Aniversários do golpe de 1964: debates historiográficos, implicações políticas

Mariana Joffily

Resumo


As datas de aniversários “redondos” do golpe de 1964 foram momentos de efervescência de controvérsias públicas e acadêmicas acerca da ditadura militar. Esse artigo discute algumas delas, em torno dos seguintes temas: o caráter do golpe, a natureza do regime, a relação da sociedade civil com a ditadura, o papel da luta armada e a periodização da ditadura. O propósito é de situar historicamente o surgimento e desdobramento de cada um desses debates, além de problematizar suas repercussões políticas. Constata-se a longevidade e renovação de algumas das discussões, bem como o crescimento significativo do interesse acadêmico e público sobre a ditadura militar e seus legados.

Palavras-chave: Ditadura. Golpe de 1964. Historiografia. História do Tempo Presente. Datas Comemorativas.

Texto completo:

PDF

Referências


“JAMAIS aprovamos qualquer ofensa à dignidade humana”, dizem generais em manifesto. O Estado de S.Paulo, 26 set. 2014.

ANOS depois. Folha de S.Paulo, 31 mar. 2004.

ALVES, Maria Helena Moreira. Estado e oposição no Brasil (1964-1984). Petrópolis: Vozes, 1984.

APOIO editorial ao golpe de 64 foi um erro. O Globo, 31 ago. 2013.

ARAÚJO, Maria Paula. A Utopia fragmentada: as novas esquerdas no Brasil e no mundo na década de 1970. Rio de Janeiro: FGV, 2000.

ARAÚJO, Vera; KAPA, Raphael. Anos de chumbo: general contesta ministro e diz que não haverá pedido de desculpas. O Globo. 23 set. 2014.

ARQUIDIOCESE DE SÃO PAULO. Brasil: Nunca Mais. Petrópolis: Vozes, 1985.

BADARÓ, Marcelo Mattos. O governo João Goulart: novos rumos da produção historiográfica. Revista Brasileira de História. São Paulo, v. 28, n. 55, p. 245-263, 2008.

BARROS, Fernando de. Ditadura, por favor. Folha de S.Paulo, 24 fev. 2009.

BAUER, Caroline Silveira. Como será o passado? Jundiaí: Paco Editorial, 2017.

BBC. South America’s leftward sweep. 2 mar. 2005. Disponível em: http://news.bbc.co.uk/2/hi/americas/4311957.stm. Acesso em: out. 2017.

BENEVIDES, Maria Victória. 64, um golpe de classe?, Lua Nova, n. 58, 2003, p. 255-262.

CARVALHO, Alessandra; CATELA, Ludimila da Silva. 31 de Marzo de 1964 en Brasil. In: JELIN, Elizabeth (Org.). Las conmemoraciones: las disputas en las fechas “in-felices”. Buenos Aires: Siglo Veintuno, 2002, p. 195-244.

CHIRIO, Maud; JOFFILY, Mariana. La verdad de los verdugos. Las comparecencias de los agentes de la represión ante la Comissão Nacional da Verdade de Brasil. Rubrica Contemporanea, v. 5, n. 9, 2016, p. 11-33.

CHIRIO, Maud. A política nos quartéis. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2012.

COMISSÃO ESPECIAL SOBRE MORTOS E DESAPARECIDOS POLÍTICOS (CEMDP), Direito à verdade e à memória. Brasília: Secretaria Especial de Direitos Humanos, 2007.

D’ARAÚJO, Maria Celina; SOARES, Gláucio Ari Dillon; CASTRO, Celso (Org.). Visões do golpe. Rio de Janeiro: Relume-Dumará, 1994a.

D’ARAÚJO, Maria Celina; SOARES, Gláucio Ari Dillon; CASTRO, Celso (Org.). Os anos de chumbo. Rio de Janeiro: Relume Dumará, 1994b.

D’ARAÚJO, Maria Celina; SOARES, Gláucio Ari Dillon; CASTRO, Celso (Org.). A volta aos quartéis. Rio de Janeiro: Relume Dumará, 1995.

D’ARAÚJO, Maria Celina. Taking Stock (with discomfort) of the Military Dictatorship Fifty Years after the 1964 Coup: a Bibliographical Essay. Bras. Political Sci. Rev. Vol. 9, n. 3, p.143-163, 2015.

D’ÁVILA, Sérgio. O dia em que os militares tomaram o poder. Folha de S.Paulo, 31 mar. 2004.

DREIFUSS, René Armand. 1964, a conquista do Estado. Petrópolis: Vozes, 1981.

FERNANDES, Florestan. A ditadura em questão. São Paulo: T.A. Queiroz, 1982.

FERREIRA, Jorge; GOMES, Ângela de Castro. O golpe que derrubou um presidente, pôs fim ao regime democrático e instituiu a ditadura no Brasil. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2014.

FERREIRA, Jorge; REIS, Daniel Aarão. Revolução e democracia 1964... Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2007.

FERREIRA, Jorge. O golpe faz 50 anos. In: ALONSO, Ângela; DOLHNIKOFF, Míriam (Orgs.). 1964, do golpe à democracia. São Paulo: Hedra, 2015, p. 43-69.

FERREIRA, Jorge. O governo Goulart e o golpe civil-militar de 1964. In. FERREIRA, Jorge; DELGADO, Lucilia de Almeida Neves (Orgs). O Brasil republicano. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2003, Livro 3, p. 343-404.

FICO, Carlos. Além do golpe. São Paulo: Record, 2004a.

FICO, Carlos. Como eles agiam. Rio de Janeiro: Record, 2001.

FICO, Carlos. Ditadura militar brasileira: aproximações teóricas e historiográficas. Tempo e Argumento, Florianópolis, v. 9, n. 20, jan.-abr. 2017, p. 5 -74.

FICO, Carlos. O golpe de 1964. Momentos decisivos. Rio de Janeiro: FGV, 2014.

FICO, Carlos. Versões e controvérsias sobre 1964 e a ditadura militar. In: Revista Brasileira de História. 2004b, vol. 24, n. 47, p. 29-60.

FIGUEIREDO, Argelina Cheibub, Democracia ou reformas?: Alternativas democráticas à crise política, 1961-1964. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1993.

FIGUEIREDO, Argelina Cheibub, Democracia & reformas: A conciliação frustrada. In: TOLEDO, Caio Navarro de (Org.). 1964: visões críticas do golpe. Campinas: EdUnicamp, 2014, p. 59-68.

FRANCO, Paula. A escuta que produz a fala: o lugar do gênero nas comissões estaduais e na Comissão Nacional da Verdade (2011-2015). (Dissertação, mestrado em História). UDESC, Florianópolis, 2017.

GASPARI, Elio. A ditadura acabada. Rio de Janeiro: Intrínseca, 2016.

GASPARI, Elio. A ditadura derrotada. São Paulo: Companhia das Letras, 2003.

GASPARI, Elio. A ditadura encurralada. São Paulo: Companhia das Letras, 2004.

GASPARI, Elio. A ditadura envergonhada. São Paulo: Companhia das Letras, 2002a.

GASPARI, Elio. A ditadura escancarada. São Paulo: Companhia das Letras, 2002b.

GORENDER, Jacob. A sociedade cindida. Teoria & Debate, n. 57, mar.-abr., Fundação Perseu Abramo, 2004.

GORENDER, Jacob. Combate nas trevas. São Paulo: Ática, 5a edição, 1998.

GORENDER, Jacob. Era o golpe de 1964 inevitável? In: TOLEDO, Caio Navarro de (Org.). 1964: visões críticas do golpe. Campinas: EdUnicamp, 2014, p. 133-142.

GRAHAL, Clarissa. Das armas às letras: os militares e a constituição de um campo memorialístico de defesa à ditadura empresarial-militar. (Dissertação, mestrado em História). UFSC, 2016.

JELIN, Elizabeth (Org.). Las conmemoraciones: las disputas en las fechas “in-felices”. Buenos Aires: Siglo Veintuno, 2002.

JOFFILY, Mariana; SCHLATTER, Sérgio Luis. Entrevista com Daniel Aarão Reis. Tempo e Argumento. Florianópolis, v. 3, n. 1, p. 239 – 255, jan/jun. 2011.

LEMOS, Renato A “ditadura civil-militar” e a reinvenção da roda historiográfica. Carta enviada ao jornal O Globo, 2012. Disponível em: http://www.ifcs.ufrj.br/~lemp/imagens/textos/A_dita dura_civil-militar_e_a_reinvencao_da_roda_historiografica.pdf. Acesso em: dez. 2012.

LIMITES a Chavez. Folha de S.Paulo, 17 fev. 2009.

MARTINS FILHO, João Roberto. A guerra da memória: a ditadura militar nos depoimentos de militares e militantes. Vária História, Belo Horizonte, n. 28, p. 178-201, 2003.

MARTINS FILHO, João Roberto. Adieu à la dictature militaire?. Brésil(s). Sciences humaines et sociales, no 5, maio, 2014, p. 17-32.

MARTINS FILHO, João Roberto. O palácio e a caserna. São Carlos: EdUFSCar, 1995.

MATTOS, Carlos de Meira. O 31 de março de 1964. Folha de S.Paulo, 31 mar. 2004.

MELO, Demian Bezerra de. (Org.). A miséria da historiografia: uma crítica ao revisionismo contemporâneo. Rio de Janeiro: Consequência, 2014.

MELO, Murilo Fiuza de. Polarização de 64 persiste nas interpretações atuais. Folha de S.Paulo, 31 mar. 2004.

MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL. Crimes da Ditadura. Brasília: MPF, 2017.

MOTTA, Aydano André; OTÁVIO, Chico; LAMEGO, Cláudia. Resistência democrática, dogma que desaba. O Globo, 20 mar. 2004.

MOTTA, Rodrigo Patto Sá. As universidades e o regime militar. Rio de Janeiro: Zahar, 2014b.

MOTTA, Rodrigo Patto Sá. História, memória e as disputas pela representação do passado recente. Patrimônio e Memória, v. 9, p. 56-70, 2013.

MOTTA, Rodrigo Patto Sá. O golpe de 1964 e a ditadura nas pesquisas de opinião. Tempo, 2014, v. 10, p. 1-21.

NAPOLITANO, Marcos. 1964: história do regime militar brasileiro. São Paulo: Contexto, 2014.

NAPOLITANO, Marcos. Historiografia, memória e história do regime militar brasileiro. Resenha. Revista de Sociologia Política, Curitiba, 23, nov. 2004, p. 193-6.

NAPOLITANO, Marcos. O golpe de 64 e o regime militar brasileiro: apontamentos para uma revisão bibliográfica. Contemporanea, v. 2, p. 208-217, 2011.

NAPOLITANO, Marcos. Recordar é vencer: as dinâmicas e vicissitudes da construção da memória sobre o regime militar brasileiro. Antíteses. V. 8, n. 15 esp., nov. 2015, p. 9-44.

NAPOLITANO, Marcos. Roteiro de leituras para o estudo do golpe civil-militar de 1964. In: Guia bibliográfico da FFLCH. São Paulo: FFLCH/USP, 2016.

PAGLIARINI, André. “De onde? Para onde?” The continuity question and the debate over Brail’s “civil”-military dictatorship. Latin American Research Review. 52(5), p. 760-774, 2017.

PIZZA, Daniel. Nos livros, os muito golpes. O Estado de S.Paulo, 31 mar. 2004.

RAMPINELLI, Waldir José. Uma obra grande com grande lacunas. Resenha. Proj. História, São Paulo, v. 31, p. 419-426, dez. 2005.

REIS, Daniel Aarão; RIDENTI, Marcelo; MOTTA, Rodrigo Patto Sá (orgs.). O golpe e a ditadura militar – 40 anos depois (1964- 2004). Bauru: Edusc, 2004.

REIS, Daniel Aarão. A revolução faltou ao encontro. Os comunistas no Brasil. São Paulo: Brasiliense, 1990.

REIS, Daniel Aarão. Ditadura militar, esquerdas e sociedade. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2000.

REIS, Daniel Aarão. A ditadura civil-militar. O Globo, 31 mar. 2012.

REIS, Daniel Aarão. Ditadura e sociedade, as reconstruções da memória. In: __________; RIDENTI, Marcelo; MOTTA, Rodrigo Patto Sá (orgs.). O golpe e a ditadura militar – 40 anos depois (1964- 2004). Bauru: Edusc, 2004, p. 29-52.

REIS, Daniel Aarão. Modernização, ditadura e democracia. 1960-2010, Rio de Janeiro: Objetiva; Madri: Fundación Mapfre, 2014.

RIDENTI, Marcelo. As oposições à ditadura: resistência e integração. In: REIS, Daniel Aarão; __________; MOTTA, Rodrigo Patto Sá. A ditadura que mudou o Brasil. Rio de Janeiro: Zahar, 2014, p. 30-47.

RIDENTI, Marcelo. O fantasma da Revolução Brasileira. São Paulo: EdUnesp, 1993.

RIDENTI, Marcelo. Resistência e mistificação da resistência armada contra a ditadura. In. REIS, Daniel Aarão; RIDENTI, Marcelo; MOTTA, Rodrigo Patto Sá (Orgs.). O golpe e a ditadura militar – 40 anos depois (1964- 2004). Bauru: Edusc, 2004.

RODRIGUES, Fernando da Silva e VASCONCELOS, Cláudio Beserra. Os oficiais brasileiros da reserva e a defesa da memória institucional do “31 de março de 1964”. História Unisinos. 18(3), p. 514-528, set.-dez. 2014

ROLLEMBERG, Denise. “Esquecimento das memórias”. João Roberto Martins Filho (org.). O golpe de 1964 e o regime militar. São Carlos: Ed. UFSCar, 2006, p. 81-91.

ROLLEMBERG, Denise. As Trincheiras da Memória. A Associação Brasileira de Imprensa e a ditadura (1964-1974). In: __________; Quadrat, Samantha Viz (orgs.). A construção social dos regimes autoritários: legitimidade, consenso e consentimento no século XX. Rio de Janeiro, Civilização Brasileira, 2008.

ROLLEMBERG, Denise. Esquecimento das memórias. João Roberto Martins Filho (org.). O golpe de 1964 e o regime militar. São Carlos: Ed. UFSCar, 2006, p. 81-91.

ROLLEMBERG, Denise. Esquerdas revolucionárias e luta armada. In: FERREIRA, Jorge. O governo Goulart e o golpe civil-militar de 1964. In. Jorge Ferreira; Lucilia de Almeida Neves Delgado (Orgs). O Brasil republicano: o tempo da experiência democrática. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2003, Livro 3, p. 43-92.

ROLLEMBERG, Denise. Memória, Opinião e Cultura Política. A Ordem dos Advogados do Brasil sob a Ditadura (1964-1974). IN: REIS, Daniel Aarão; ROLLAND, Denis. (Orgs.). Modernidades Alternativas. Rio de Janeiro: FGV, 2008, p. 57-96

SANTOS, Eduardo Heleno de Jesus e ALVES, Vágner Camilo. Os grupos de pressão formados por militares da reserva e o pensamento anticomunista. Mediações, Londrina, V. 19, n. 1, p. 135-150, jan.-jun. 2014.

SILVA, Fernando de Barros e. Ditadura, por favor. Folha de S. Paulo, 24 fev. 2009.

SOARES, Gláucio Ary Dillon; D’ARAÚJO, Maria Celina (Orgs.). 21 anos de regime militar. Rio de Janeiro: FGV, 1994.

SOARES, Gláucio Ary Dillon. O golpe de 64. In: __________; D’ARAÚJO, Maria Celina (Orgs.). 21 anos de regime militar. Rio de Janeiro: FGV, 1994, p. 9-51.

STEPAN, Alfred. The military in politics. Princenton: Princeton University Press, 1971.

SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL (STF). OAB contesta Lei da Anistia para crimes cometidos em nome do Estado. 21 out. 2008. Disponível em: http://www.stf.jus.br/portal/cms/verNoticiaDetalhe.asp?idConteudo=98024. Acesso em: nov. 2017.

TELES, Janaína Almeida. A atuação dos familiares de mortos e desaparecidos políticos na transição democrática brasileira. In: PIMENTEL, Irene Flunser; REZOLA, Maria Inácia. (Org.). Democracia, Ditadura, Memória e Justiça Política. Lisboa: Tinta da China, 2013, p. 43-66.

TOLEDO, Caio Navarro de. 1964: Golpismo e democracia. As falácias do revisionismo. In: Crítica Marxista, 2004, p. 27-48.

TOLEDO, Caio Navarro de. 1964: visões críticas do golpe. Campinas: EdUnicamp, 2014.

TOLEDO, Caio Navarro de. O governo Goulart e o golpe de 64. São Paulo: Brasiliense, 11a edição, 1991.

VILLA, Marco Antônio. Ditadura à brasileira, Folha de S.Paulo, 5 mar. 2009.

VILLA, Marco Antônio. Jango, um perfil (1945-1964). São Paulo: Globo, 2004.




DOI: http://dx.doi.org/10.5965/2175180310232018204

Contato:
Universidade do Estado de Santa Catarina - UDESC
Centro de Ciências Humanas e da Educação - FAED
Programa de Pós-Graduação em História - PPGH
Av. Madre Benvenuta, 2007 - Itacorubi - Florianópolis - SC
CEP: 88.035-001            Telefone: (48) 3664-8585
tempoeargumento@gmail.com