Restos do passado a salvo: orkut, memória e identidade em São Rafael/RN

Francisco das Chagas Silva Souza

Resumo


Em princípios dos anos 1980, um projeto do governo federal prometeu o desenvolvimento socioeconômico do semiárido do Rio Grande do Norte por meio da construção de uma grande barragem. Esse empreendimento causou a submersão do município de São Rafael. Três décadas depois, a população dessa cidade passou a usar o orkut para reconstruir a sua memória. Essa rede social se tornou um repositório de fotografias da antiga São Rafael, geralmente acompanhadas de depoimentos cheios de saudosismos. Este artigo analisa o papel assumido pelo orkut como um museu aberto, no qual se disponibilizam imagens, devidamente comentadas. Defendemos que essa rede social, que vivia seu auge há três anos, converteu-se num lugar de memória durante o tempo em que foi usada pela população de São Rafael como suporte para “salvar” restos do passado e, assim, construir uma memória e uma identidade de grupo.

Palavras-chave: São Rafael (RN ) - História; Redes de relações sociais; Orkut; Memória.


Texto completo:

HTML PDF

Referências


BACHELARD, Gaston. A poética do espaço. Trad. Antonio de P. Danesi. 2.ed. São Paulo: Martins Fontes, 2008.

BAUMAN, Zygmunt. Identidade. Trad. Carlos A. Medeiros. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 2005.

BAUMAN, Zygmunt. Tempos líquidos. Trad. Carlos A. Medeiros. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 2007.

BENJAMIN, Walter. O narrador: considerações sobre a obra de Nikolai Leskov. In: Magia e técnica, arte e política: ensaios sobre literatura e história da cultura. Trad. Sérgio P. Rouanet. São Paulo: Brasiliense, 1994. p. 197-221.

BONETI, Lindomar Wessler. O silêncio das águas: políticas públicas, meio ambiente e exclusão social. 2.ed. Ijuí: Ed. Unijuí, 2003.

BORGES, Maria Elisa Linhares. História & fotografia. 2.ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2008.

BURKE, Peter. O historiador como colunista. Trad. Roberto Muggiati. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2009.

CARVALHO, Jô (Coord.). São Rafael: memória de uma cidade submersa. Natal: EDUFRN, 1999.

CYRULNIK, Boris. O murmúrio dos fantasmas. Trad. Sônia Sampaio. São Paulo: Martins Fontes, 2005.

DANTAS, Eugênia Maria. Fofografia & complexidade: a educação pelo olhar. 2003. 225f. Tese (Doutorado em Educação). Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Natal.

DYER, Geoff. O instante contínuo. Trad. Donaldson M. Garschagen. São Paulo: Companhia das Letras, 2008.

FARIAS, Arleno. Atlântida do Sertão. Cd. 1998.

FERNANDES, Ana Amélia. Autoritarismo e resistência no Baixo-Açu. Natal: CCHLA, 1992.

FISCHER, Beatriz Terezinha Daudt. Introdução: De enguias e outras metáforas. In: ______. (Org.) Tempos de escola: memórias. São Leopoldo: Oikos; Brasília: Líber Livro, 2011. p. 17-23.

HALBWACHS, Maurice. A memória coletiva. Trad. Beatriz Sidou. São Paulo: Centauro, 2006.

HALL, Stuart. A identidade cultural na pós-modernidade. 7. ed. Trad. Tomaz Tadeu da Silva e Guacira Lopes Louro. Rio de Janeiro: DP&A Editora, 2003.

IZQUIERDO, Iván. Memória. 2. ed. Porto Alegre: Artmed, 2011.

KOSSOY, Boris. História e fotografia. 2.ed. São Paulo: Ateliê Editorial, 2001.

KOSSOY, Boris. Os tempos da fotografia: o efêmero e o perpétuo. São Paulo: Ateliê Editorial, 2007.

LE GOFF, Jacques. História e memória. Trad. Irene Ferreira, Bernardo Leitão e Suzana F. Borges. 5. ed. Campinas-SP: Editora da Unicamp, 2003.

LÉVY, Pierre. As tecnologias da inteligência: o futuro do pensamento na era da informática. Trad. Carlos Irineu da Costa. São Paulo: Editora 34, 1997.

MORIN, Edgar. Edgar Morin, 2001. Disponível em: . Acesso em: 5 out. 2010.

MORIN, Edgar. O método 2: a vida da vida. Trad. Marina Lobo. Porto Alegre: Sulina, 2005.

MORIN, Edgar.. Os sete saberes necessários à educação do futuro. Trad. Catarina E. F. da Silva e Jeanne Sawara. 11.ed. São Paulo: Cortez; Brasília-DF: UNESCO, 2006.

NORA, Pierre. Entre memória e história: a problemática dos lugares. Trad. Yara A. Khoury. In: Projeto História. São Paulo: EDUC, n. 10, dez. 1993. p. 7-28.

NORA, Pierre. Pierre Nora, ou o historiador da memória. Entrevista concedida a Ana Cláudia F. Brefe. In: História social, Campinas-SP, n. 6, 1999. p. 13-33.

PESSOTTI, Isaías. Entre o fascínio do passado e o enigma do futuro. Margem. n. 5, São Paulo: EDUC, 1996. p. 69-79.

POLLAK, Michael. Memória, esquecimento, silêncio. Trad. Dora R. Flaksman. Estudos históricos, Rio de Janeiro, v. 2, n. 3, 1989. p. 3-15.

POLLAK, Michael. Memória e identidade social. Trad. Monique Augras. Estudos históricos, Rio de Janeiro, v. 5, n. 10, 1992. p. 200-212.

SOUZA, Francisco das Chagas Silva. Escafandristas do tempo: narrativas de vida e regeneração da memória em São Rafael-RN. 2010. 221f. Tese (Doutorado em Educação) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2010.

VARGAS, Nazira A. Barragens: o clamor dos beiradeiros. 1991. 770f. Tese (Doutorado em Ciências Sociais) - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 1991.




DOI: https://doi.org/10.5965/2175180306122014111

Contato:
Universidade do Estado de Santa Catarina - UDESC
Centro de Ciências Humanas e da Educação - FAED
Programa de Pós-Graduação em História - PPGH
Av. Madre Benvenuta, 2007 - Itacorubi - Florianópolis - SC
CEP: 88.035-001            Telefone: (48) 3664-8585
tempoeargumento@gmail.com