Ciência e hereditariedade na história de um assassino em série: em busca do gene perdido de Febronio

Leonardo Dallacqua de Carvalho, Breno Sabino Leite de Souza

Resumo


Este artigo pretende analisar a relação entre alcoolismo e hereditariedade a partir do estudo de caso do conhecido assassino em série da década de 1920, Febronio Indio do Brasil. Inicialmente, pretendemos mostrar o desenvolvimento da conduta criminal de Febronio no periódico Correio da Manhã e a construção da imagem de um indivíduo propenso à criminalidade. Tal questão nos levará à análise do Boletim Anti-alcoolico que, em circulação em 1929, explicaria a condição de Febronio por consequência do alcoolismo paterno, gestando um indivíduo propenso à criminalidade. Assim, características hereditárias foram apontadas como causadoras de seu desvio de conduta. Portanto, observaremos os discursos médicos e científicos da época na tentativa de explicar a hereditariedade de Febronio e suas motivações criminais, principalmente em vista de discurso de um campo mais amplo composto por médicos, antropólogos e cientistas que desenvolveram trabalhos na área de criminologia, um interesse recorrente no pensamento científico do período.

 

Palavras-chave: BRASIL, Febronio Indio do; Alcoolismo e crime; Hereditariedade; Assassinos; Homicidas em série.


Texto completo:

PDF

Referências


Este artigo pretende analisar a relação entre alcoolismo e hereditariedade a partir do estudo de caso do conhecido assassino em série da década de 1920, Febronio Indio do Brasil. Inicialmente, pretendemos mostrar o desenvolvimento da conduta criminal de Febronio no periódico Correio da Manhã e a construção da imagem de um indivíduo propenso à criminalidade. Tal questão nos levará à análise do Boletim Anti-alcoolico que, em circulação em 1929, explicaria a condição de Febronio por consequência do alcoolismo paterno, gestando um indivíduo propenso à criminalidade. Assim, características hereditárias foram apontadas como causadoras de seu desvio de conduta. Portanto, observaremos os discursos médicos e científicos da época na tentativa de explicar a hereditariedade de Febronio e suas motivações criminais, principalmente em vista de discurso de um campo mais amplo composto por médicos, antropólogos e cientistas que desenvolveram trabalhos na área de criminologia, um interesse recorrente no pensamento científico do período.

Palavras-chave: BRASIL, Febronio Indio do; Alcoolismo e crime; Hereditariedade; Assassinos; Homicidas em série.




DOI: http://dx.doi.org/10.5965/2175180308182016385

Contato:
Universidade do Estado de Santa Catarina - UDESC
Centro de Ciências Humanas e da Educação - FAED
Programa de Pós-Graduação em História - PPGH
Av. Madre Benvenuta, 2007 - Itacorubi - Florianópolis - SC
CEP: 88.035-001            Telefone: (48) 3664-8585
tempoeargumento@gmail.com