Discursos políticos na moda: o coletivo Estileras, uma análise semiótica

Cláudia Regina Garcia Vicentini, Yasmin Alexandre Có, Suzana Helena Avelar

Resumo


A moda é um lugar de produção de sentido em que os valores sociais se concretizam plasticamente, possibilitando a veiculação de discursos os mais variados e muitas vezes antagônicos. Deste modo diversos grupos sociais se constituem com narrativas contestadoras ou ainda reafirmando valores e tendências hegemônicas, confirmadas plasticamente nos sistemas vestimentares adotados. Na esteira deste pensamento objetivamos analisar os recursos discursivos utilizados pelo coletivo Estileras em sua página em uma mídia social. Este coletivo se posiciona como um “lugar” de experimentação e transgressão de normas vestimentares sancionadas pela sociedade contemporânea. O referencial teórico da Semiótica Discursiva e as noções de poder de Michel Foucault serão adotados a fim de dar conta da complexidade dos discursos verbo-visuais expostos pelo coletivo.


Palavras-chave


moda; política; semiótica discursiva; mídia social

Texto completo:

PDF

Referências


BERGAMO, Alexandre. A experiência do status: roupa e moda na trama social. São Paulo: Editora Unesp, 2007. 226 p.

CERTEAU, Michel de. A invenção do cotidiano: artes de fazer. 3. ed. Petrópolis: Vozes, 1998. 351 p. Tradução de Ephraim Ferreira Alves.

CÓ, Yasmin Alexandre; VICENTINI, Cláudia Regina Garcia. A subversão na moda: o pastiche como território de criação. In: DESIGNA 2018 - INTERNATIONAL CONFERENCE ON DESIGN RESEARCH, 7., 2018, Covilhã, Portugal. DESIGNA 2018 - TERRITORY PROCEEDINGS. Covilhã, Portugal: Labcom.ifp/ Ars, 2018. p. 145 - 152. Disponível em: . Acesso em: 14 ago. 2019.

FIORIN, José Luiz. Linguagem e ideologia. 6. ed. São Paulo: Editora Ática, 1998.

FOUCAULT, Michel. Microfísica do poder. 23. ed. Rio de Janeiro: Graal, 2007. 295 p. Original publicado em 1978.

FOUCAULT, Michel. Vigiar e punir: nascimento da prisão. 20. ed. Petrópolis: Vozes, 1987. 288 p. Tradução de Raquel Ramalhete.

GREIMAS, Algirdas.Julien. Da imperfeição. 1.ed. São Paulo: Hacker Editores, 2002.

KAWAMURA, Yuniya. Fashion-ology: an introduction to fashion studies. Nova York: Berg, 2005. 124 p.

KAWAMURA, Yuniya. The Japanese revolution in Paris fashion. New York: Berg, 2004. 198 p.

LANDOWSKI, Eric. A sociedade refletida. São Paulo: EDUC/Pontes, 1992.

MENESES, E. JAYO, M. VICENTINI, C.R.G. Entre demonstrar e dissimular: notas sobre o papel do vestuário na expressão de homossexualidades masculinas na história do Brasil. In Revista Caribeña de Ciencias Sociales, 2019.

OLIVEIRA, Ana. Cláudia. (org.) Semiótica Plástica. São Paulo: Hacker Editores, 2004.

RANCIÈRE, Jacques. A partilha do sensível: estética e política. 2. ed. São Paulo: Exo, 2009. 69 p. Tradução de Mônica Costa Netto.

SILVEIRA, Vanessa.Rozan. Corpos e belezas no Instagram: em busca de likes. Dissertação de Mestrado. PUC-SP, 2017.

TANIZAKI, Junichiro. Elogio da sombra. 1. ed. São Paulo: Relógio d’ Água, 2008. Original publicado em 1933.

VICENTINI, Cláudia.Regina.Garcia.; CASTILHO, Kathia. Design do corpo, design da moda: uma análise semiótica In Design de Moda: olhares diversos. Dorotéia Barduy Pires (org.)

VICENTINI, Cláudia.Regina.Garcia. Ferramentas e metodologia de projeto aplicados na criação de produtos para indústria têxtil-confecção. Tese de Doutorado. UNICAMP, 2010.




DOI: https://doi.org/10.5965/1982615x13292020229

Direitos autorais Cláudia Regina Garcia Vicentini, Yasmin Alexandre Có, Suzana Helena Avelar

Licença Creative Commons

      http://www.revistas.udesc.br/public/site/images/rocha1/ceart1.png