A importância da construção de perguntas na etapa zero da Ilha de Racionalidade no Ensino Fundamental

Karlinne Lisandra Devegili, Ivani Teresinha Lawall

Resumo


O projeto de formação continuada com professores de Ciências, Geografia e História teve como foco discutir propostas interdisciplinares em sala de aula destinadas a alunos do Ensino Fundamental II. A proposta além de favorecer a mudança didática sobre a perspectiva do que se entende por pesquisa escolar, apresenta a Alfabetização Científica e Tecnológica em seus objetivos gerais (humanistas, sociais, econômicos e políticos), pedagógicos (comunicação, autonomia, e um certo manejo do meio) e a identidade da metodologia da Ilha Interdisciplinar de Racionalidade. Participaram da atividade 150 professores os quais, em grupos por escolas propuseram 17 situações-problemas para a atividade. Este trabalho tem por objetivo identificar se as perguntas criadas pelos professores, apresentam potencial para que uma atividade favoreça a Alfabetização Científica e Tecnológica. Para tanto, utiliza-se da classificação proposta por Machado e Sasseron (2012), que categoriza as perguntas do professor como: perguntas de problematização, perguntas sobre dados, perguntas exploratórias e perguntas de sistematização. Parte dos indicadores são percebidos ao longo das perguntas geradas, contudo por vezes de forma incompleta, não preenchendo todos os requisitos, percebe-se uma profunda dificuldade sobre como elaborar uma pergunta que proporcione a argumentação dos alunos de Ensino Fundamental.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.