Dossiê: Mulheres, Humor e Cultura de Massa

A história cultural do humor é um campo que se consolidou no âmbito dos estudos históricos a partir dos anos 1990 tendo como suporte as questões abertas pela história cultural. Nesse campo de investigação, as “manifestações humorísticas” passaram a ser pensadas como operações intelectuais que oferecem formas de apreensão e estruturação da sociedade em que se insere, bem como um modo de acessarmos representações culturais de uma época, aspectos que despertam para os seus usos, apropriações e, também, para os vetos sociais impostos.

As pesquisas em torno desse tema apresentam dois aspectos importantes: primeiro, a pluralidade das fontes empregadas, o que tornou a interdisciplinaridade um imperativo e impôs a necessidade de revisão dos grandes paradigmas teóricos, ampliando as categorias conceituais empregadas para as análises empreendidas. Em segundo lugar, através desses estudos e do exame minucioso dessas fontes coloca-se em pauta o debate sobre como, em diferentes sociedades, o humor contribuiu para forjar laços de sociabilidades, reforçar relações de poder e dominação, atuar como instrumento de resistência política e social, dar visibilidade a grupos sociais colocados à margem da sociedade, fortalecer ou, ao contrário, minar padrões estéticos e de moralidade, dentre várias outras questões.

Ao examinar essa área de estudos verifica-se o interesse pela recuperação das histórias de vida dos intelectuais humoristas e um expressivo número de pesquisas sobre os suportes empregados para veiculação desse tipo de produto. Nesse mote evidenciam-se duas áreas específicas: arte (humor gráfico, literatura, cinema) e imprensa (jornais, revistas, folhetos, televisão, rádio).

Em ambos os casos, destaca-se a mínima produção existente sobre mulheres humoristas. Isso se dá a despeito do grande número de artistas e intelectuais mulheres que ocupam espaço expressivo nesse campo artístico. Contrapondo-se à mínima produção, portanto, está um universo vasto e inexplorado de fontes que permitem uma reflexão sobre o humor das mulheres do ponto de vista de gênero. Tais fontes viabilizam uma série de possibilidades teóricas no que se refere às manifestações humorísticas que tem as mulheres como protagonistas, afinal, o humor é generificado? A produção do humor protagonizada por mulheres pode ser considerada subversiva ou devemos ir além e compreender esse humor como algo construído fora dos binarismos feminino/masculino e privado/público?

Tendo em vista a importância e a fecundidade desse campo que vem sendo fortalecido por um crescente interesse popular e acadêmico no tempo presente, apresentamos o interesse em reunir estudos que reflitam sobre o humor produzido por mulheres, ampliando, dessa forma, o enfoque sobre o tema ao reconhecer o papel de protagonistas que intelectuais humoristas desempenham no interior da cultura massiva contemporânea. Para além da não menos importante reflexão acerca das representações humorísticas sobre as mulheres, interessa-nos pesquisas que, a partir dos campos dos estudos de gênero e da história do tempo presente, discutam o humor produzido por mulheres, com foco especial na arte e nos veículos da cultura de massa (cinema, radio, imprensa, televisão).

Serão bem vindas análises que contemplem os sentidos produzidos e expressos sobre a experiência histórica que lhes deu sentido; as múltiplas representações propostas para nutrir o imaginário social que os circundam; os recursos visuais e textuais empregados para a produção do sentido; estudos que atentem para os vínculos estabelecidos com o meio em que se inscreve, observando como dialogam, retomam e resignificam frações das notícias publicadas; reflexões e propostas metodológicas para análise do humor protagonizado por mulheres; o impacto e articulações desse tipo de produto cultural na sociedade no qual foi veiculado e em outras mídias, considerando, assim aspectos referentes a circulação e apropriação; assim como pesquisas com recortes locais ou biográficas priorizando análises que se pautem nos aspectos culturais, sociais e históricos do gênero do humor. 

 

Organizadoras

Profa. Dra. Cintia Lima Crescêncio (Universidade Federal do Mato Grosso do Sul)

Profa. Dra. Mara Burkart (CIAP-TAREA IIPP, UNSAM/CONICET)

Profa. Dra. Maria da Conceição Francisca Pires (Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro)