EL SEGUNDO CONTENEDOR. LA (RE)PRESENTACIÓN BIDIMENSIONAL DE LA CIUDAD CULTURAL

Seber Ugarte Calleja

Resumo


Se no princípio o museu era visto como um santuário do conhecimento, da arte ou do
pensamento, hoje pode ser entendido como um meio termo entre conhecimento humano e
entretenimento. Um espaço mínimo para a nossa investigação sobre a generalidade do mundo.
Um espaço, capaz de revelar a marca dos outros, da natureza ou da criação de tantos. O espaço
do museu tornou-se um cenário cultural espetacular onde se faz evidente a comunicação com o
mundo. De um ponto de vista histórico desenvolve-se uma análise da arquitetura, analisando o
museu como um espaço de linguagem, de semiótica e da especificidade da comunicação. Por
sua vez, o museu utiliza diversos canais de comunicação para transmitir ao público o seu próprio
projeto, um deles, específico para esse artigo, o livro ou catálogo de arte. Analisar os aspectos
formais e físicos que determinam a (re) apresentação do espaço tridimensional na mídia
impressa e como esta, por sua vez, torna-se um embaixador para a disseminação no tempo e no
espaço. A (re) apresentação é o resultado da fusão de diversos discursos plásticos, tais como
design gráfico e reprodução fotográfica, que por sua vez, estão relacionados com processos
políticos, sociológicos e estéticos que posicionam a cidade, a cidade como uma marca, por trás
dos processos envolvidos na transmissão da cultura.

Palavras-chave


museu; comunicação; cultura

Texto completo:

PDF