João Goulart nas páginas d´O Estado de Mato Grosso (1961-1964)

Edvaldo Correa Sotana

Resumo


Este artigo tem por objetivo geral discutir as relações entre imprensa e o golpe civil-militar de 1964. Nos últimos anos, pesquisadores investigaram as práticas e expedientes utilizados pela “grande imprensa” para desgastar a imagem do presidente Goulart, enfraquecer seu governo e pavimentar a chegada dos militares ao poder. Ao contrário, poucos estudos se ocuparam da posição editorial dos jornais produzidos na região Centro-Oeste do Brasil. Portanto, este artigo visa discutir o material jornalístico sobre João Goulart e seu governo veiculado pelo jornal O Estado de Mato Grosso entre agosto de 1961 e abril de 1964.

 

Palavras-chave: Imprensa. Golpe Civil-Militar de 1964. O Estado de Mato Grosso.



Texto completo:

PDF

Referências


ABREU, Alzira Alves de (Org.). A imprensa em transição: o jornalismo brasileiro nos anos 50. Rio de Janeiro: Fundação Getúlio Vargas, 1996.

ABREU, Alzira Alves de. 1964: a imprensa ajudou a derrubar o governo Goulart. In: FERREIRA, Marieta de Moraes. João Goulart: entre a memória e a história. Rio de Janeiro: FGV, 2006.

ABREU, Alzira Alves de; LATTAMAN-WELTMAN, Fernando. Fechando o cerco: a imprensa e a crise de agosto de 1954. In: GOMES, Ângela de Castro (Org.). Vargas e a crise dos anos 50. Rio de Janeiro: Relume-Dumará, 1994.

ADÃO, Rafael. Anticomunismo e suas construções mitológicas na imprensa político-religiosa de Cuiabá (1930-1945). 208 f. Dissertação (Mestrado em História) – Universidade Federal de Mato Grosso, Cuiabá, 2017.

AQUINO, Maria Aparecida de. Censura, imprensa e Estado autoritário (1968-1978): o exercício cotidiano da dominação e da resistência: o Estado de São Paulo e Movimento. Bauru/SP: Edusc, 1999.

ARAKAKI, Suzana. Dourados: memórias e representações de 1964. 147 f. Dissertação (Mestrado em História) – Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, Campo Grande, 2003.

ARAKAKI, Suzana. As implicações do golpe civil-militar no sul de Mato Grosso: apoio civil, autoritarismo e repressão (1964-1969). 212 f. Tese. (Doutorado em História) – Universidade Federal da Grande Dourados, Dourados, 2015.

ARAÚJO, Vinícius de Carvalho. Paz sob fogo cerrado: três gerações na política de Mato Grosso (1945-2002). 314f. Dissertação (Mestrado em História) – Universidade Federal de Mato Grosso, Cuiabá, 2007.

BANDEIRA, Muniz. O governo João Goulart: as lutas sociais no Brasil (1961-1964). 8. ed. São Paulo: Unesp, 2010.

BARBOSA, Marialva Carlos. Imprensa e poder no Brasil pós-1930. Em Questão, Porto Alegre, v. 12, n. 2, p. 215-234, jun./dez. 2006. Disponível em: seer.ufrgs.br/EmQuestao/article/download/23/8. Acesso em: 10 jun 2018.

BITTAR, Marisa. Sonho e realidade: vinte e um anos da divisão de Mato Grosso. Multitemas, Campo Grande, n.15 p.93-124, out. 1999.

BOURDIEU, Pierre. O poder simbólico. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2000.

BUSETTO, Áureo. A mídia brasileira como objeto da história política: perspectivas teóricas e fontes. In: SEBRIAN, Raphael Nunes Nicoletti (Org.). Dimensões da política na historiografia. Campinas: Pontes Editores, 2008.

CAMPOS, Fatima Cristina Gonçalves. Visões e vozes: o governo Goulart nas páginas da Tribuna da Imprensa e Última Hora. 191 f. Dissertação. (Mestrado em História) – Universidade Federal Fluminense, Niterói, 1996.

CORRADI, Carla. Quem detém a mídia, detém o poder? Jornalismo e política nas páginas da revista Alterosa (1962-1964). 206 f. Dissertação (Mestrado em História) – Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2013.

CORREA, Linive de Albuquerque. Grupo Correio do Estado, de jornal a conglomerado midiático (1954 - 1980). 304 f. Dissertação (Mestrado em História) – Universidade Estadual Paulista, Assis, 2018.

COSTA, Jucélio Regis da. Os jornais em marcha e as marchas da vitória nos jornais: a imprensa e o golpe civil-militar no Ceará. 157 f. Dissertação (Mestrado em História) – Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2015.

DANTAS, Audálio. A mídia e o golpe militar. Estudos Avançados, v. 28, n. 80, p. 59-74, 2014.

DE LUCA, Tânia Regina. História dos, nos e por meio dos periódicos. In: PINSKY, Carla Bassanezi. Fontes históricas. 2. ed. São Paulo: Contexto, 2008. p. 111-154.

DREIFUSS, René Armand. 1964: a conquista do Estado – ação política, poder e golpe de classe. 5. ed. Petrópolis: Vozes, 1987.

FERREIRA, Marieta de Moraes. João Goulart: entre a memória e a história. Rio de Janeiro: Editora da FGV, 2006.

FERREIRA, Jorge. João Goulart: uma biografia. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2011.

FERREIRA, Jorge; GOMES, Ângela de Castro. 1964: o golpe que derrubou um presidente, pôs fim ao regime democrático e instituiu a ditadura militar no Brasil. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2014.

FURLANETTO, Vera L. Mato Grosso do Sul: a criação de um Estado pelas representações dos jornais O Progresso e Correio do Estado. Dissertação. (Mestrado em História). Universidade Federal da Grande Dourados, Dourados, 2018.

GONÇALVES, Luciana de Freitas. Imprensa e poder em tempos de segurança nacional: Cáceres-MT (1969-1984). 147 f. Dissertação (Mestrado em História) – Universidade Federal de Mato Grosso, Cuiabá, 2012.

JUCÁ, Pedro Rocha. Imprensa Oficial de Mato Grosso: 170 anos de história. Cuiabá: Edições Aroe, 2009.

KUSHNIR, Beatriz. Cães de guarda: jornalistas e censores, do AI-5 à Constituição de 1988. 429 f. Tese. (Doutorado em História) – Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2001.

LEITE, Eudes Fernando. Aquidauana: a baioneta, a toga e a utopia nos entremeios de uma pretensa revolução. Dourados-MS: Editora da UFGD, 2009.

LIMA, Maria Cleidiane. Imprensa e poder: o golpe de 64 nos jornais do Ceará. 154 f. Dissertação (Mestrado em História) – Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Franca, 2000.

MARQUES, Keren Martin Sandro. Imprensa e comportamento feminino em Cuiabá (1956-1963). 185 f. Dissertação (Mestrado em História) – Universidade Federal de Mato Grosso, Cuiabá, 2018.

MARQUES, Sabrina Rodrigues. O Jornal do Comércio e o seu discurso anticomunista. In: FERNÁNDEZ, Jorge Christian; MUSSI, Vanderléia Paes Leite; QUEIRÓZ, Vivina Dias Sol (Org.). 1964, cinquenta anos: descomemorando a(s) ditadura(s) de segurança nacional sob a mira crítica da história e da educação. Campo Grande: Editora da UFMS, 2014.

MEIRA, Leonice Maria. Um estudo sobre os reflexos das ações da ditadura militar através do jornal “O Estado de Mato Grosso” (1964-1974). 152 f. Dissertação (Mestrado em História) – Universidade Federal de Mato Grosso, Cuiabá, 2011.

MOREIRA, Cássio Silva. O projeto de nação do governo João Goulart: o plano e as reformas de base (1961-1964). 404 f. Tese. (Doutorado em Economia) – Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2011.

MOTTA, Marly. Apresentação. In: FERREIRA, Jorge; GOMES, Ângela de Castro. 1964: o golpe que derrubou um presidente, pôs fim ao regime democrático e instituiu a ditadura militar no Brasil. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2014.

MOTTA, Rodrigo Patto Sá. A ditadura nas representações verbais e visuais da grande imprensa: 1964-1969. Topoi, v. 14, n. 26, p. 62-85, jan./jul. 2013. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/topoi/v14n26/1518-3319-topoi-14-26-00062.pdf. Acesso em: 10 jan. 2018.

MOTTA, Rodrigo Patto Sá. O golpe de 1964 e a ditadura nas pesquisas de opinião. Revista Tempo. v. p. 01-21, 20, 2014. Disponível em http://www.scielo .br/pdf/tem/v20/pt_1413-7704-tem-1980-542X-2014203627.pdf. Acesso em: 10 jun. 2018.

MUNTEAL, Oswaldo; VERTAPANE, Jacqueline; FREIXAS, Adriano. O Brasil de João Goulart: um projeto de nação. Rio de Janeiro: Contraponto, 2006.

NEVES, Maria Manuela Renha de Novis. Elites Políticas: competição e dinâmica partidário-eleitoral (caso de Mato Grosso). Rio de Janeiro: Editora Vértice, 1988.

O ESTADO DE MATO GROSSO. Cuiabá, 1939-[1985?]

ROSE, R.S. O homem mais perigoso do país: biografia de Filinto Müller. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2017.

SALGUEIRO, Eduardo de Melo. A revista Brasil Oeste e o Governo João Goulart: a questão da reforma agrária. Veredas da História. v.4, n.1, 2011. Disponível em: http://www.seer.veredasdahistoria.com.br/ojs-2.4.8/index. php/veredasdahistoria/article/viewFile/55/58. Acesso em: 22 mar. 2018.

SILVA, Renato Pereira da. Imprensa e política: o governo Goulart nas páginas do Correio da Manhã (1961-1964). 199 f. Dissertação. (Mestrado em História) –Universidade Federal Fluminense, Niterói, 2015.

SMITH, Anne-Marie. Um acordo forçado: o consentimento da imprensa à censura no Brasil. Rio de Janeiro: Editora da FGV, 2000.

SOTANA, Edvaldo Correa. Imprensa escrita, política e o golpe civil-militar de 1964: notas sobre o jornal O Matogrossense. In: MARTINS JUNIOR, Carlos; SOTANA, Edvaldo Correa; SOUSA NETO, Miguel Rodrigues de. Democracias e ditaduras no mundo contemporâneo. Campo Grande: UFMS, 2015. p. 71-96.

SOUZA, Renato João de. Da informação à representação: o papel do jornal escrito mineiro nos anos 1963 e 1964. 128 f. Dissertação (Mestrado em História) – Universidade Federal de Juiz de Fora, Juiz de Fora, 2012.

TANNOUS, Simão Alves. "Relendo notícias": o jornalismo bahiano e o governo de João Goulart (1963-1964). 114 f. Dissertação (Mestrado em História) – Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2011.

ZAIDAN, Tiago Eloy. O golpe de estado de 1964 e a disputa de hegemonia através dos veículos de comunicação: a experiência da mídia impressa alagoana. 216 f. Dissertação (Mestrado em Comunicação) – Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2010.




DOI: http://dx.doi.org/10.5965/2175180311262019402

Contato:
Universidade do Estado de Santa Catarina - UDESC
Centro de Ciências Humanas e da Educação - FAED
Programa de Pós-Graduação em História - PPGH
Av. Madre Benvenuta, 2007 - Itacorubi - Florianópolis - SC
CEP: 88.035-001            Telefone: (48) 3664-8585
tempoeargumento@gmail.com