:

Formação de professores, escola, Estudos do Cotidiano, Cultura Visual

Resumo

A escrita deste artigo foi desenvolvida a partir de reflexões que teço entrelaçando experiências como professora em duas instituições distintas: como professora de ensino fundamental em uma escola da rede municipal de Florianópolis/SC e também do curso de Licenciatura em Artes Visuais da UDESC/SC. Em diálogo com aportes da Cultura Visual e Estudos do Cotidiano, procuro realizar argumentações sobre aspectos que me parecem necessários para serem problematizados, revisitados, impulsionados no curso de formação de professores, buscando pensar em modos de atuação docente que se construam mais atentos ao que se apresenta no cotidiano escolar. E, com isso, ampliar redes de aprendizagem que sejam mais significativas aos atores envolvidos no processo educativo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Juzelia Moraes Silveira, Universidade Estadual do Rio Grande do Sul

Doutora em Arte e Cultura Visual pela Universidade Federal de Goiàs. Mestre em Artes Visuais pela UFSM. Bacharel e Licenciada em Artes Visuais pela UFSM.

Referências

ALVES, Nilda. Decifrando o pergaminho: o cotidiano das escolas nas lógicas das redes cotidianas. In: ALVES, Nilda; OLIVEIRA, Inês Barbosa. Pesquisa no/do cotidiano das escolas: sobre redes de saberes. Rio de Janeiro: DP&A, 2001, p. 13-38.

CARVALHO, Rodrigo Saballa de. FOCHI, Paulo Sergio. (Orgs). Em Aberto, Brasília, v. 30, n. 100, p. 1-192, set./dez. 2017.

FERRAÇO, Carlos Eduardo. TEXTO-BIBLIOGRAFIA-HOMENAGEM: ou sobre redes de afetos tecidas no decorrer de uma vida… Revista Teias v. 13 • n. 29 • 11-19 • n. especial • 2012.

HERNÁNDEZ, Fernando. A construção da subjetividade docente como base para uma proposta de formação inicial de professores de Artes Visuais

Fernando Hernández In: OLIVEIRA, Maria Oliveira de; HERNÁNDEZ, Fernando (Orgs.). A formação do professor e o ensino das artes visuais. Santa Maria: UFSM, 2005

HERNÁNDEZ, Fernando. Catadores da Cultura Visual: proposta para uma nova narrativa educacional. Porto Alegre: Mediação, 2007.

LARROSA, Jorge. Pedagogia Profana: danças, piruetas e mascaradas. Belo Horizonte: Autêntica, 2006.

MASSCHELEIN, J.; SIMONS, M. Em defesa da escola: uma questão pública. Belo Horizonte: Autêntica, 2013.

OLIVEIRA, I. B. d. (2008). Estudos do cotidiano, pesquisa em educação e vida cotidiana: o desafio da coerência. ETD - Educação Temática Digital, 9(esp.), 162-184. https://nbn-resolving.org/urn:nbn:de:0168-ssoar-72875

Downloads

Publicado

2022-04-30

Como Citar

SILVEIRA, J. M. Por que não? Para desestabilizar algumas certezas sobre espaços educativos e seus sujeitos. Revista Apotheke, Florianópolis, v. 8, n. 1, p. 074-085, 2022. DOI: 10.5965/24471267812022074. Disponível em: https://revistas.udesc.br/index.php/apotheke/article/view/21727. Acesso em: 28 set. 2022.