A viagem como formação

Autores

  • Marco Garaude Giannotti Universidade de São Paulo

DOI:

https://doi.org/10.5965/24471267622020292

Resumo

O texto discorre sobre como o ato de viajar pode despertar e formar um pensamento plástico. Neste sentido, uma série de considerações históricas confere diferentes sentidos a uma atividade que embora extra cotidiana, acaba por propiciar uma dimensão estética ao simples ato de ver o mundo ao redor numa nova perspectiva.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marco Garaude Giannotti, Universidade de São Paulo

Marco Garaude Giannotti

Pintor e professor associado do Departamento de Artes Plásticas da USP.

Currículo Lattes: http://lattes.cnpq.br/9886309524100476

Referências

REFERÊNCIAS:

CARDOSO, S. O Olhar viajante (do etnólogo) in: NOVAES et al- O OLHAR- São Paulo, Cia das Letras, 1988, p.347-360.

ARGAN,Giulio Carlo. História da Arte como história da cidade. Martins Fontes, 1992.

HOMERO, traducão e introdução, Christian Werner, Cosac Naify, São Paulo, 2014.

FIGUEREDO, V. (Org) Filosofia: temas e percursos. Editora Berlendis, São Paulo, 2018.

Downloads

Publicado

2020-09-14

Como Citar

GIANNOTTI, M. G. A viagem como formação. Revista Apotheke, Florianópolis, v. 6, n. 2, 2020. DOI: 10.5965/24471267622020292. Disponível em: https://revistas.udesc.br/index.php/apotheke/article/view/17358. Acesso em: 28 set. 2022.