IMPACTOS FINANCEIROS E TRIBUTÁRIOS DECORRENTES DA ADEQUAÇÃO À GERAÇÃO DO BLOCO K EM UMA INDÚSTRIA AUTOMOTIVA

Alex Eckert, Odiléia Turella, Marlei Salete Mecca

Resumo


A partir da implementação do Sistema Público de Escrituração Digital – SPED, diversos livros contábeis e fiscais começaram a ser emitidos de forma eletrônica, em um formato digital específico e padronizado. Diante disso, o presente estudo teve como objetivo verificar os impactos financeiros e tributários em uma indústria do setor automotivo para adequar-se ao EFD/Sped Fiscal, especialmente na geração do Bloco K. Em termos metodológicos, trata-se de um estudo de caso, descritivo, de natureza qualitativa. Neste estudo, foram evidenciados quais foram os custos necessários, como treinamento de pessoas, adequação de sistema de software e principalmente revisão de processos internos, para maior controle de estoque, estrutura de produto e reclassificação fiscal de acordo com as normas legais. Também foi possível demostrar alguns impactos tributários que com a entrega do arquivo do Bloco K, o que demanda cada vez mais responsabilidade com sua escrita fiscal. Ao final, concluiu-se que essa nova obrigação foi positiva para a empresa em estudo, visto que sua adequação gerou melhorias nas rotinas e fluxos organizacionais.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5965/2316419007102018062


Revista mantida pela Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC)
Campus Ibirama
® 2017 Direitos Reservados