Reinhart Koselleck e a análise das metáforas: sobre as possibilidades para além do conceitual

André da Silva Ramos

Resumo


Este artigo explora – em diálogo com estudos recentes no âmbito da teoria da história e história intelectual, especialmente seguindo as perspectivas de Hans Ulrich Gumbrecht e Elías Palti –, os limites da história dos conceitos (Begriffsgeschichte) e a possibilidade da sua dinamização frente à abertura para a análise das metáforas. Pretendo compreender a especificidade da importância conferida por Reinhart Koselleck à análise das “metáforas espaciais” em seu projeto intelectual, diferenciando as perspectivas do autor das de Hans Blumenberg. Evidencio como Koselleck articulou a importância das metáforas em face à centralidade conferida à sua teoria da modernização. Por fim, a intenção será matizar a relevância das contribuições de Koselleck para os estudos historiográficos perante a necessidade da abertura para desafios que não se limitem ao conceitual, como colocado em destaque pela bibliografia especializada contemporânea.

Palavras-chave: História dos Conceitos. Teoria da Modernização. Teoria da Não Conceitualidade. Linguagem. Metáforas. 


Texto completo:

PDF

Referências


ARAUJO, Valdei Lopes de. A experiência do tempo: conceitos e narrativas na formação nacional brasileira (1813-1845). São Paulo: Hucitec, 2008a.

ARAUJO, Valdei Lopes de. História da historiografia como analítica da historicidade. História da historiografia, Ouro Preto, n. 12, p. 34-44, ago., 2013.

ARAUJO, Valdei Lopes de. História dos conceitos: problemas e desafios para uma releitura da modernidade Ibérica. Almanack Braziliense (Online), v. 7, p. 47-55, 2008b.

ARAUJO, Valdei Lopes de. Observando a observação: sobre a descoberta do clima histórico e a emergência do cronótopo historicista, c. 1820. In: CARVALHO, José Murilo; CAMPOS, Adriana Pereira. (Orgs.). Perspectivas da cidadania no Brasil Império. 1ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2011a. p. 281-304.

ARAUJO, Valdei Lopes de. Para além da autoconsciência moderna: a historiografia de Hans Ulrich Gumbrecht. Varia História, v. 22, p. 314-328, 2006.

ARAUJO, Valdei Lopes de. Sobre a permanência da expressão história magistral vitae no século XIX brasileiro. In: NICOLAZZI, Fernando; MOLLO, Helena Miranda; ARAUJO, Valdei Lopes de. Aprender com a história? o passado e o presente de uma questão. Rio de Janeiro: Fundação Getúlio Vargas, 2011b. p. 131-147.

ARAUJO, Valdei Lopes de; RAMOS, André da Silva. A emergência de um ponto de vista cosmopolita: a experiência da história de Portugal na Universal History. Almanack, v. 10, p. 479-491, 2015.

ARAUJO, Valdei Lopes de; RAMOS, André da Silva. Disputas pela história contemporânea de Portugal: a polêmica político-historiográfica entre José Agostinho de Macedo e Hipólito da Costa. Revista Maracanan, v. 19, p. 197-215, 2018.

ARAUJO, Valdei Lopes de; RANGEL, Marcelo de Mello. Apresentação: teoria da história e história da historiografia: do giro-linguístico ao giro ético-político. História da historiografia, Ouro Preto, n. 17, p. 318-332, abr. 2015.

BEVERNAGE, Berber; LORENZ, Chris. Negotiating the borders between present, past and future. Göttingen: Vandenhoeck & Ruprecht, 2013.

BEVERNAGE, Berber. History, memory, and state-sponsored violence: time and justice. New York: Routledge, 2012.

BEVERNAGE, Berber. História, memória e violência de Estado: tempo e justiça. Tradução: André Ramos; Guilherme Bianchi. Serra: Editora Milfontes/Mariana: SBTHH, 2018.

BLUMENBERG, Hans. Shipwreck with spectator: paradigm of a metaphor for existence. Massachusetts: Massachusetts Institute of Technology, 1997.

BLUMENBERG, Hans. Teoria da não conceitualidade. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2013.

FERES JR; JASMIN, Marcelo Gantus. História dos conceitos: debates e perspectivas. Rio de Janeiro: Editora Puc-Rio: Editora Loyola: IUPERJ, 2006.

GOSH, Ranjan; KLEINBERG, Ethan (Orgs.). Presence: philosophy, history, and cultural theory for the twenty-first century. Ithaca, New York.: Cornell University Press, 2013.

GUMBRECHT, Hans Ulrich. Atmosphere, mood, stimmung: on a hidden potential of literature. Califórnia: Stanford University Press, 2012.

GUMBRECHT, Hans Ulrich. Pirâmides do Espírito. Sobre a rápida ascensão, as dimensões invisíveis e o súbito esmorecimento da história dos conceitos. Graciosidade e estagnação. Rio de Janeiro: Contraponto; Rio de Janeiro: Puc-Rio, 2012. p. 15-60.

GUMBRECHT, Hans Ulrich. Produção de presença: o que o sentido não consegue transmitir. Rio de Janeiro: Contraponto; Rio de Janeiro: Puc-Rio, 2010.

JORDHEIM, Helge. Against Periodization: Koselleck’s theory of Multiple temporalities. History and theory, v. 51, n. 2, p. 151-171, 2012.

KLEINBERG, Ethan. Back to where we’ve never been: Heidegger, Levinas and Derrida on tradition and history. History and theory, v. 51, p. 114-135, 2012.

KLEINBERG, Ethan. Haunting history: for a deconstructive approach to the past. Stanford: Stanford University Press, 2017.

KLEINBERG, Ethan; RAMOS, André da Silva. Ethan Kleinberg: theory of history as hauntology. História da historiografia, Ouro Preto, n. 25, p. 212-228, dez. 2017. Entrevista concedida a André da Silva Ramos.

KOSELLECK, Reinhart. The practice of conceptual history: timing history, spacing concepts. California: Stanford University Press, 2002.

KOSELLECK, Reinhart. Revolución como concepto e como metáfora. Sobre la semântica de una palavra en un tiempo enfática. In: KOSELLECK, Reinhart. Historia de conceptos: estudios sobre semântica y pragmática del linguaje político y social. Madrid: Trotta, 2012. p. 161-170.

PALTI, Elías José. Ideas, conceptos e metáforas: La tradición alemana de la historia intelectual y el complejo entramado del linguaje. In: SEBASTIÁN, Javier Fernández y MIGUEL, Gonzalo Capellán (Orgs.). Lenguaje, tempo y modernidade: Ensayos de historia conceptual. Chile: Globo Editores, 2011.

PALTI, Elías José. From ideas to concepts to metaphors: the german tradition of intelectual history and the complex fabric of language. History and theory, v. 49, p. 194-211, 2010.

PHILIPS, Mark Salber. On historical distance. New Haven & London: Yale University Press, 2013.

PHILIPS, Mark Salber. Society and sentiment: genres of historical writing in britain, 1740-1820. Princeton University Press, 1997.

RAMOS, André da Silva. Machado de Assis e a experiencia da história: climas e espectralidade. 2018. Tese (Tese em História) – Universidade Federal de Ouro Preto, Mariana, 2018.

RAMOS, André da Silva. Robert Southey e a experiência da história de Portugal: conceitos, linguagens e narrativas cosmopolitas (1795-1829). 2013. Dissertação (Mestrado em História) − Universidade Federal de Ouro Preto, Mariana, 2013.

RAMOS, André da Silva; RODRIGUES, Thamara de Oliveira. Narrativas sobre a experiência da história contemporânea do império Luso-Brasileiro: Hipólito da Costa e Francisco Solano Constâncio (1808-1810). Revista do instituto histórico e geográfico brasileiro, n. 463, p. 13-37, jun. 2014.

RANGEL, Marcelo de Mello. O período regencial e o clima histórico: pessimismo e esperança na poesia de Gonçalves de Magalhães. ArtCultura, Uberlândia, v. 15, n. 26, p. 169-186, jan.-jun. 2013.

RANGEL, Marcelo de Mello. Romantismo, Sattelzeit, melancolia e ‘clima histórico’ (Stimmung). Revista expedições: teoria da história & historiografia, v. 5, n. 2, p. 53-62, jul-dez., 2014.

RANGEL, Marcelo de Mello. Poesia, história e economia política nos suspiros poéticos e saudades e na revista Niterói: os primeiros românticos e a civilização do império do Brasil. 2011. Tese (Doutorado em história social) – Pontificia Universidade Católica - Rio, Rio de Janeiro, 2011.

RODRIGUES, Thamara de Oliveira. A independência de Portugal: história, progresso e decadência na obra de Francisco Solano Constâncio. 2014. Dissertação (Mestrado em História) − Universidade Federal de Ouro Preto, Mariana, 2014.

RUNIA, Eelco. Moved by the Past: discontinuity and historical mutation. New York: Columbia University Press, 2014.

SEBASTIÁN, Javier Fernández. Hacia una historia atlántica de los conceptos políticos. In: SEBASTIÁN, Javier Fernández. (Dir.). Diccionario politico y social del mundo iberoamericano: conceptos políticos en la era de las revoluciones, 1750-1850. Madrid: Fundación Carolina, 2009a. p. 23-45.

SEBASTIÁN, Javier Fernández. Conceptos y metáforas en la política moderna: algunas propuestas para una nueva historia político‐intelectual. In: CANAL, Jordi y LUZÓN, Javier Moreno (Orgs.). Historia cultural de la política contemporânea. Madrid: Centro de estudios políticos y constitucionales, 2009b. p. 11‐30.

SEBASTIÁN, Javier Fernández. Introducción: tiempos de transición en el atlântico ibérico: conceptos políticos en revolución. In: (Dir.). Diccionario politico y social del mundo iberoamericano: conceptos políticos fundamentales, 1770-1870: [Iberoconceptos – II]: tomo I (civilización). Madrid: Centros de estudos políticos y constitucionales, 2014. p. 25-75.




DOI: http://dx.doi.org/10.5965/2175180311262019431

Contato:
Universidade do Estado de Santa Catarina - UDESC
Centro de Ciências Humanas e da Educação - FAED
Programa de Pós-Graduação em História - PPGH
Av. Madre Benvenuta, 2007 - Itacorubi - Florianópolis - SC
CEP: 88.035-001            Telefone: (48) 3664-8585
tempoeargumento@gmail.com