A História das Mulheres (séc. XX - XXI): entre poder, resistência e subjetivação

Losandro Antonio Tedeschi, Sirley Lizott Tedeschi

Resumo


Neste artigo, analisamos a potência produtiva e criativa de práticas de resistência na história das mulheres contra os efeitos das relações de poder instituídas que assujeitam e aviltam a vida. Aproximamo-nos dos estudos pós-estruturalistas e dos estudos feministas e destacamos principalmente as contribuições de Michel Foucault no que se refere à noção de resistência e às reflexões de Gilles Deleuze sobre a obra foucaultiana. Entendemos que as práticas de resistência representam um trabalho sobre si e possibilitam a criação de gestos ativos e transgressores capazes de constituir novos modos de existência, novas subjetividades. A análise mostra que as práticas de resistência na história das mulheres, contra os efeitos de poder do mandato patriarcal, são ações que podemos chamar de menores, de desviantes, mas com força para produzir espaços de liberdade; são forças potencializadoras de outras formas de existência, capazes de compor outras formas de vida; vidas que agem em vez de apenas reagir às práticas instituídas. Nesse sentido, afastamo-nos das concepções que veem nas práticas de resistência apenas oposições ou reações ao poder e buscamos ressaltar que as práticas de resistência instauram fissuras, abalos nos modos de vida estabelecidos e potencializam outras formas de existência. O desafio consiste em encontrar mecanismo para ampliar cada vez mais as ressonâncias desses abalos, dessas fissuras.
Palavras-chave: Poder. Subjetividade. Mulheres. História.


Texto completo:

PDF

Referências


BUTLER, Judith. Corpos que pesam. In: Guacira Lopes Louro. (Org.). O corpo educado. Belo Horizonte: Autêntica, 2000, p.153-171.

CERTAU, Michel de. A invenção do Cotidiano: artes de fazer. Ed. Vozes. Petrópolis.1996.

DELEUZE, Gilles e GUATTARI, Félix. Kafka: por uma literatura menor. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2014.

DELEUZE, Gilles. Deleuze e Guattari explicam-se. In: Gilles Deleuze. A ilha deserta. São Paulo: Iluminuras, 2006. p. 277-292.

DELEUZE, Gilles. Foucault. São Paulo: Brasiliense, 2013a.

DELEUZE, Gilles. Um retrato de Foucault. In: Gilles Deleuze. Conversações. 3ª ed. São Paulo: Editora 34, 2013, p. 131-151.

DELEUZE, Gilles. Mil Platôs: capitalismo e esquizofrenia. São Paulo: Editora 34, 2012.

DELEUZE, Gilles; PARNET, Claire. Diálogos. São Paulo: Editora Escuta,1998.

DERRIDA, Jacques e ROUDINESCO, Elisabeth. De que amanhã . . . diálogos. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 2004.

DUARTE, André. Biopolítica e resistência: o legado de Michel Foucault. In.: Margareth Rago; Alfredo Veiga-Neto. (Orgs.). Figuras de Foucault. 2ª ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2008, p. 45-55.

FOUCAULT, Michel. A coragem da verdade. São Paulo: Editora WMF Martins Fontes, 2011.

FOUCAULT, Michel. A vida dos homens infames. In: Michel Foucault. Ditos e Escritos IV: estratégias saber-poder. 3ª ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2015, p. 199-217.

FOUCAULT, Michel. História da sexualidade: a vontade de saber. 13ª ed. Rio de Janeiro: Edições Graal, 1988.

FOUCAULT, Michel. O sujeito e o poder. In: DREYFUS, Hubert L. Dreyfus & Paul Rabinow. Michel Foucault: uma trajetória filosófica: Para além do estruturalismo e da hermenêutica. 2ª Ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2013, p. 273-295.

FOUCAULT, Michel. Outros espaços. In: Michel Foucault. Ditos e Escritos III: Estética: literatura e pintura, música e cinema. 2ª ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2009, p. 411-422.

FOUCAULT, Michel. Perguntas a Michel Foucault sobre Geografia. In: Michel Foucault. Ditos e Escritos IV: estratégias saber-poder.3ª ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2015, p. 172-185.

FOUCAULT, Michel. Poderes e estratégias. In: Michel Foucault. Ditos e Escritos IV: estratégias saber-poder.3ª ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2015ª, p. 236-246.

FOUCAULT, Michel. Segurança, território, população. Curso ministrado no Collège de France (1977-1978). São Paulo: Martins Fontes, 2008.

FOUCAULT, Michel. Sobre a Genealogia da ética. In: Michel Foucault. Ditos e Escritos IX: genealogia da ética, subjetividade e sexualidade. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2014, p. 214-237.

GALLO, Silvio. Cuidar de si e cuidar do outro: implicações éticas para a educação dos últimos escritos de Foucault. In: José Gondra; Walter Kohan. (Orgs.). Foucault 80 anos. Belo Horizonte: Autêntica, 2006, p. 177-189.

GALLO, Silvio. Pensar a escola com Foucault: além da sombra da vigilância. In: Alexandre Filorde de Carvalho; Silvio Gallo. (Orgs.). Repensar a educação: 40 anos após Vigiar e Punir. São Paulo: Editora Livraria da Física, 2015, p. 427-449.

GROS, Frédéric. Situação do curso. In: Michel Foucault. A coragem da verdade: o governo de si e dos outros II. São Paulo: Editora WMF Martins Fontes, 2011, p. 301-316.

GROS, Frédéric. Situação do curso. In: Michel Foucault. A hermenêutica do sujeito. São Paulo: Martins Fontes, 2006, p.613-661.

PELLEJERO, Eduardo. Dos dispositivos de poder ao agenciamento da resistência. Disponívelem:http://www.comciencia.br/comciencia/?section=8&edicao=35&id=419&tipo=1. Acesso em: 28 de dezembro de 2017.

PERROT, Michelle. As mulheres ou os silêncios da história. São Paulo; EDUSC, 2005.

RAGO, Margareth. O feminismo acolhe Foucault, labrys, 2014. Disponível em https://www.labrys.net.br/labrys26/foucault/margaok.htm. Acesso em: 02 de março de 2018.

REVEL, Judith. Michel Foucault: conceitos essenciais. São Carlos: Claraluz, 2005.

SEGATO, Rita Laura. Gênero e colonialidade: em busca de chaves de leitura e de um vocabulário estratégico descolonial, e-cadernos ces, 18, 2012, p. 106-131.

SEGATO, Rita Laura. Las estructuras elementales de la violência: ensayos sobre género entre la antropología, el psicoanálisis y los derechos humanos. Bernal, Argentina: Universidad Nacional de Quilmes, 2003.

THÉBAUD, Françoise. Escribir la história de las mujeres y del género. Ediciones KRK. Oviedo: Espãna, 2013.

VILELA, Eugênia. Resistência e acontecimento: as palavras sem centro. In: José Gondra; Walter Kohan. (Orgs.). Foucault 80 anos. Belo Horizonte: Autêntica, 2006, p. 107-127.




DOI: https://doi.org/10.5965/2175180311262019508

Contato:
Universidade do Estado de Santa Catarina - UDESC
Centro de Ciências Humanas e da Educação - FAED
Programa de Pós-Graduação em História - PPGH
Av. Madre Benvenuta, 2007 - Itacorubi - Florianópolis - SC
CEP: 88.035-001            Telefone: (48) 3664-8585
tempoeargumento@gmail.com