Os códigos de Oyá – elementos simbólicos da Dança de Iansã no Afoxé Oju Omim Omorewá

Daniela Beny Polito Moraes, Teodora de Araújo Alves

Resumo


Este artigo traz os elementos simbólicos da Dança de Iansã usados como base na criação coreográfica do espetáculo “Chão Batido – terra de negros e mestiços” do Afoxé Oju Omim Omorewá. Apresentamos como a mitologia iorubá e a comunicação oral compõem a criação coreográfica do afoxé e apontam para o entendimento da dança nas religiões de matrizes africanas, sob a perspectiva da Antropologia da Performance, com bases em Richard Schechner e Zeca Ligiéro. Visamos aqui estabelecer diálogo entre os fundamentos da Antropologia da Performance e nossas interlocutoras – as Ialorixás Nany Moreno e Isabel Caetano - delimitando o espaço da performance artística como objeto/sujeito de estudo.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5965/1414573101242015059



Direitos autorais



 

    

 

Indexadores

 

       


Urdimento – Revista de Estudos em Artes Cênicas - Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC) - Centro de Artes (CEART) - Programa de Pós-Graduação em Artes Cênicas - (PPGT) – E-ISSN: 2358.6958 - Endereço: Universidade do Estado de Santa Catarina – UDESC, Centro de Artes - Av. Madre Benvenuta, 2007, Itacorubi. Florianópolis. SC, Brasil. CEP: 88.035-001 – E-mail: urdimento.ceart@udesc.br

Licença Creative Commons

  Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.