A transição democrática brasileira (1974-1989) pelas lentes de João Batista de Andrade

Alcilene Cavalcante Oliveira

Resumo


Este artigo aborda a relação entre memória e mídia, a partir do longa-metragem, de ficção, A Próxima Vítima (1983), de João Batista de Andrade, partindo da ideia de que um artefato cultural é um suporte de memória. Se um filme, mesmo de modo ficcional, encena aspectos do presente do período no qual é realizado, constitui registros que lhe conferem tal lugar de memória. O filme de Andrade, concebido no início dos anos 1980 e herdeiro da trajetória profissional do diretor, tanto no cinema quanto na televisão, entra nos embates de memória, como testemunho do período de transição democrática no Brasil (1974-1989), seja por sua datação, seja pelo que artificiosamente constrói. No texto, situamos, incialmente, questões que sobressaem na chave memória e mídia; em seguida, passamos pela cinematografia do cineasta, no que se conecta ao filme em questão; a chegada é o filme como memória da transição.

 

Palavras-chave: Cinema e História. Memória. Brasil-História- 1974-1989.


Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA, Milton José. Cinema: arte da memória. Campinas: Autores Associados, 1999.

ANDRADE, João Batista de. O povo fala: um cineasta na área de jornalismo da TV brasileira. São Paulo: Ed. SENAC São Paulo, 2002.

BARTHES, Roland. A estrutura do Fait divers. ___. Essais critiques. Paris: Seuil, 1964, disponível em https://bibliotecadafilo.files.wordpress.com/2013/10/barthes-a-estrutura-dos-fait-divers.pdf. Acesso em 12 de dezembro de 2016.

BLANCHARD, Pascal; VEYRAT-MASSON, Izabelle. Introduction. ___ . Les Guerres de mémoires: La France et son histoire Enjeux politiques, controverses historiques, stratégies médiatiques. Éditions La Découverte, Paris, 2008a, pp. 15-49.

____. Introduction. Les Guerres de mémoires: un objet d’étude, au carrefour de l’histoire et des processus de médiatisation. HERMÈS: revue de l'Institut des sciences de la communication du CNRS (ISCC) nº 52, Les guerres de mémoires dans le monde, pp.13-22, 2008b.

CAETANO, Maria do Rosário (org.). Alguma solidão e muitas histórias: a trajetória de um cineasta brasileiro, ou, João Batista de Andrade: um cineasta em busca da urgência e da reflexão. São Paulo: Imprensa oficial do Estado de São Paulo, 2004.

CAVALCANTE, Alcilene. A representação do passado nas telas: os discursos históricos em filmes de Bemberg e Yamasaki. In: AMANCIO, Tonico (org.). Argentina-Brasil no cinema: diálogos. Niterói: Editora da UFF, 2014, pp. 57-77.

____. A lesbianidade nas telas brasileiras da transição democrática: o protagonismo de Amor maldito, de Adélia Sampaio. Revista Eletrônica Documento/monumento. Relações de Gênero e saberes: mulheres, história e novas narrativas. vol. 18, pp. 142-155, 2016. Disponível http://www.ufmt.br/ndihr/revista/

DIDI-HUBERMAN, Georges. Diante do tempo. Trad. Alberto Pucheu. Revista Polichinelo. Disponível em: www.revistapolichinelo.blogspot.com.br/2011/03. Acesso em 24 de janeiro de 2017.

FERREIRA, Jonatas; AMARAL, Aécio. Memória eletrônica e desterritorialização. Política e Sociedade. n° 4, p. 137 – 166, abril de 2004.

FERRO, Marc. O conhecimento histórico, os filmes, as mídias. Revista Eletrônica O Olho da História, 2004. www.oolhodahistoria.ufba.br

FICO, Carlos. Prezada Censura: cartas ao regime militar. TOPOI - Revista de História, Rio de Janeiro, v. 5, p. 251-286, 2002.

___. Versões e controvérsias sobre 1964 e a ditadura militar. In: Revista Brasileira de História. São Paulo, v.24, n.47, p.29-60, 2004.

___; ARAUJO, Maria Paula; GRIN, Monica (orgs). Violência na História: memória, trauma e reparação. Rio de Janeiro: Ponteio, 2012. pp. 25-38.

FRANÇA, Andréa. A reencenação no cinema documentário. MATRIZes Ano 4, nº 1 jul./dez., 149-161, 2010.

FILMER LE PASSE: Les traces et la mémoire; No pasaran! Albulll souvenir. Paris, L' Harmattan, 2003.

HUYSSEN, Andreas. Seduzidos pela memória: arquitetura, monumentos, mídia. Rio de Janeiro: Aeroplano, 2000.

___. Culturas do passado-presente: modernismos, artes visuais, políticas da memória. Rio de Janeiro: Contraponto: Museu de Arte do Rio, 2014.

LAGNY, Michèle. Imagens audiovisuais e história do tempo presente. Revista Tempo e Argumento. Florianópolis, v. 4, n. 1 p. 23 – 44, jan/jun. 2012.

NEVES, Frederico de Castro. Armadilhas nordestinas: O homem que virou suco. In SOARES, Mariza de Carvalho e FERREIRA, Jorge (Orgs.). A História vai ao cinema. Rio de Janeiro: Record, 2001

NORA, Pierre. Entre a memória e a história: a problemática dos lugares. Trad. Yara Khoury. In: Projeto História. Revista do programa de Estudos Pós-Graduados em História e do Departamento de História da PUC/SP. São Paulo: PUC SP, 1981.

_____. L'événement monstre. In: Communications, 18, pp. 162-172, 1972.

POLLACK, Michael. Memória, esquecimento e silencio. In: Estudos Históricos, Rio de Janeiro, vol 2. nº 3, 1989. pp. 3-15.

RAGO, Margareth. A prostituição ontem e hoje. In: J. G. C. Grillo; R. Garrafoni; P. P. Funari, Sexo e Violência. São Paulo: Annablume, 2011, pp. 211-225.

RAMOS, Alcides. O cinema de João Batista de Andrade e a resistência à ditadura militar brasileira (1964-1985). Perseu: História, memória e política. São Paulo: EPA, nº1, ano 1, pp. 315-335, 2007.

REIS FILHO, Daniel Aarão. Ditadura e democracia no Brasil: do golpe de 1964 à Constituição de 1988. Rio de Janeiro: Zahar, 2014.

ROUSSO, Henry. Face au passé: essais sur la mémoire contemporaine. Paris, Belin, 2016a

____. A última catástrofe: a história, o presente, o contemporâneo. Trad. Fernando Coelho, Fabrício Coelho. Rio de Janeiro: FGV Editorial, 2016b

____. Vers une mondialisation de la mémoire. Vingtième Siècle. Revue d’Histoire, 2007/2 no 94, p. 3-10.

SOBRINHO. Gilberto. João Batista de Andrade, o cinema de intervenção e a voz política: corpos, dramatização e encenação do real. In: BEATRIZ, Dilma; ROCHA, Juliano; SOBRINHO, Gilberto; ROSSINI, Miriam de Souza (Organizadores). Televisão: formas audiovisuais de ficção e documentário. Palhoça: Ed. Unisul, 2013, pp 12-26.

STAM, Robert. Multiculturalismo tropical: uma história comparativa da raço na cultura e no cinema brasileiros. São Paulo: EDUSP, 2008.




DOI: https://doi.org/10.5965/2175180309212017043

Contato:
Universidade do Estado de Santa Catarina - UDESC
Centro de Ciências Humanas e da Educação - FAED
Programa de Pós-Graduação em História - PPGH
Av. Madre Benvenuta, 2007 - Itacorubi - Florianópolis - SC
CEP: 88.035-001            Telefone: (48) 3664-8585
tempoeargumento@gmail.com