A internet, um novo espaço de disputa pela memória da ditadura militar no Brasil

Sonale Diane Pastro de Oliveira, Maria Gabriela da Silva Martins da Cunha Marinho

Resumo


A pós-modernidade que, a priori parecia ter lançado a História no campo da irrelevância, acabou por desencadear um movimento de valorização da memória. No Brasil, a aprovação do 3º Plano Nacional de Direitos Humanos (PNDH-3, 2010) transformou essa tendência em política pública, ao adotar como um de seus eixos norteadores o “Direito à Memória e à Verdade”. Esta iniciativa governamental, aliada ao novo paradigma da comunicação, acirrou uma disputa em torno da construção da memória coletiva sobre o período da Ditadura Militar no Brasil, transformando a internet em palco privilegiado desse embate. A importância do tema deriva da compreensão da memória enquanto fator de coesão e de afirmação de valores; transformada em discurso, a memória pode influenciar o comportamento social e interferir no exercício do poder. Desse modo, analisando dois sites representativos, pretendemos resgatar os valores em torno dos quais cada grupo procura sustentar a ‘sua’ verdade e interferir na construção da memória nacional.

Palavras-chave: Memória. Comunicação. Poder. Internet. Ditadura Militar – Brasil. Brasil – História (Período Militar).

Texto completo:

HTML PDF


DOI: https://doi.org/10.5965/2175180305102013159

Contato:
Universidade do Estado de Santa Catarina - UDESC
Centro de Ciências Humanas e da Educação - FAED
Programa de Pós-Graduação em História - PPGH
Av. Madre Benvenuta, 2007 - Itacorubi - Florianópolis - SC
CEP: 88.035-001            Telefone: (48) 3664-8585
tempoeargumento@gmail.com