Industrialização e crise ambiental: a representação do desastre nuclear em Vozes de Tchernóbil, de Svetlana Aleksiévitch

Alfredo Ricardo Silva Lopes, Rauer Ribeiro Rodrigues

Resumo


O artigo utiliza a obra Vozes de Tchernóbil, de Svetlana Aleksiévitch, como representativa para analisar o modo pelo qual os seres humanos compreendem seus processos de produção de energia. Assim, a literatura emerge como fonte histórica para avaliar a relação entre a atual crise ambiental e o modelo industrial que tomou forma a partir de meados do século XVIII na Inglaterra, um dos marcos inauguradores da Era Contemporânea. Dessa forma, busca-se considerar a produção do desastre nuclear como um acontecimento representativo da crise ambiental contemporânea.

 

Palavras-chave: História Contemporânea. Crise Ambiental; Desastre Nuclear de Tchernóbil. Literatura. Svetlana Aleksiévitch.


Texto completo:

PDF

Referências


ALEKSIÉVITCH, Svetlana. Vozes de Tchernóbil. São Paulo: Companhia das Letras, 2016.

AUERBACH, Erich. Mimesis: a representação da realidade na literatura ocidental. São. Paulo: Perspectiva, 2002.

BECK, Ulrich. Sociedade de risco: rumo a uma outra modernidade. São Paulo: Ed. 34, 2010.

CANDIDO, Antonio. Literatura e sociedade. Rio de Janeiro: Ouro sobre azul. 2006.

CRUTZEN, Paul .J.; STEFFEN, Will. How long have we been in the Anthropocene era? Climatic Change, n. 61, p. 251-257, 2003.

HARTOG, François. Regimes de historicidade: presentismo e experiências do tempo. Belo Horizonte: Autêntica, 2014.

HARTOG, François. Regimes de historicidade: presentismo e experiência do tempo. Belo Horizonte: Autentica editora, 2015.

HOBSBAWM, Eric. J. A Era das Revoluções: Europa 1789-1848. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2014.

KLANOVICZ, Jó. História ambiental e desastres: encontros entre política, tecnologia e sociedade. História Unisinos, v. 17, p. 293-302, 2013.

LEINFELDER, Reinhold. Assuming Responsibility for the Anthropocene: challenges and opportunities in education. In: TRISCHLER, H. Anthropocene: Envisioning the Future of the Age of Humans. RCC Perspectives, Munich, n. 3, p. 9-28, 2013.

LE GOFF, Jacques. História e Memória. Campinas: Ed. da UNICAMP, 2003.

LOPES, Alfredo R. S. Desastres socioambientais e memória no sul de Santa Catarina (1974-2004). Tese (Doutorado em História) – Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Filosofia e Ciências Humanas, Programa de Pós-Graduação em História, Florianópolis, 2015.

LUKÁCS, Georg. A Teoria do Romance: um ensaio histórico-filosófico sobre as formas da grande épica. São Paulo: Duas Cidades; Ed. 34, 2000.

MARKS, Robert. The (modern) World since 1500. In: MCNEILL, John Robert; MAULDIN, Stewart. A companion to Global Environmental History. Nova York, Londres: Wiley- Blackwell, 2012, p. 57-78.

MCNEILL, John. R. Something New Under the Sun: an environmental history of the twentieth-century world. New York: W. W. Norton & Co., 2000.

NORA, Pierre. “Entre memória e história: a problemática dos lugares”. Projeto História. Revista do Programa de Estudos Pós-Graduados em História e do Departamento de História da PUC-SP, n. 10. São Paulo, dez. 1993.

OLIVER-SMITH, Anthont. Theorizing disasters. In: OLIVER-SMITH, A.; HOFFMAN, S.M. (Orgs). Catastrophe & culture: anthropology of disaster. New Mexico: School of American Research Press, 1999.

RAUER, Ribeiro Rodrigues. Faces do conto de Luiz Vilela. Araraquara, 2006. 2 v., xiv, 547 f. Tese (Doutorado em Estudos Literários) – FCL-Ar, Unesp, 2006. Disponível em: http://gpluizvilela.blogspot.com/. Acesso em: 8 ago. 2018.

SEIXAS, Jacy. Vozes de Tchernóbil: o tempo suspenso, o horror e a linguagem da memória e do esquecimento. Revista Gragoatá (UFF), v. 23, p. 53-70, 2018.




DOI: http://dx.doi.org/10.5965/2175180311262019044

Contato:
Universidade do Estado de Santa Catarina - UDESC
Centro de Ciências Humanas e da Educação - FAED
Programa de Pós-Graduação em História - PPGH
Av. Madre Benvenuta, 2007 - Itacorubi - Florianópolis - SC
CEP: 88.035-001            Telefone: (48) 3664-8585
tempoeargumento@gmail.com