Abordagens possíveis do ser religioso, do manifestar a fé e do viver experiências de crença: religiões e religiosidades a partir da história ensinada

Mauro Dillmann

Resumo


Este artigo apresenta algumas reflexões sobre os significados e as possibilidades de abordagem de religiões e religiosidades no ensino de história, apresentando também os possíveis sentidos de aprendizagens sobre experiências religiosas na disciplina, bem como as emergências de suas concepções, que podem ser problematizadas nas aulas de história. Trata-se dos significados teóricos de narrativas históricas que são construídas e que podem ser acionadas no ensino de história de modo a propor (condições de) possibilidades de aprendizagem histórica, de ser e viver religiosamente ou não, e de realizar escolhas de ação relativas ao senso de liberdade (religiosa) do presente.

 

Palavras-chave: Ensino de História. Religiões e religiosidades. Tempo Presente.


Texto completo:

PDF

Referências


ALBUQUERQUE JÚNIOR, Durval Muniz de. Xenofobia: medo e rejeição ao estrangeiro. São Paulo: Cortez, 2016a.

ALBUQUERQUE JÚNIOR, Durval Muniz de. Regimes de historicidade: como se alimentar de narrativas temporais através do ensino de História. In: GABRIEL, Carmen Teresa; MONTEIRO, Ana Maria; MARTINS, Marcus Leonardo (Orgs.). Narrativas do Rio de Janeiro nas aulas de história. Rio de Janeiro: Mauad X, 2016b, p. 21-42.

ALBUQUERQUE JÚNIOR, Durval Muniz de. Pedagogias da saudade: a formação histórica de consciências e sensibilidades saudosistas. A vida e o trabalho do poeta e professor português António Corrêa d’Oliveira. Revista História Hoje, v.2, n. 4, p.149-174, 2013.

BENATTE, Antonio Paulo. A história cultural das religiões: contribuições a um debate historiográfico. In: ALMEIDA, Néri de Barros; SILVA, Eliane Moura da (Orgs.). Missão e pregação. São Paulo: Unifesp, 2014, p.59-80.

BITAR, Nina Pinheiro. Patrimônio e dádiva: as baianas de acarajé no Rio de Janeiro. In: GONÇALVES, José Reginaldo; BITAR, Nina; GUIMARÃES, Roberta Sampaio. A alma das coisas: patrimônio, materialidade e ressonância. Rio de Janeiro: Mauad X, 2013, p.79-104.

BLOCH, Marc. Apologia da história ou o ofício do historiador. Tradução André Telles. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2001 [1944].

CERRI, Luis Fernando. Ensino de história e consciência histórica: implicações didáticas de uma discussão contemporânea. Rio de Janeiro: Ed. FGV, 2011.

DELGADO, Lucília de Almeida Neves; FERREIRA, Marieta de Moraes. História do tempo presente e ensino de história. Revista História Hoje, v.2, n.4, p.19-34, 2013.

DREHER, Martin N. Para entender o fundamentalismo. São Leopoldo: Editora UNISINOS, 2002.

EIRE, Carlos. Uma breve história da eternidade. Tradução Rogério Bettoni. São Paulo: Três Estrelas, 2013.

FEBVRE, Lucien. Contra o vento: manifesto dos novos Annales. In: NOVAIS, Fernando; SILVA, Rogério (Orgs.). Nova história em perspectiva. São Paulo: Cosac Naify, 2011 [1952], p. 74-85.

FERREIRA, Marieta de Moraes; FRANCO, Renato. Aprendendo história: reflexão e ensino. 2ª ed. Rio de Janeiro: Ed. FGV, 2013.

FLORES, Maria Bernadete Ramos. A farra do boi: palavras, sentidos, ficções. 2. ed. Florianópolis: Ed.da UFSC, 1998.

FLORES, Maria Bernadete Ramos. Oktoberfest: turismo, festa e cultura. Florianópolis: Letras Contemporâneas, 1997.

FRANCO JÚNIOR, Hilário. Apresentação. In: FEBVRE, Lucien. O problema da incredulidade no século XVI: a religião de Rabelais. Tradução Maria Lúcia Machado; tradução dos trechos em latim José Eduardo dos Santos Lohner. São Paulo: Companhia das Letras, 2009, p. 09-14.

GINZBURG, Carlo. Memória e globalização. Revista Esboços, v.16, n.21, p.9-21, 2009.

GOMES, Francisco José Silva. A religião como objeto da história. In: LIMA, Lana Lage da Gama et. al. (Orgs.). História & religião. Rio de Janeiro: FAPERJ, Mauad, 2002, p.13-24.

GUMBRECHT, Hans Ulrich. Depois de “Depois de aprender com a história”, o que fazer com o passado agora? In: NICOLAZZI, Fernando; MOLLO, Helena; ARAUJO, Valdei (Orgs.). Aprender com a história? o passado e o futuro de uma questão. Rio de Janeiro: FVG, 2011, p. 25-42.

HARTOG, François. Crer em história. Tradução Camila Dias. Belo Horizonte: Autêntica, 2017.

ISAIA, Artur Cesar (Org.). Orixás e espíritos: o debate interdisciplinar na pesquisa contemporânea. Uberlância: Edufu, 2006.

LOPES, José Rogério. Festas e religiosidade popular: estudos antropológicos sobre agenciamentos, reflexividades e fluxos identitários. Porto Alegre: Cirkula, 2014.

MARTINS, Estevão de Rezende. Prefácio – História: filha e mestra do tempo. In: NICOLAZZI, Fernando; MOLLO, Helena; ARAUJO, Valdei (Orgs.). Aprender com a história? o passado e o futuro de uma questão. Rio de Janeiro: FVG, 2011, p. 7-10.

MAUSS, Marcel. Ensaio sobre a dádiva. In: MAUSS, Marcel. Sociologia e antropologia. Tradução Paulo Neves. São Paulo: Cosac Naify, 2003, p. 183-314.

MINOIS, Georges. História do ateísmo: os descrentes no mundo ocidental das origens aos nossos dias. Tradução Flávia Nascimento Falleiros. São Paulo: Unesp, 2014.

MONTEIRO, Ana Maria. Tempo presente no ensino de história: o anacronismo em questão. In: GONÇALVES, Márcia de Almeida (Org.). Qual o valor da história hoje? Rio de Janeiro: Ed. FGV, 2012, p. 191-214.

MONTERO, Paula (Org.). Deus na aldeia: missionários, índios e mediação cultural. São Paulo: Globo, 2006.

PENNA, Fernando de Araújo. Programa “Escola sem partido”: uma ameaça à educação emancipadora. In: GABRIEL, Carmen Teresa; MONTEIRO, Ana Maria; MARTINS, Marcus Leonardo (Orgs.). Narrativas do Rio de Janeiro nas aulas de história. Rio de Janeiro: Mauad X, 2016, p. 43-58.

PENNA, Fernando de Araújo. Ensino de história: operação historiográfica escolar. 2013. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2013.

PEREIRA, Mateus Henrique de Faria. Considerações à relação entre divulgação, historiografia e ensino de História. In: MEDEIROS, Bruno Franco et.al. Teoria e historiografia: debates contemporâneos. Jundiaí: Paco Editorial, 2015, p. 353-365.

PLÁ, Sebastián. Absoluto, nación e historia en la escuela. In: ZAMBONI, Ernesta; GALZERANI, Maria Carolina; PACIEVITCH, Caroline (Orgs.). Memória, sensibilidades e saberes. Campinas: Ed. Alínea, 2015, p. 275-290.

PROST, Antoine. Doze lições sobre a história. Tradução Guilherme João de Freitas Teixeira. Belo Horizonte: Autêntica, 2008.

RIDER, Catherine. Magia e religião na Inglaterra medieval. Tradução Fabíola Cardoso. São Paulo: Madras, 2014.

ROCHA, Helenice. A presença do passado na aula de História. In: MAGALHÃES, Marcelo et.al. (Orgs.). Ensino de história: usos do passado, memória e mídia. Rio de Janeiro: FGV, 2014, p. 33-52.

RODRIGUES, Mara Cristina de Matos; SCHMIDT, Benito Bisso. O professor universitário de história é um professor? reflexões sobre a docência de teoria e metodologia da história e historiografia no ensino superior. Revista História Unisinos, v.21, n.2, p. 169-178, maio/ago., 2017.

ROUSSO, Henry. A última catástrofe: a história, o presente e o contemporâneo. Tradução Fernando Coelho, Fabrício Coelho. Rio de Janeiro: FGV Editora, 2016.

SÁ, Isabel dos Guimarães. Conectando vivos e mortos nos territórios da expansão Ibérica: religião e ritual entre os doadores da Misericórdia do Porto (1500-1700). In: HERMANN, Jacqueline; MARTINS, William de Souza (Orgs.). Poderes do sagrado: Europa católica, América ibérica, África e Oriente portugueses (séculos XVI-XVIII). Rio de Janeiro: Multifoco, 2016, p. 111-138.

SCHMIDT, Benito Bisso. Conhecimento histórico e diálogo social. Revista Brasileira de História, v.34, n.67, p.325-345, 2014.

SILVA, Vagner Gonçalves da (Org.). Intolerância religiosa: impactos do neopentecostalismo no campo religioso afro-brasileiro. São Paulo: Edusp, 2015.

SILVA, Eliane Moura da Silva. Similaridades e diferenças entre estilos de espiritualidade metafísica: o caso do Círculo Esotérico da Comunhão do Pensamento (1908-1943). In: ISAIA, Artur Cesar (Org.). Orixás e espíritos: o debate interdisciplinar na pesquisa contemporânea. Uberlância: Edufu, 2006, p. 225-240.

SOARES, Edio; DROZ, Yvan; GEZ, Yonatan. Butinagem religiosa: a importância da metáfora para pensar o religioso. In: ORO, Ari Pedro et. al. (Org.). A religião no espaço público: atores e objetos. São Paulo: Terceiro Nome, 2012, p. 111-138.

SOUZA, Laura de Mello e. Prefácio. Renovando um tema. In: HERMANN, Jacqueline; MARTINS, William de Souza (Orgs.). Poderes do sagrado: Europa católica, América ibérica, África e Oriente portugueses (séculos XVI-XVIII). Rio de Janeiro: Multifoco, 2016, p.13-17.

SOUZA, Laura de Mello e. O diabo e a Terra de Santa Cruz: feitiçaria e religiosidade popular no Brasil colonial. São Paulo: Companhia das Letras, 2009.

STEIL, Carlos Alberto. Catolicismo e cultura. In: VALLA, Victor Vicent (Org.). Religião e cultura popular. Rio de Janeiro: DP&A, 2001, p. 9-40.

STEPHANOU, Maria. O ensino de história e a produção de conhecimentos. In: FILIPOUSKI, Ana Mariza; MARCHI, Diana; SCHÄFFER, Neiva (Orgs.). Teorias e fazeres na escola em mudança. Porto Alegre: Ed.UFRGS, 2005, p. 165-172.

VAUCHEZ, André. A espiritualidade na idade média ocidental: séculos VIII a XIII. Tradução Lucy Magalhães. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1995.

VEYNE, Paul. O inventário das diferenças. Tradução José Vasco Marques. Lisboa: Gradiva, 1989.




DOI: http://dx.doi.org/10.5965/2175180310242018221

Contato:
Universidade do Estado de Santa Catarina - UDESC
Centro de Ciências Humanas e da Educação - FAED
Programa de Pós-Graduação em História - PPGH
Av. Madre Benvenuta, 2007 - Itacorubi - Florianópolis - SC
CEP: 88.035-001            Telefone: (48) 3664-8585
tempoeargumento@gmail.com