Letramentos de jovens cegos: estudo de caso em escolas do distrito de Braga

Amanda Botelho Corbacho Martinez, Alessandra Santana Soares e Barros, Anabela Cruz Santos

Resumo


Este artigo é um recorte da pesquisa de doutorado em andamento e tem como objetivo descrever e discutir sobre os usos que os jovens cegos fazem da leitura e escrita. As análises são ainda preliminares, decorrentes dos dados produzidos em novembro e dezembro de 2017, em duas escolas públicas de Braga, Portugal. Adotamos os pressupostos teóricos dos New Literacy Studies e a concepção interacionista de leitura e escrita. O estudo de caso, de abordagem qualitativa, teve como principal técnica para a produção de dados a entrevista semiestruturada, analisada por categorias temáticas fundamentadas no referencial teórico e construídas a partir do contato com a realidade. Seis adolescentes cegos participaram da pesquisa. Os jovens leem principalmente através da audição, com leitores de tela dos computadores e celulares. Têm acesso a livros, jornais, redes sociais e fazem buscas na internet. A leitura em braille é realizada com menor frequência e ocorre na escola, para ler livros; em casa, para ler embalagens de medicamentos e o baralho; na igreja. Os dados demonstraram que os adolescentes leem e escrevem com frequência, em diversos contextos,
1 Doutoranda


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.