Raul Pederneiras viajante: as transformações da década de 1920 através do livro Nós pelas costas: notas soltas de um caderno de viagem

Pedro Krause Ribeiro

Resumo


Este artigo analisa a obra de Raul Pederneiras, Nós pelas costas: notas soltas de um caderno de viagens, objetivando demonstrar como o seu autor, figura célebre do Rio de Janeiro no início do século XX, quase chegando aos cinquenta anos de idade e em meio à crise da belle époque carioca, ressignificou o seu Rio de Janeiro, através da sua viagem à Europa entre os anos de 1927 e 1928, utilizando para tal a ótica do humor. Partimos da hipótese de que Raul Pederneiras não foi somente fazer uma viagem como observador da sociedade e das cidades europeias, mas também foi procurar nas suas capitais, notadamente Paris e Roma, explicações para as transformações políticas e intelectuais da década de 1920, como as diversas alternativas de modernidade, a crise da política da Primeira República brasileira e a ascensão dos regimes autoritários na Europa. Nesse caso, consideramos que a viagem de Raul Pederneiras foi uma experiência política na urbe, apresentada ao público através de um exercício da escrita de si.

 

Palavras-chave: Rio de Janeiro – História; PEDERNEIRAS, Raul Paranhos  - 1874-1953 – Autobiografia; Humor, Narrativas.


Texto completo:

PDF

Referências


ARGAN, Giulio Carlo. História da arte como história da cidade. São Paulo: Martins Fontes, 1992.

BENJAMIN, Walter e LACIS, Asja. Naples. In: BENJAMIN, Walter. Reflections essays, aphorisms, autobiographical writings. New York: Harcourt Brace Jovanovich, 1978, p. 167-173.

CERTEAU, Michel de. A invenção do cotidiano. Petrópolis: Editora Vozes, 1998.

LAHUERTA, Milton. Os intelectuais e os anos 20: moderno, modernista, modernização. In: COSTA, W.P; LORENZO; H.C (orgs). A década de 1920 e as origens do Brasil moderno. São Paulo: Unesp, 2002.

LIMA, Herma. História da caricatura no Brasil. 4v. Rio de Janeiro: José Olympio, 1964.

LILTI, Antoine. The Writing of Paranoïa: Jean-Jacques Rousseau and the Paradoxes of Celebrity. Representations, n. 103, p. 5-80, Summer 2008.

_______. Reconhecimento e celebridade: Jean-Jacques Rousseau e a política do nome próprio. Tradução de Raquel Campos. Topoi. Revista de História, Rio de Janeiro, v. 15, n. 29, p. 635-649.

LUSTOSA, Isabel. Brasil pelo método confuso: humor e boemia em Mendes Fradique. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1993.

MACHADO NETO, Antonio Luís. Estrutura social da república das letras: sociologia da vida intelectual brasileira, 1870-1930. São Paulo: Grijalbo, Ed. da Universidade de São Paulo, 1973.

METZNER, Paul. Crescendo of the Virtuoso: Spectacle, Skill, and Self-promotion in Paris During the Age of Revolution. California: University of California Press, 1998.

NERY, Laura Moutinho. Cenas da Vida Carioca: Raul Pederneiras e a belle époque do Rio de Janeiro. Dissertação de Mestrado, Departamento de História da PUC-RJ. Rio de Janeiro: 17 de outubro de 2000.

OLIVEIRA, Lúcia Lippi. A questão nacional na Primeira República. São Paulo: Brasiliense; Brasília: CNPq, 1990.

SILVA, Rogério Souza. Modernidade em desalinho: costumes, cotidiano e linguagens na obra humorística de Raul Pederneiras (1898-1936). Tese de Doutorado. São Paulo: Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, 2014.

VELLOSO, Mônica Pimenta. Modernismo no Rio de Janeiro: turunas e quixotes. Petrópolis: KBR, 2015.




DOI: https://doi.org/10.5965/2175180308182016157

Contato:
Universidade do Estado de Santa Catarina - UDESC
Centro de Ciências Humanas e da Educação - FAED
Programa de Pós-Graduação em História - PPGH
Av. Madre Benvenuta, 2007 - Itacorubi - Florianópolis - SC
CEP: 88.035-001            Telefone: (48) 3664-8585
tempoeargumento@gmail.com