De tablet para tablet - novas ferramentas para a pesquisa e o ensino da história das culturas cuneiformes na era digital

Dominique Vieira Coelho dos Santos

Resumo


Resumo

A chamada era digital tem possibilitado formas de diálogo e interação que outrora sequer poderíamos imaginar; sem dúvida, uma nova realidade para várias subáreas da História Antiga. Ampliaram-se as possibilidades para a pesquisa e o ensino da história das culturas cuneiformes, principalmente em países com pouca tradição acadêmica nesta área específica, como é o caso do Brasil. Afastados das grandes universidades e principais centros de estudo, professores e estudantes desafiam limitações financeiras, impedimentos burocráticos e barreiras linguísticas para ter acesso ao que de mais atual vem sendo produzido neste campo, no qual a sistematização digital das informações se tem constituído em ferramenta decisiva para auxiliar os interessados na temática. Apesar disso, dos 74% deprofessores brasileiros de História Antiga que pesquisam ou Grécia ou Roma, apenas 2,17% são assiriólogos. O objetivo deste artigo é discutir algumas destas questões.

Palavras-chave: Cultura Cuneiforme – História; História Antiga – estudo e ensino; Internet na educação.


Texto completo:

. . . . . . . . . . . HTML PDF

Referências


BOUZON, E. As Cartas de Hammurabi. 1. ed. Petropolis: Vozes, 1986. 240 p.

BOUZON, E.. Contratos pre-hammurabianos do reino de Larsa. 1. ed. Porto Alegre: Edipucrs, 2000. v. 1. 391p .

BOUZON, E..O Código de Hammurabi. 10. ed. Petrópolis: Vozes, 2003. 238 p.

BOUZON, E.. Uma coleção de direito babilônico pré-hammurabiano: leis do reino de Esnunna. 1. ed. Petrópolis: Editora Vozes, 2001. v. 1, 207 p.

CAMPOS, Carlos Eduardo da Costa. Repensando a história antiga: debates e questionamentos. In: Eliana Silveira; Margaret Bakos. (Org.). vida, cotidiano e morte. 1. ed. Porto Alegre: Letra & Vida, v. 1, 2012. p. 13-18.

CANDIDO, Maria Regina. A pesquisa de Antiguidade Clássica no Brasil. In: ZIERER, Adriana; XIMENDES, Carlos Alberto. História antiga e medieval: cultura e ensino. São Luís: Editora UEMA, 2009.

CARDOSO, Ciro Flamarion. Uma coleção de direito pré-hammurabiano: leis do reino de Eshnunna, de Emanuel Bouzon (resenha). Atualidade teológica. Rio de Janeiro: PUCRJ, v. 5, p. 249-250, 2001.

CARDOSO, Ciro Flamarion. Bouzon, M. (Org.). O modo de produção asiático:nova visita a um velho conceito. Rio de Janeiro: Campus, 1991.

CARDOSO, Ciro Flamarion; Bouzon, M. (Org.).. Deuses, múmias e ziggurats: uma comparação das religiões antigas do Egito e da Mesopotâmia. Porto Alegre: Editora Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, 1999.

CARDOSO, Ciro Flamarion; Bouzon, M. (Org.). _____Modo de produção asiático: nova visita a um velho conceito. Rio de Janeiro: Campus, 1990. 137 p.

CARVALHO, Maria Margarida; FUNARI, Pedro. Paulo. Os avanços da história antiga no Brasil: algumas ponderações. História, v. 26, n. 1, p.00-00, 2007.

CERQUEIRA, Fábio Vergara. De Ur a Atenas: difusão de tradições musicais e organológicas. In: POZZER, Katia Maria Paim; SILVA, Maria Aprecida Oliveira; PORTO, Vagner Cavalheiro. (Org.). Um outro mundo antigo. 1. ed.São Paulo: Editora Annablume, v. 1, 2013.

DAINTITH, John; WRIGHT, Edmund. A Dictionary of computing. 6. ed.. Oxford: Oxford University Press, 2008.

DANIEL, Dominique. Teaching students how to research the past: historians and librarians in the digital age. The History Teacher, v. 45, n. 2, p.00-00, 2012.

DARNTON, Robert. A questão dos livros: passado, presente e futuro. Local : Companhia das Letras, 2010.

FAVERSANI, Fábio.; CAMPOS, Carlos Eduardo da Costa . Prof. Fábio Faversani ressalta o crescimento dos estudos da antiguidade no Brasil. Rio de Janeiro: UERJ, 2009 (Entrevista). Philía - Jornal Informativo de História Antiga, ano XII, n. 32., nov./dez., p.00-00, 2009.

FUNARI, Pedro Paulo. Apresentação. In: FUNARI, Pedro Paulo Abreu (Org.). Repensando o mundo antigo. Campinas: IFCH/UNICAMP, 2005. Col. Textos Didáticos, n. 47.

GARRAFFONI, Renata Sena.; FUNARI, Pedro Paulo Considerações sobre o estudo da Antiguidade Clássica no Brasil. Acta Scientiarum: Education. v. 32, n. 1, p. 1-6, 2010.

LUCCHESI, Anita. História e historiografia digital: diálogos possíveis em uma nova esfera pública. In: SIMPÓSIO NACIONAL DE HISTÓRIA: CONHECIMENTO HISTÓRICO E DIÁLOGO SOCIAL, XXVII, Natal, 2013.. Anais.... Natal: ANPUH,2013. v. 1. p. 1-17,

LUCCHESI, Anita. .Sopravviverà la storia all’ipertesto? Qualche spunto sulla scrittura della storia ai tempi di internet. Diacronie: studi di storia contemporanea, v. 12, p. 1-18, 2012.

MARQUES, Juliana Bastos. Trabalhando com a história romana na Wikipédia: uma experiência em conhecimento colaborativo na universidade. Revista História Hoje, v. 2, p. 329-346, 2013.

POZZER, Kátia Maria Paim. Réquiem para Emanuel Bouzon. Phoinix. Rio de Janeiro: UFRJ, v. 12, p. 295-297, 2006.

SANTOS, Dominique; CONTADOR, Ana Letícia; CRESCENCIO, Aniele Almeida. Representações do espaço da cidade na epopeia de gilgamesh: a Uruk das grandes muralhas. Revista Sapiência, v. 1, p. 115-129, 2012.

SAWAYA, Márcia Regina. Dicionário de informática e internet. São Paulo: Nobel, 1999.

SILVA, Glaydson José da. Os avanços da história antiga no Brasil. In: SIMPÓSIO NACIONAL DE HISTÓRIA: ANPUH 50 anos, XXVI, , julho de 2011.: Anais.., São Paulo: ANPUH< 2011.

SILVA, Semíramis Corsi. Aspectos do ensino de história antiga no Brasil: algumas observações. Alétheia: Revista de Estudos sobre Antiguidade e Medievo, v. 1, p.00-00, 2010.

TAVARES, Célia Cristina da Silva. História e informática. In: CARDOSO, Ciro Flamarion, VAINFAS, Ronaldo (Orgs.). Novos domínios da história. Rio de Janeiro, Elsevier, 2012.




DOI: http://dx.doi.org/10.5965/2175180306122014212

Contato:
Universidade do Estado de Santa Catarina - UDESC
Centro de Ciências Humanas e da Educação - FAED
Programa de Pós-Graduação em História - PPGH
Av. Madre Benvenuta, 2007 - Itacorubi - Florianópolis - SC
CEP: 88.035-001            Telefone: (48) 3664-8585
tempoeargumento@gmail.com