Juventude e atuação política: as ocupações em escolas públicas e novas formas de resistência e convivência nas cidades

Camila Nastari Fernandes, Thaisa da Silva Ferreira

Resumo


O artigo analisa as percepções dos jovens sobre atuação política na sua participação nas ocupações das escolas públicas durante os anos de 2015 e 2016. Para tanto, foram realizadas cinco entrevistas semiestruturadas com jovens de 18 a 20 anos e que se propuseram a falar dessa experiência em 2017. Os jovens entrevistados apontam que, embora as ocupações das escolas tenham possibilitado adesão significativa dos secundaristas e da comunidade local, elas contribuíram muito mais em teor pedagógico de aprendizado político – no que se refere à convivência comunitária e uso dos espaços públicos – e menos para uma perspectiva de engajamento e continuidade da própria atuação política da juventude nas ocupações.

 

Palavras-chave: Juventude. Atuação Política. Escolas Públicas. Ocupação nas Escolas.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5965/1984724619402018086