UMA ANÁLISE TEÓRICO-POLÍTICA DECOLONIAL SOBRE O CONCEITO DE MODA E SEUS USOS

HELOISA HELENA DE OLIVEIRA SANTOS

Resumo


A partir de uma perspectiva pós-colonial/decolonial, a proposta do artigo é questionar o conceito ocidental de moda e seus possíveis usos. Entendemos que o conceito de moda pode ser utilizado como uma noção dentro do aparato ideológico colonial que busca desautorizar a relação das sociedades não ocidentais com o tempo ao afirmar que estas últimas não tem moda porque pouco mudam seu vestuário, ou como o colonizador prefere chamar, sua indumentária ou costume. Este tipo de binarismo, no caso “moda X costume”, engessa, como aponta Quijano (2005), as sociedades não ocidentais e fornece ao Ocidente o status ideológico do movimento, da capacidade de se modificar, renovar e, por que não, evoluir (em um sentido evolucionista mesmo), pois como aponta Said (2007), o colonizador, em seu lugar de autoridade, entende que lhe cabe “ler” o colonizado e traduzir a cultura do mesmo para si próprio.


Palavras-chave


moda; decolonialidade; capitalismo

Texto completo:

PDF

Referências


ALLMAN, Jean. Fashioning Africa: Power and the Politics of dress. In.: ALLMAN, Jean (Org.). Fashioning Africa: Power and the politics of Dress. Bloomington: Indiana University Press, 2004;

BALLESTRIN, Luciana. América Latina e o giro decolonial. Rev. Bras. Ciênc. Polít., Brasília , n. 11, p. 89-117, Aug. 2013 . Available from . access on 22 Feb. 2019. http://dx.doi.org/10.1590/S0103-33522013000200004.

BERNARDINO-COSTA, Joaze; GROSFOGUEL, Ramón. Decolonialidade e perspectiva negra. Soc. estado., Brasília , v. 31, n. 1, p. 15-24, Apr. 2016 . Available from . access on 16 Mar. 2019. http://dx.doi.org/10.1590/S0102-69922016000100002.

FANON, Frantz. Racismo e cultura. In.: SANCHES, Manuela Ribeiro (org.). Malhas que os impérios tecem> textos anticoloniais, contextos pós-coloniais. Lisboa: Edições 70, 2011;

FREYRE, Gilbero. Sobrados e Mucambos. São Paulo: Global Editora, 2006;

QUIJANO, Anibal. Colonialidade do poder, Eurocentrismo e America Latina. In: Lander, Edgardo. (org.) A Colonialidade do Saber: eurocentrismo e ciências sociais. Perspectivas Latino-americanas. Clacso, Consejo Latinoamericano de Ciências Socialies, Ciudad Autônoma de Buenos Aires, Argentina, 2005, pp.105-127.

RAINHO, Maria do Carmo Teixeira. A cidade e a moda: novas pretensões, novas distinções - Rio de Janeiro, século XIX, A. Brasília: Universidade de Brasília, 2002.

SAHLINS, Marshall. Introdução. In.: Ilhas de História. Rio de Janeiro: Zahar, 2003;

________________ . La pensée bourgeoise: a sociedade ocidental como cultura. In.: SAHLINS, Marshall. Cultura na Prática. Rio de Janeiro: Editora UFRJ, 2004;

SAID, Edward W. Orientalismo: o Oriente como invenção do Ocidente. São Paulo : Companhia das Letras, 2007.

SEGATO, Rita Laura. Gênero e colonialidade: em busca de chaves de leitura e de um vocabulário estratégico descolonial. E-cadernos ces [Online], 18 | 2012, colocado online no dia 01 dezembro 2012, consultado a 16 março 2019. URL : http://journals.openedition.org/eces/1533 ; DOI : 10.4000/eces.1533;

TULLOCH, Carol. Style-Fashion-Dress: from black to post-black. Fashion Theory: The Journal of Dress, Body & Culture. Oxford: Berg Publichers, 2010.




DOI: https://doi.org/10.5965/1982615x13272020164

Direitos autorais HELOISA HELENA DE OLIVEIRA SANTOS

Licença Creative Commons

      http://www.revistas.udesc.br/public/site/images/rocha1/ceart1.png