DETERMINANDO A TAXA LIVRE DE RISCO PARA A APLICAÇÃO DO CAPM NO MERCADO BRASILEIRO

Pedro Guilherme Ribeiro Piccoli, June Alisson Westarb Cruz, Michael Willian Citadin

Resumo


A adaptação do CAPM ao mercado brasileiro tem sido tema de diversos estudos acadêmicos. Um dos aspectos relacionados ao tema refere-se à parametrização da taxa livre de risco (Rf), comumente oscilando na literatura entre a remuneração da poupança, a taxa Selic e o juro dos treasury bonds norte-americanos. O presente artigo buscou estabelecer qual destas variáveis é a mais adequada para o conceito de taxa livre de risco do CAPM no Brasil. Baseando-se no fenômeno do flight to quality, comparou-se o comportamento do Ibovespa com o comportamento destes constructos durante a última crise financeira. A conclusão é que, ainda que todos tenham apresentado correlações significativas com o Ibovespa no período, o maior poder explicativo para o desempenho da bolsa deveu-se ao comportamento dos treasury bonds, sendo ele o ativo recomendado para o conceito de taxa livre de risco no Brasil.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5965/2316419003042014001


Revista mantida pela Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC)
Campus Ibirama
® 2019 Direitos Reservados