VIDA ÚTIL DE CARNE SUÍNA UTILIZANDO IRRADIAÇÃO UV-C: MÉTODOS COMBINADOS COM ÁCIDOS ORGÂNICOS E SOLUÇÃO SALINA

Eliane Maria de Carli, Simone Canabarro Palezi, Bruna Ballico, Leadir Lucy Fries

Resumo


A contaminação microbiana pode ser a principal responsável tanto por perdas econômicas, provocadas pela deterioração da carne, como também problemas ligados à saúde do consumidor. Reduzir ou eliminar a incidência desses contaminantes é o que vem buscando a pesquisa integrada à indústria. O crescente interesse pela carne suína torna-se cada vez mais importante oferecer ao consumidor um produto seguro, de qualidade e, ao mesmo tempo, com altos valores nutricionais e saborosos. Portanto, o objetivo deste trabalho foi avaliar o efeito de métodos combinados utilizando diferentes doses e concentrações de irradiação UV-C, ácidos orgânicos, solução salina, na vida útil carne suína refrigerada 2 ºC (±1 ºC). Foram utilizadas amostras de carne de trinta e seis suínos, abatidos em um Frigorífico sob Inspeção Federal. Foram realizadas análises microbiológicas de Salmonella sp, bactérias aeróbias mesófilas, psicrotróficas e coliformes a 35 e 45 ºC e pH nos dias zero, 5, 10, 15, 20, 25, 30. Observou-se que o processo de irradiação UV-C, associados a ácidos orgânicos e solução salina acidificada diminuiu significativamente (p<0,05) a contagem de bactérias aeróbias mesófilas e psicrotróficas, nas amostras tratadas em relação às amostras controle, aumentando a vida útil em 15 dias. O pH das amostras tratadas foi significativamente menor (p<0,05) que as amostras controle, influenciando na eliminação das bactérias coliformes durante todo o período de armazenamento. Salmonella foi encontrada somente nas amostras controle, nos dias 0, 5 e 15. Os resultados apresentados indicam que a utilização de combinações de ácidos orgânicos e radiação UV-C foram eficientes no controle da microbiota presente na carne suína refrigerada, aumentando com isso a vida útil da mesma em 15 dias.

Palavras-chave


carne suína; conservação; ácidos orgânicos; solução salina; radiação UV

Texto completo:

PDF

Referências


ARAÚJO, J. Química de alimentos: teoria e prática. 2ª ed. Viçosa: Editora UFV, 1999. 416p.

BRASIL. Ministério da Saúde. Resolução RDC n°. 12, de 02 de janeiro de 2001.

Regulamento técnico sobre padrões microbiológicos para alimentos. Diário Oficial da União, seção I, 2001.

DREHMER, A.M.F. Quebra de peso das carcaças suínas e estudo da vida de prateleira da carne. 2005. 115f. Dissertação(Mestrado em Ciências e Tecnologia dos Alimentos) – Curso de Pós-graduação em Ciência e Tecnologia dos Alimentos – Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, RS, 2005.

JAY, J. M. Microbiologia Moderna de Los Alimentos. 3. ed., Zaragoza: Acribia, 2005. 804 p.

LACROIX, M.L.; SMORAGIEWICZ. W; JOBIN, M.; LATREILLE, B.; KRZYSTYNIAK, K.. The effect of irradiation of fresc pork loins on the protein quality and microbiological changes an aerobically or vacuum -packaged. Radiation Physics and Chemistry, v. 63, n. 3-6, p. 317-322, 2002.

LANARA. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Portaria n.001/81, de 07 de outubro de 1981. Laboratório Nacional de Referencia Animal. Métodos Analíticos Oficiais para Controle de Produtos de Origem Animal e seus Ingredientes, Brasília, DF, 2003.

MELLO, R. V. O uso de descontaminantes na conservação de carcaças resfriadas. Santa Maria/RS, 66 p. Tese (Mestrado em Ciência e Tecnologia dos Alimentos) – Curso de Pós-Graduação em Tecnologia dos Alimentos, Universidade Federal de Santa Maria, 1992.

ROÇA, R.O., SERRANO, A.M., Influência do banho de aspersão antemortem em

parâmetros bioquímicos e na eficiência da sangria da carne bovina. Pesquisa

Agropecuária Brasileira, Brasília, v.30, n.8, p.1107- 1115, 1995.

SILVA, J. A.; SOARES, F. L.; COSTA, L. E. Sanitização de carcaças de frango com soluções de ácidos orgânicos comerciais e suco de limão. Rev. Tec. de Carnes. Campinas, SP. v. 23, p.19-26, 2001.

VILLAVICENCIO, A.L.C.H. Avaliação dos efeitos da radiação ionizante de 60 °C em propriedades físicas, químicas e nutricionais dos feijões Phaseolus vulgaris L. e Vigna unguiculata (L.) Walp. São Paulo, 1998. 138p. Tese (Doutorado) – Faculdade de Ciências Farmacêuticas, Universidade de São Paulo.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista do Congresso Sul Brasileiro de Engenharia de Alimentos, Pinhalzinho, Santa Catarina, Brasil. ISSN 2447-3650.

Classificação Qualis - CAPES:

Ciências Ambientais B5

Engenharias II B5

A Revista CSBEA está indexada nos repositórios Latindex, Livre e Sumários.org

Conteúdos do periódico licenciados sob uma Licença Creative Commons 4.0 By