Tempos de pós-democracia: ausência do povo

Céli Regina Jardim Pinto

Resumo


Este ensaio tratará da crise política que, em termos muito gerais, se caracteriza: 1. pelo esgotamento de modelos de democracia garantidores dos direitos sociais, com o fim da social democracia europeia, o fracasso do ensaio de Obama nos Estados Unidos e a crise dos governos de inspiração populista na América Latina; 2. pela fragilidade das instituições políticas, como garantidoras do funcionamento do pacto democrático; 3. pela crise no sistema político partidário, quando os partidos perdem seu espaço de enunciadores de discursos políticos capazes de interpelarem a sociedade; 4. pela descrença das populações em geral, principalmente dos jovens, na política institucional; 5. pelo aparecimento de grandes manifestações de rua, desde 2011, no mundo em geral, e de 2013, no Brasil; 6. por uma generalizada associação entre política e corrupção.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5965/2175180309212017472

Contato:
Universidade do Estado de Santa Catarina - UDESC
Centro de Ciências Humanas e da Educação - FAED
Programa de Pós-Graduação em História - PPGH
Av. Madre Benvenuta, 2007 - Itacorubi - Florianópolis - SC
CEP: 88.035-001            Telefone: (48) 3664-8585
tempoeargumento@gmail.com