O retorno do Imortal: D. Pedro I mitificado pelos militares nas representações imagéticas das Revistas O Cruzeiro e Manchete no Sesquicentenário da Independência (1972)

Cristina Ferreira, Evander Ruthieri S. da Silva

Resumo


Este artigo intenciona problematizar as imagens veiculadas nas revistas O Cruzeiro e Manchete no ano do Sesquicentenário da Independência do Brasil. Neste evento comemorativo, a figura do monarca D. Pedro I, representante da “unificação do país”, fica evidenciada nos anais da história pátria, após um acordo diplomático luso-brasileiro e a chegada de parte do corpo do Imperador ao Brasil, com exceção do coração, deixado por ele em testamento à cidade do Porto. A estratégia do regime militar brasileiro em conduzir D. Pedro I à virtude por meio da reelaboração positiva de sua figura está relacionada às suas façanhas militares realizadas no comando do exército liberal em Portugal, a partir de 1828, quando luta contra o governo absolutista de seu irmão, D. Miguel. As representações imagéticas do traslado ao Brasil de seus restos mortais, em abril de 1972, no governo do General Médici, demonstram a simbologia dos elementos de memória evocados pela política do Estado autoritário, sedenta por atos comemorativos e envolta em cerimoniais de cunho espetacular. A ampla divulgação veiculada pelas revistas está vinculada a uma clara intenção dos militares em apropriar-se de atos comemorativos para mitificar a figura de D. Pedro I no panteão dos heróis nacionais, a partir da utilização de aspectos da história pátria e arsenais imagéticos carregados de significados propulsores da memória.

Palavras-chave: Representações imagéticas; D. Pedro I; Memória; O Cruzeiro; Manchete.


Texto completo:

HTML PDF

Referências


BATALHA, Cláudio Henrique de Moraes. Nós, filhos da revolução francesa: a imagem da revolução no movimento operário brasileiro no início do século XX. Revista Brasileira de História, v. 10, n. 20, p. 233-249, mar-ago de 1991.

BITTENCOURT, Circe. As tradições nacionais e o ritual das festas cívicas. In: PINSKY, Jaime. O ensino de história e a criação do fato. São Paulo: Contexto, 1988.

CARVALHO, José Murilo. A formação das almas: o imaginário da República no Brasil. São Paulo: Companhia das Letras, 1993.

CASTRO, Celso. Entre Caxias e Osório: a Criação do Culto ao Patrono do Exército Brasileiro. Revista Estudos Históricos. v.14, n.25, p.103-117, 2000.

CERTEAU, Michel de. A escrita da história. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1982.

CHARTIER, Roger. A História cultural: entre práticas e representações. RJ: Bertrand, 1990.

CHARTIER, Roger. Imagens. In: BURGUIÈRE, André (Org.). Dicionário das ciências históricas. Rio de Janeiro: Imago, 1993.

CHARTIER, Roger. Os desafios da escrita. São Paulo: UNESP, 2002.

CHARTIER, Roger. Prólogo. In: . Cultura escrita, literatura e história. Porto Alegre: Artmed, 2001, p. XIII.

DELGADO, Lucilia de Almeida Neves. O Governo João Goulart e o golpe de 1964: memória, história e historiografia. Tempo, Niterói, v. 28, p.123-143, 2010.

ENDERS, Armelle. O Plutarco Brasileiro: a produção dos vultos nacionais no segundo império. Revista Estudos Históricos. v.14, n.25, p.41-62, 2000.

FEREIRA, Jorge. O governo Goulart e o golpe-civil militar de 1964. In: FEREIRA, Jorge; DELGADO, Lucilia de Almeida Neves. (Orgs) O Brasil Republicano (v. 3). Rio de Janeiro: Civ. Brasileira, 2003.

FICO, Carlos. Reinventando o otimismo: ditadura, propaganda e imaginação social no Brasil. Rio de Janeiro: FGV, 1997.

GAVA, José Estevam. Momento Bossa Nova: Arte e modernidade sob os olhares da Revista O Cruzeiro. Estudos em Jornalismo e Mídia, v. .2, n.1, p.134-146, 2005.

GONÇALVES, Márcia de Almeida. Em terreno movediço: biografia e história na obra de Octávio Tarquínio de Sousa. Rio de Janeiro: EdUERJ, 2009.

GUIMARÃES, Manoel Luiz Salgado. O presente do passado: as artes de Clio em tempos de memória. In: ABREU, Martha. SOIHET, Rachel. GONTIJO, Rebeca. (Orgs). Cultura política e leituras do passado: historiografia e ensino de história. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2007.

KOSSOY, Boris. Os tempos da fotografia: o efêmero e o perpétuo. Cotia, SP: Ateliê Editorial, 2007.

LE GOFF, Jacques. História e memória. Campinas: Editora da UNICAMP, 1990.

LIMA, Solange Ferraz de; CARVALHO, Vânia Carneiro. Fotografias: usos sociais e historiográficos. In: PINSKY, Carla Bassanezi; LUCA, Tania Regina de (Orgs). O historiador e suas fontes. São Paulo: Contexto, 2011.

NAPOLITANO, Marcos. A História depois do papel. In: PINSKY, Carla Bassanezi. Fontes históricas. São Paulo: Contexto, 2010.

NORA, Pierre. Entre memória e história: a problemática dos lugares. Projeto história: história e cultura, n. 10. São Paulo: Educ, 1993.

ORLANDI, Eni Puccinelli. Vão surgindo sentidos. In: ORLANDI, Eni Puccinelli. (Org.) Discurso fundador: a formação do país e a construção da identidade nacional. Campinas: Pontes, 1993.

PACHECO, Ricardo de Aguiar. Cultura política: as mediações simbólicas do poder. In: PESAVENTO, Sandra Jatahy; SANTOS, Nádia Maria Weber; ROSSINI, Miriam de Souza.

(Orgs). Narrativas, imagens e práticas sociais: percursos em história cultural. Porto Alegre: Asterisco, 2008.

POLLAK, Michel. Memória, esquecimento, silêncio. Revista Estudos Históricos. Rio de Janeiro, v.2, n.3, p.03-15, 1989.

REIS FILHO, Daniel Aarão. O colapso do colapso do populismo ou a propósito de uma herança maldita. In FERREIRA, Jorge. (Org). O populismo e sua história: debate e crítica. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2001.

RYAN, Mary. A parada norte-americana: representações da ordem social do século XIX. In: HUNT, Lynn. A nova história cultural. São Paulo: Martins Fontes, 1992.

SCHWARCZ, Lilia Moritz. O espetáculo das raças: cientistas, instituições e a questão racial no Brasil. São Paulo: Cia. das Letras, 1993.

SERPA, Élio Cantalício. 1972: Sesquicentenário da independência: uma estética para a nação. Memória, poder e tecnologia. In: RAMOS, Alcides Freire; PATRIOTA, Rosangela; PESAVENTO, Sandra Jatahy (Orgs.). Imagens na história. São Paulo: Aderaldo & Rothschild, 2008. p.213-232.

SETEMY, Adrianna Cristina Lopes. Em defesa da moral e dos bons costumes: a censura de periódicos no regime militar (1964-1985). Dissertação (mestrado) – Universidade Federal do Rio de Janeiro, Mestrado em História, Rio de Janeiro, 2008.

TURAZZI, Maria Inez. Quadros de história pátria: fotografia e cultura histórica oitocentista. In: FABRIS, Anneteresa. KERN, Maria Lúcia Bastos. (Orgs). Imagem e conhecimento. São Paulo: Ed. da USP, 2006.




DOI: https://doi.org/10.5965/2175180306112014355

Contato:
Universidade do Estado de Santa Catarina - UDESC
Centro de Ciências Humanas e da Educação - FAED
Programa de Pós-Graduação em História - PPGH
Av. Madre Benvenuta, 2007 - Itacorubi - Florianópolis - SC
CEP: 88.035-001            Telefone: (48) 3664-8585
tempoeargumento@gmail.com