Fontes telejornalísticas nos domínios de Clio: notas metodológicas

Cássia Rita Louro Palha

Resumo


O texto enfoca notas teórico-metodológicas voltadas para a análise de produtos telejornalísticos, contemplando as características de sua narrativa, seus recursos e códigos de linguagem, a arquitetura de seus gêneros e formatos, bem como as frentes e fontes de trabalho disponíveis ao historiador. Valendo-se das contribuições de Pierre Bourdieu e dos Estudos Culturais Ingleses é abordado o circuito de relações entre os universos da produção, do texto e da circulação/recepção das mensagens; bem como são discutidas as noções de “acontecimento monstruoso” e do “presente hipertrofiado” característicos da sociedade midiática. Neste contexto, destaca-se a centralidade do telejornalismo junto à socialização de uma história pública, em muito dependente daquilo que a grande mídia seleciona e socializa em seus “enquadramentos da memória social”, seja em relação ao passado, seja frente aos registros do tempo presente e imediato.

 

Palavras-chave: Fontes Telejornalísticas.  Sociedade Midiática. Metodologia.


Texto completo:

PDF

Referências


BARBERO, Martín. Dos meios às mediações: comunicação, cultura e hegemonia. Rio de Janeiro: Editora UFRJ, 2001.

BLOCH, Marc. Apologia da história ou o ofício de historiador.Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 2001.

BUSETTO, Áureo. Sintonia com o contemporâneo: a TV como objeto e fonte da história. In: BEIRED, José Luís; BARBOSA, Carlos Alberto. (Orgs). Política e identidade cultural na América Latina São Paulo: Editora UNESP; São Paulo: Cultura Acadêmica, 2010. Disponível on line: (https://repositorio.unesp.br/handle/11449/110771, acesso em 17/06/2015).

BOURDIEU, Pierre. Sobre televisão. Rio de Janeiro: Zahar Editor, 1997.

CHARAUDEAU, Patrick. Discurso das mídias. São Paulo: Contexto, 2006.

CHAUVEAU, Agnès; TÉTARD, Philippe. (Orgs.).Questões para a história do presente. São Paulo: Edusc, 1999.

DOSSE, François. Renascimento do acontecimento. São Paulo: Editora Unesp, 2013.

ESCOSTEGUY, Ana. Cartografias dos estudos culturais: uma versão latino-americana. Belo Horizonte: Autêntica, 2001.

FILHO, João. Por uma nova agenda de investigação da história da TV no Brasil. In: Contracampo: Revista do Programa de Pós-graduação em Comunicação. Niterói: UFF, 2004.

FERRÉS, Joan. Televisão subliminar. Porto Alegre: Artes Médicas, 1998.

FERRÉS, Joan. Televisão e Educação. Porto Alegre: Artes Médicas, 1996.

HALL, Stuart. Codificação/decodificação. In: HALL, S. Da diáspora: identidades e mediações culturais. Belo Horizonte: UFMG; Brasília, 2003.

HARTOG, François. Regimes de historicidade: presentismo e experiências do tempo. Belo Horizonte: Autêntica, 2014.

HERNANDES, Nilton. A mídia e seus truques. São Paulo: Contexto, 2006.

HUYSSEN, Andreas. Seduzidos pela memória. Rio de Janeiro: Aeroplano, 2000.

JAMESON, Fredric. Pós-modernismo, lógica cultural do capitalismo tardio. São Paulo: Ática, 1996.

JOST, François. Seis lições sobre televisão. Porto Alegre: Sulina, 2004.

LE GOFF, Jacques. Memória. In: ROMANO, Ruggiero. (Dir.) Memória-História. Porto: Imprensa Nacional/Casa da Moeda, 1984. (Enciclopédia Einaudi, 1).

LIMA, Venício. Mídia: teoria e política. São Paulo: Perseu Abramo, 2004.

MACHADO, A. A televisão levada a sério. São Paulo: Senac, 2001.

MAUAD, Ana Maria. Dimensões do presente: palavras e imagens de um acontecimento, os atentados ao World Trade Center e ao Pentágono em 11 de setembro de 2001. In: PORTO, Gilson Jr. História do Tempo presente. Bauru: Edusc, 2007.

NAPOLITANO, M. Fontes audiovisuais: a História depois do papel. In: PINSKY, Carla. Fontes históricas. São Paulo: Contexto, 2005.

NORA, Pierre. O retorno do fato. In: LE GOFF, Jacques; NORA, Pierre. (Orgs.) História: novos problemas. 2. ed. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1979.

OROZCO, G. Educomunicação: recepção midiática, aprendizagens e cidadania. São Paulo: Paulinas, 2014.

PALHA, Cássia. A Rede Globo e o seu repórter: imagens políticas de Teodorico a FHC. Tese de doutoramento. Programa de Pós-Graduação em História da Universidade Federal Fluminense. Niterói, 2008.

POLLAK, M. Memória e identidade social. Estudos Históricos, Rio de Janeiro, v.5, n,10, 1992.

RAMONET, Ignácio. Meios de comunicação: um poder a serviço de interesses privados? In: MORAES, Dênis; RAMONET, Ignácio; SERRANO, Pascual. Mídia, poder e contrapoder: da concentração monopólica à democratização da informação. São Paulo: Boitempo; Rio de Janeiro: Faperj, 2013.

RÜSEN, Jörn. Razão Histórica. Teoria da história: os fundamentos da ciência histórica. Brasília: Editora UNB, 2001.

SARLO, Beatriz. Tempo presente: notas sobre a mudança de uma cultura. Rio de Janeiro: José Olympio, 2005.

VÉRON, Eliseo. Ideologia, estrutura e comunicação. São Paulo, Cultrix, 1977.




DOI: https://doi.org/10.5965/2175180309222017236

Contato:
Universidade do Estado de Santa Catarina - UDESC
Centro de Ciências Humanas e da Educação - FAED
Programa de Pós-Graduação em História - PPGH
Av. Madre Benvenuta, 2007 - Itacorubi - Florianópolis - SC
CEP: 88.035-001            Telefone: (48) 3664-8585
tempoeargumento@gmail.com