Sandra Maria Correia Favero e o Sambaqui

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/24471267632020189

Resumo

O presente artigo é resultado de entrevista e visita no ateliê da professora-pesquisadora-artista Sandra Favero no bairro do Sambaqui, norte da ilha de Florianópolis (SC) em outubro de 2019. Busca-se a partir da localização geográfica da artista criar relações entre sua produção e o modo de vida de homens pré-históricos que habitaram o local.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Gabriel Augusto de Paula Bonfim, UDESC - Universidade do Estado de Santa Catarina

Mestrando bolsista CAPES em Artes Visuais, na linha de Processos Artísticos Contemporâneos da Universidade do Estado de Santa Catarina (2019-Atual), sob orientação da Prof. Dra. Sandra Maria Correia Favero. Possui Graduação em Artes Visuais (Licenciatura) pela Universidade Estadual de Londrina (2019). Tem experiência na área de Artes Visuais e Educação. Participou do projeto de iniciação à docência: PIBID - Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (2015-2017). Atuou como mediador na Divisão de Artes Plásticas - Casa de Cultura UEL (2017-2018). Atualmente participa do grupo de pesquisa Articulações Poéticas (UDESC/CNPq), coordenado por Prof. Dra. Silvana Barbosa Macedo e Prof. Dra. Sandra Maria Correia Favero, investigando processos de caminhadas e criação de narrativas.

Downloads

Publicado

2021-01-03

Como Citar

BONFIM, G. A. de P. Sandra Maria Correia Favero e o Sambaqui. Revista Apotheke, Florianópolis, v. 6, n. 3, 2021. DOI: 10.5965/24471267632020189. Disponível em: https://revistas.udesc.br/index.php/apotheke/article/view/18592. Acesso em: 30 set. 2022.