Proposta metodológica, à luz da Ilha Interdisciplinar de Racionalidade, no Ensino de Ciências em Ensino Bilíngue

Renata C S Hounsell, Mayara Boettcher Vasconcelos, Ivani T. Lawall

Resumo


O objetivo do presente trabalho é analisar a proposta metodológica, à luz da Alfabetização Científica e Tecnológica (ACT), pela proposição de uma Ilha Interdisciplinar de Racionalidade,  de uma professora de ensino de Ciências em um programa bilíngue. As atividades foram desenvolvidas em uma escola particular em turmas de 6º ano do Ensino Fundamental, com o conteúdo sobre “Os Biomas Mundiais”. A situação problema foi apresentada por meio de e-mail enviado por um personagem fictício. A professora propôs o desenvolvimento da IIR, em sete (7) etapas, as quais foram analisadas e comparadas com as etapas descritas por Fourez para o desenvolvimento de uma IIR, do mesmo modo que seus os objetivos gerais e pedagógicos. Pode-se observar pela análise que a proposta da professora apresenta adaptações necessárias a realidade da unidade escolar e ao currículo, assim como o envolvimento dos alunos durante a realização da atividade permitiu o desenvolvimento da autonomia, comunicação e tomada de decisão pelos alunos, alcançando os objetivos pedagógicos da Alfabetização Científica e Tecnológica. 


Texto completo:

PDF

Referências


AULER, D. e DELIZOICOV, D. (2001). Alfabetização Científico-Tecnológica Para Quê?, Ensaio – Pesquisa em Educação em Ciências, v.3, n.1, junho.

AKKARI, Abdeljalil. Historical context of bilingual education. BRJ, v. 22, n. 2/3/4, University of Fribourg, Switzerland, 1998.

BRASIL. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular – Documento preliminar. MEC. Brasília, DF, 2015.

FOUREZ, G. Alfabetización científica y técnica. Argentina. Ediciones Colihue. 1997.

HALMENSCHLAGER. K. R. Abordagem temática no Ensino de Ciências: Algumas possibilidades. Revista Eletrônica de Extensão da URI. ISSN 1809-1636. Vol. 7, N.13: p.10-21, Outubro, 2011.

MILARÉ, T. A proposta metodológica de Ilha Interdisciplinar de Racionalidade em um curso de licenciatura em química: discutindo informações de corrente de e-mail. QUÍMICA NOVA NA ESCOLA, 2014. Vol. 36, Nº2.

NASCIMENTO, F.; FERNANDES, H. L.; MENDONÇA, V. M. O ensino de ciências no Brasil: história, formação de professores e desafios atuais. Revista HISTEDBR on-line, Campinas, n. 39, p. 225-249, set. 2010

PIETROCOLA, M. Curiosidade e Imaginação- Os caminhos do conhecimento nas ciências, nas artes e no ensino. In: CARVALHO, Anna Maria Pessoa de.(Org). Ensino de ciências: unindo a pesquisa e a prática. São Paulo: Cengage Learning, 2009. P. 119-133

PIETROCOLA, M. et al. As Ilhas de Racionalidade e o saber significativo: o ensino de ciências através de projetos. In. Ensaio-Pesquisa em Educação em Ciência.2000. Vol.2, No. 1. 99-122. http://www.portal.fae.ufmg.br/seer/index.php/ensaio/article/view/17/47

PIETROCOLA, M., PINHO ALVES, J. e PINHEIRO, T.F. Prática interdisciplinar na formação disciplinar de professores de ciências. Investigação em Ensino de Ciências. Porto Alegre. IFUFRGS. V 8. No. 2. 2003.

PINHEIRO, T.F., ALVES FILHO, J. e PIETROCOLA, M. Um exemplo de construção de uma ilha de racionalidade em torno da noção de energia. Ata Eletrônica do VII EPEF. Florianópolis. março. 2000.

SANTOS, P. R. O Ensino de Ciências e a Idéia de Cidadania. Disponível em: http://hottopos.com/mirand17/prsantos.htm. Acesso em: Junho de 2016.

SASSERON, L.H.; CARVALHO, A. M.P. Alfabetização científica: uma revisão bibliográfica. Investigações em Ensino de Ciências – V16(1), pp. 59-77, 2011

SCHMITZ, C.; ALVEZ FILHO, J. P. Ilha de Racionalidade e a situação problema: o desafio inicial. IX ENCONTRO N ACIONAL DE PESQUISA EM ENSINO DE FÍSICA: 2004. Disponível em: ttp://www.cienciamao.usp.br/dados/epef/_ilhaderacionalidadeeasit.trabalho.pdf


Apontamentos

  • Não há apontamentos.