Internacionalização, humanismo e ética

Antenor Ferreira Correa

Resumo


Este artigo traz apontamentos a respeito do processo de internacionalização nas universidades públicas do Brasil, com foco na internacionalização dos programas de pós-graduação, além de serem discutidos os objetivos intencionados com a realização de cooperações internacionais. A seguir, tendo como base a experiência adquirida em projetos de colaboração internacional, proponho repensar o processo de internacionalização à luz de uma perspectiva humanista, na qual as relações interpessoais são redimensionadas e arroladas como resultados objetivados nas cooperações interinstituicionais. O resultado esperado com a adoção desse aporte humanista é a transformação ética dos envolvidos em experiências de mobilidade acadêmica.

Palavras-chave


internacionalização; humanismo; universidades e faculdades públicas

Texto completo:

PDF

Referências


ADORNO, Theodor. Minima Moralia. Tradução de Artur Morão. Lisboa: Edições 70, 1951.

ARISTÓLES. Ética a Nicômano. Tradução de Leonel Vallandro e Gerd Bornheim. São Paulo: Nova Cultural, 1991. Disponível em: https://abdet.com.br/site/wp-content/uploads/2014/12/%C3%89tica-a-Nic%C3%B4maco.pdf.

BAKER, Patrick. Italian Renaissance Humanismin the Mirror. Cambridge: Cambridge University Press, 2015.

CAPES. Programa Institucional de Internacionalização Capes-PrInt. Edital nº 41/2017. Brasília: Capes, 2017a. Disponível em: http://www.capes.gov.br/images/stories/download/editais/10112017-Edital-41-2017-Internacionalizacao-PrInt-2.pdf.

CAPES. A internacionalização na Universidade Brasileira: resultados do questionário aplicado pela Capes. Brasília: Capes, 2017b. Disponível em: https://www.capes.gov.br/images/stories/download/diversos/A-internacionalizacao-nas-IES-brasileiras.pdf.

CARVALHO, José Sérgio Fonseca de. Os ideais da formação humanista e o sentido da experiência escolar. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 43, n. 4, p. 1023-1034, 2017.

CORRÊA, Antenor Ferreira. A Humanist Perspective Within Higher Education Internationalization Process. In: Music in an Intercultural Perspective. Brasília: Strong Edições, 2016. p. 85-92.

DAMÁSIO, António. Ao encontro de Espinosa: as emoções sociais e a neurologia do sentir. Lisboa: Publicações Europa-América, 2003.

FEICHAS, Heloisa. Espiritualidade crítica: desenvolvendo alguns conceitos para uma educação musical humanizadora. In: CORRÊA, Antenor Ferreira; NARITA, Flávia M. Ensino e pesquisa em Artes: experiências no âmbito do ProfArtes. Goiânia: Ed. UFG, 2019. (no prelo).

GAZZOLA, Ana Lucia. Entrevista publicada no site do Instituto Internacional para la Educación Superior en América Latina y el Caribe (IESALC/Unesco), 2018. Disponível em: http://www.iesalc.unesco.org/2018/06/08/ana-lucia-gazzola-a-cres-2018-deveressignificar-os-principios-que-orientaram-a-reforma-universitaria/.

GIUSTINIANI, Vito R. Homo, Humanus, and the meanings of “humanism”. Journal of the History of Ideas, v. 46, n. 2, p.167-195, 1985.

GOERGEN, Pedro. A internacionalização dos programas de pós-graduação. REP - Revista Espaço Pedagógico, Passo Fundo, v. 19, n. 2, p. 247-257, jul./dez. 2012. Disponível em: http://www.upf.br/seer/index.php/rep/article/view/3111/2125.

JOLY, Ilza Z. L.; SEVERINO, Natália B. (Org.). Processos educativos e práticas sociais em Música: um olhar para educação humanizadora - pesquisas em educação musical. Curitiba: CRV, 2016.

MARRARA, Thiago. Internacionalização da Pós-Graduação: objetivos, formas e avaliação. Revista Brasileira de Pós-graduação, v. 4, n. 8, p.245-262, 2007. Disponível

em: http://ojs.rbpg.capes.gov.br/index.php/rbpg/article/view/132/126.

OLIVEIRA, Pedro Augusto Dutra de. Por uma educação musical humanizadora: o ensino coletivo de música a várias mãos. 2014. 136 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Humanas) – Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, 2014.

PINTO, Angelo C.; ANDRADE, Jailson B. de. Fator de Impacto de Revistas Científicas: qual o significado deste parâmetro? Química Nova, v. 22, n. 3, p. 448-453, 1999.

UFC. Plano de Internacionalização da Universidade Federal do Ceará. Fortaleza: PróReitoria de Relações Internacionais, Universidade Federal do Ceará, 2017. Disponível em: http://www.ufc.br/images/_files/a_universidade/plano-internacionalizacao-ufc/plano-internacionalizacao-ufc.pdf.

UFRGS. Plano Institucional de Internacionalização da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Porto Alegre: UFRGS, 2017. Disponível em: http://www.ufrgs.br/propg/print-ufrgs/arquivos/plano-institucional.

UFSC. Plano de Internacionalização da Universidade Federal de Santa Catarina. Florianópolis: Secretaria de Relações Internacionais, Universidade Federal de Santa Catarina, 2018. Disponível em: http://novaprpg.paginas.ufsc.br/files/2019/02/PROPOSTA-DE-PLANO-INSTITUCIONAL-DEINTERNACIONALIZAC%CC%A7A%CC%83O-Final-Aprovada.pdf.

UNB. Plano de Internacionalização da Universidade de Brasília. Brasília: UnB, 2018. Disponível em: http://www.int.unb.br/br/institucional/plano-de-internacionalizacao.

UNOESC. Plano de Internacionalização da Universidade do Oeste de Santa Catarina. Joaçaba: Editora Unoesc, [s.d.]. Disponível em: https://www.unoesc.edu.br/images/uploads/atendimento/Plano_de_Internacionalizac%cc%a7a%cc%83o_(1).pdf.




DOI: https://doi.org/10.5965/2525530404022019059

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Indexadores, diretórios e bases de dados

                       

 

Licença Creative Commons

Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.