“Somos guardiões da memória...”: uma coleção homenageia os “vitoriosos” de 31 de março de 1964

Eduardo dos Santos Chaves

Resumo


No presente artigo apresento um breve histórico das iniciativas das Forças Armadas em narrar a sua história pelos projetos de história oral, para em seguida analisar o surgimento de um desses resultados, a coleção “1964 - 31 de março: o movimento revolucionário e sua história”. Procuro, dessa forma, examinar o significado dessa coleção de entrevistas como resultado da disputa pela memória da ditadura brasileira, bem como uma homenagem àqueles que eles consideram “salvadores da pátria”. Da mesma forma, analiso a maneira pela qual o Exército procurou fazer história oral, assim como ele a entende quando da elaboração de seus acervos.

Palavras-chave: Ditadura civil-militar. Exército. Acervos.

Texto completo:

HTML PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5965/2175180305102013133

Contato:
Universidade do Estado de Santa Catarina - UDESC
Centro de Ciências Humanas e da Educação - FAED
Programa de Pós-Graduação em História - PPGH
Av. Madre Benvenuta, 2007 - Itacorubi - Florianópolis - SC
CEP: 88.035-001            Telefone: (48) 3664-8585
tempoeargumento@gmail.com