O discurso da democracia: imprensa e hegemonia da ditadura empresarial-militar brasileira (1964-1968)

Cláudio Beserra de Vasconcelos

Resumo


Este artigo discute o uso da retórica da democracia no processo de construção da hegemonia da ditadura empresarial-militar implantada no Brasil em 1964. Precisamente, procura analisar o discurso da grande imprensa brasileira durante o período compreendido entre o golpe de 31 de março de 1964 até o momento imediatamente posterior à edição do Ato Institucional n.º 5, em 13 de dezembro de 1968, e a construção da ideia da defesa da democracia como instrumento de criação de consenso, visando à legitimação da dominação de classe.

Palavras-chave: Ditadura Empresarial-Militar e Imprensa. Hegemonia.  Democracia.

Texto completo:

PDF

Referências


ALVES, M.ª. Helena Moreira. Estado e Oposição no Brasil, 1964-1984. 4.ª ed. Petrópolis: Vozes, 1984.

ALVIM, Thereza C. O Golpe de 64: a imprensa disse não. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1979.

AZEVEDO, Luiz Vitor Tavares de. “A voz do dono” - Tribuna de Imprensa: análise da ideologia de um discurso de oposição (1953-1955), Revista Brasileira de História, São Paulo, vol. 7, nº. 13, set. 1986 / fev. 1987, p. 63-76.

BADIOU, Alain. Ética: um ensaio sobre a consciência do mal. Trad.: Antônio Transito, Ari Roitman. Rio de Janeiro: Relume-Dumará, 1995.

BARDIN, Laurence. Análise de Conteúdo. Trad.: Luís Antero Reto e Augusto Pinheiro. Lisboa: Edições 70, 1977.

BOURDIEU, Pierre. O Poder Simbólico. 3ª ed. Trad.: Fernando Tomaz. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2000.

BREGUÊS, Sebastião G. A Imprensa Brasileira após 64. Encontros com a Civilização Brasileira, Rio de Janeiro, nº. 2, 1978, p.145-163.

CARDOSO, Ciro Flamarion; VAINFAS, Ronaldo. História e Análise de Textos. In: ____ (org.s). Domínios da História – Ensaios de Teoria e Metodologia. Rio de Janeiro: Campus, 1997, p. 375-399.

________. Semiótica, História e Classes Sociais. In: ____. Ensaios Racionalistas - Filosofia, Ciências Naturais e História. Rio de Janeiro: Campus, 1988, p. 61-92.

CHAUÍ, Marilena e FRANCO, M.ª Sylvia Carvalho. Ideologia e Mobilização Popular. Rio de Janeiro: Paz e Terra, CEDEC, 1978.

COUTINHO, Carlos Nelson. Gramsci: um estudo sobre seu pensamento político. Rio de Janeiro: Campus, 1992.

DUARTE, Celina Rabello. Imprensa e Redemocratização no Brasil, Dados: Revista de Ciências Sociais, Rio de Janeiro, vol. 26, nº. 2, 1983, p. 181-195.

FICO, Carlos. Reinventando o otimismo: ditadura, propaganda e imaginário social no Brasil. Rio de Janeiro: FGV, 1997.

FIGUEIREDO, Marcus. A Política de Coação no Brasil Pós-64. In: KLEIN, Lúcia e FIGUEIREDO, Marcus. Legitimidade e Coação no Brasil pós-64. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1978, p. 105-202.

FIORIN, José Luiz. O Regime de 1964: Discurso e Ideologia. São Paulo: Atual, 1988.

GRAMSCI, Antonio. Cadernos do cárcere. Vol. III. 3.ª ed. Trad.: Luiz Sérgio Henrique, Marco Aurélio Nogueira e Carlos Nelson Coutinho. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2007.

Jornal do Brasil (Rio de Janeiro)

Jornal O Globo (Rio de Janeiro)

KINZO, M.ª D’Alva Gil. Oposição e Autoritarismo: Gênese e trajetória do MDB (1966-1979). São Paulo: Vértice / Editora Revista dos Tribunais, 1988.

LAMOUNIER, Bolivar. Authoritarian Brazil Revisitado: o impacto das eleições na abertura política brasileira, 1974-1982, Dados: Revista de Ciências Sociais, Rio de Janeiro, vol. 29, nº. 3, 1986, p. 283-317.

________. O discurso e o processo (da distensão às opções do regime brasileiro). In: RATTNER, Henrique (org.). Brasil 1990: caminhos alternativos do desenvolvimento. São Paulo: Editora Brasiliense, 1979, p. 88-120.

LEMOS, Renato Luís do C. Neto e. Poder Judiciário e poder militar (1964-1969). In: CASTRO, Celso et alii. (orgs.). Nova história militar brasileira. Rio de Janeiro: Editora FGV; Bom Texto, 2004, p. 409-438.

LIGUORI, Guido. Roteiros para Gramsci. Trad. Luiz Sérgio Henriques. Rio de Janeiro: Editora UFRJ, 2007.

MARIANI, Bethania. O PCB e a Imprensa: os comunistas no imaginário dos jornais (1922-1989). Rio de Janeiro: Revan / Campinas: Editora da Universidade Estadual de Campinas, 1998.

MARX, Karl e ENGELS, Friedrich. A ideologia alemã. Trad. Luís Cláudio de Castro e Costa. São Paulo: Martins Fontes, 1998.

MIGUEL, Luís Felipe. O jornalismo como sistema perito, Tempo Social: Revista de Sociologia da USP, São Paulo, vol. 11, nº. 1, 1999, p. 197-208.

O Estado de São Paulo (São Paulo)

ORLANDI, Eni Pulcinelli. Discurso e Leitura. São Paulo: Cortez Editora / Campinas: Editora da Universidade Estadual de Campinas, 1996.

OSAKABE, Haquira. Argumentação e Discurso Político. 2ª ed. São Paulo: Martins Fontes, 1999.

RIBEIRO, Ana Paula Goulart. Imprensa e história no Rio de Janeiro dos anos 50. Tese (Doutorado em Comunicação)-ECO/UFRJ, Rio de Janeiro, 2000.

SILVA, Carla Luciana. Imprensa e Ditadura Militar: padrões de qualidade e construção de memória. História & Luta de Classes, ano 1, edição n.º 1, abril/2005, p. 43-54.

SMITH, Anne-Marie. Um acordo forçado: o consentimento da imprensa à censura no Brasil. Rio de Janeiro: Editora da Fundação Getúlio Vargas, 2000.

SODRÉ, Nelson Werneck. História da imprensa no Brasil. 4ª. ed. - São Paulo: Liv. Martins Fontes, 1999.

SOUZA, Ayda Connia de. O Estado Autoritário: Algumas questões sobre a legitimação, Revista UFRGS, Porto Alegre, ano XI/XII, 1983/1984, p. 335-346.

STEPAN, Alfred C. Os Militares na Política. Trad.: Ítalo Tronca. Rio de Janeiro: Artenova, 1975.

VASCONCELOS, Cláudio Beserra de. A Preservação do Legislativo pelo Regime Militar Brasileiro: ficção legalista ou necessidade de legitimação? (1964-1968). 334f. Dissertação (Mestrado em História Social) – Programa de Pós-graduação em História Social IFCS/UFRJ, Rio de Janeiro, 2004.

ZOPPI-FONTANA, Mónica Graciela. Cidadãos Modernos: discurso e representação política. Campinas: Editora da Universidade Estadual de Campinas, 1997.




DOI: https://doi.org/10.5965/2175180311282019365