Arranjo e Enquadramento na Política do “E”: Por Uma Pedagogia do Teatro Híbrida

Rejane Kasting Arruda

Resumo


O princípio do arranjo implica a composição entre materiais externos e internos em dois eixos estruturais da ação física (horizontal e vertical), onde atuam três funções mínimas: incidência, enquadramento e vulnerabilidade. Esta estrutura pode ajudar a abrir perspectivas de investigação da poética cênica e sustentar uma “Política do E” (em detrimento da “Política do Ou”), vencendo dicotomias.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5965/1414573102252015176



Direitos autorais



 

    

 

Indexadores

 

       


Urdimento – Revista de Estudos em Artes Cênicas - Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC) - Centro de Artes (CEART) - Programa de Pós-Graduação em Artes Cênicas - (PPGT) – E-ISSN: 2358.6958 - Endereço: Universidade do Estado de Santa Catarina – UDESC, Centro de Artes - Av. Madre Benvenuta, 2007, Itacorubi. Florianópolis. SC, Brasil. CEP: 88.035-001 – E-mail: urdimento.ceart@udesc.br

Licença Creative Commons

  Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.