AVALIAÇÃO DO PRÉ-TRATAMENTO OSMÓTICO COM CLORETO DE SÓDIO E DIFERENTES TEMPOS SOBRE A SECAGEM DA ABÓBORA CABOTIÁ

Suelen Cristina Mai, Giane Beatriz Friedrich, Charlise Fonseca, Silvana Menoncin, Raquel Zeni Ternus, Francieli Dalcanton

Resumo


A abóbora Cabotiá possui importância econômica relevante, além de ser uma ótima opção de alimento com propriedades organolépticas agradáveis ao consumidor. A vida útil deste fruto é maior quando comparada a outras espécies, porém, para produção de derivados o teor de agua é um fator a ser estudado devido a possíveis perdas quanto a conservação destes produtos. Alguns pré-tratamentos, como a desidratação osmótica podem ser utilizados nas indústrias como alternativas de redução de água. Por isto, este trabalho teve como objetivo realizar a desidratação osmótica da abóbora Cabotiá, variando-se a concentração de cloreto de sódio (NaCl) e o tempo de imersão. Para isto, empregou-se um planejamento fatorial completo 22, sendo variáveis independentes o tempo (30 e 60 min) de imersão em solução osmótica e concentração de cloreto de sódio (1% e 3% m/V) obtendo-se como resposta a perda de massa do produto. Os dois parâmetros estudados foram significativos, sendo que na maior concentração de NaCl e no menor tempo obteve-se os maiores resultados para perda de massa.  O uso da desidratação osmótica como um pré-tratamento resulta em maior vida útil do produto, sendo que a utilização do cloreto de sódio mantem ou melhora o sabor do produto processado.


Palavras-chave


Desidratação osmótica; perda de massa; abóbora; pré-tratamento

Texto completo:

PDF

Referências


AGUIRRE, J. M.; GASPARINO FILHO, J. Desidratação de frutas e hortaliças: manual técnico. Campinas: Instituto Tecnológico de Alimentos - ITAL, 2001.

AMARO, G. B. et al. Recomendações técnicas para o cultivo de abóbora híbrida do tipo japonesa. Embrapa, Brasília, out., 2014.

BORGES, S. V. et al. Secagem de fatias de abóboras (Cucurbita moschata, L.) por convecção natural e forçada. Ciência e Tecnologia de Alimentos. n. 28, p. 245-251, 2008.

CAMPO, C. Desidratação osmótica de morangos CV. Aromas. 44 p. Trabalho de Conclusão de curso (Tecnologia de Alimentos). Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia – Campus Bento Gonçalves, Bento Gonçalves, 2012.

CELESTINO, S. M. C. Desidratação osmótica na produção de frutas passa e sulfitação. Planaltina, DF: Embrapa Cerrados, 2009. Disponível em: . Acesso em: 19 jan. 2010.

FERRARI, C. C. et al. Cinética de transferência de massa de melão desidratado osmoticamente em soluções de sacarose e maltose. Ciência e Tecnologia de Alimentos. v. 25, n. 3, 2005.

FONTES, L. C. B. et al. Efeito das condições operacionais no processo de desidratação osmótica de batata-doce. Revista Brasileira de Produtos Agroindustriais, v.14, n.1, p.1-13, 2012.

GIRALDO, G. et al. Influence os sucrose Solution Concentration on Kinetics and Yield during Osmotic Dehydration os Mango. Journal of Food Enginnering, v. 58, p. 33-43, 2003.

GONÇALVES, A. A.; BLUME, A. R. Efeito da desidratação osmótica como tratamento preliminar na secagem do abacaxi. Estudos tecnológicos, v. 4, n. 2, p. 124-134, 2008.

GOMES, A. T.; CEREDA, M. P.; VILPOUX, O. Desidratação osmótica: uma tecnologia de baixo custo para o desenvolvimento da agricultura familiar. Revista Brasileira de Gestão e Desenvolvimento Regional, v. 3, n. 3, p. 212-226, 2007.

INSTITUTO ADOLFO LUTZ. Normas Analíticas do Instituto Adolfo Lutz. v. 1: Métodos químicos e físicos para análise de alimentos, 3. ed. São Paulo: IMESP, 1985.

KHAN, M. R. Osmotic dehydration technique for fruits preservation - A review. Pakistan Journal of Food Sciences, v. 22, n. 2, p. 71‐85, 2012.

LIMA, A. S. et al. Estudo das variáveis de processo sobre cinética de desidratação osmótica de melão. Ciência e Tecnologia de Alimentos, v. 24, n. 2, p. 282-286, 2004.

NASCIMENTO, W. M.; PESSOA, H. B. S. V.; SILVA, P. P. Produção de sementes hibridas de abóbora do tipo tetsukabuto. Embrapa Hortaliças. Porto Alegre, 2011.

NETO, M. A. S. et al. Desidratação osmótica de manga seguida de secagem convencional: avaliação das variáveis de processo. Ciência e Agrotecnologia, v. 29, n. 5, p. 1021-1028, 2005.

PEIXOTO, ALVARO. Abóbora: como no Japão. Revista Cultivar, Hortaliças e Frutas. Ago/set. 2000. Disponível em: . Acesso em: 20 mar. 2015

PEIRÓ-MENA, R.; CAMACHO, M. M.; MARTÍNEZ-NAVARRETE, N. Composition and physicochemical changes associated to successive osmotic dehydration cycles of pineapple (Ananas comosus). Journal of Food Engineering, v. 79, n. 3, p 842-849, 2007.

QUINTO, T. C. et al. Avaliação das condições operacionais na desidratação osmótica de fatias de chuchu (Sechium edule, Sw.) e de abóbora (Curcubita moschata, L.). Revista Universidade Rural, v. 23, n. 1-2, p. 62-68, 2004.

RODRIGUES, M. I.; IEMMA, A. F. Planejamento de experimentos e otimização de processos: uma estratégia seqüencial de planejamentos. Campinas, SP: Casa do Pão Editora, 325 p. ISBN 859838903X (broch.), 2005.

SILVA, I. C. O. Processamento da polpa de abóbora para fabricação de doce cristalizado. 72 p. Dissertação (Mestrado em Engenharia de Alimentos) – Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2013.

SIQUEIRA, L. P. Desidratação osmótica como alternativa tecnológica para preservação do gengibre. 109 p. Tese (Doutorado em Nutrição) - Universidade Federal de Pernambuco. Recife, 2014.

SOUSA, P. H. M et al. Influência da concentração e da proporção do fruto: xarope na desidratação osmótica de bananas processadas. Ciência e Tecnologia de Alimentos, v. 23, p. 126-130, 2003.

TONON, R.V. Influência das variáveis de processo sobre a cinética de desidratação osmótica de tomates em soluções ternárias de cloreto de sódio e sacarose. Dissertação (Mestrado em Engenharia de Alimentos) – Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2005.

TONON, R. V.; BARONI, A. F.; HUBINGER, M. D. Estudo da desidratação osmótica de tomate em soluções ternárias pela metodologia de superfície de resposta. Ciência e Tecnologia de Alimentos, v. 26, n. 3, p. 715-723, 2006.

YADAV, A. K.; SINGH, S. Osmotic dehydration of fruits and vegetables: a rewiew. Journal of Food Science and Technology, v. 51, n. 9, p. 1654-1673, 2014


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista do Congresso Sul Brasileiro de Engenharia de Alimentos, Pinhalzinho, Santa Catarina, Brasil. ISSN 2447-3650.

Classificação Qualis - CAPES:

Ciências Ambientais B5

Engenharias II B5

A Revista CSBEA está indexada nos repositórios Latindex, Livre e Sumários.org

Conteúdos do periódico licenciados sob uma Licença Creative Commons 4.0 By