Ações colaborativas entre a universidade e a escola pública: as contribuições do Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência (PIBID/UFPA).

Daniele Cristina Salgado Garcia, Genylton Odilon Rego da Rocha, Amelia Maria Araújo Mesquita

Resumo


O presente artigo constitui de um relato de experiência a partir das nossas vivências no projeto “Formação de Professores para uma Escola Inclusiva: ações colaborativas entre superior e a educação básica em municípios paraenses”. O mesmo está em execução deste do ano de 2014 e mobiliza escolas públicas que atendam alunos com deficiência, localizadas em Bragança-PA e Belém-Pá., com a finalidade de qualificar discentes de licenciaturas da UFPA em atividades de ensino, extensão e pesquisa, fortalecendo e priorizando a formação inicial e continuada de professores, aspectos essenciais da ação investigativa, para apropriação da pesquisa no processo ensino-aprendizagem das diferentes áreas de atuação, promovendo melhoria da formação inicial dos futuros professores por meio de sua inserção no cotidiano de escolas da rede pública de educação e a sua participação em experiências metodológicas e práticas docentes de caráter inovador e interdisciplinar; inserindo professores e licenciandos nas práticas docentes inovadoras e que são informadas pela pesquisa na área da educação inclusiva, favorecendo a vivência de propostas que possibilitem a reflexão coletiva do processo ensino-aprendizagem; O PIBID é um programa que tem apoio do Ministério da Educação (MEC) em parceria com Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES), no objetivo de valorizar a docência e aperfeiçoar o processo de formação de docentes para a educação básica, ofertando bolsas para alunos de graduação das licenciaturas das universidades públicas brasileiras. Temos como objetivo neste artigo relatar a nossa experiência enquanto coordenadores das formações ligadas ao grupo de Estudos e Pesquisa Sobre Currículo e Formação de Professores na Perspectiva da Inclusão- INCLUDERE, juntos aos integrantes do projeto, durante os anos de 2016 e 2017, quando assumimos a formação docente do município de Belém e elaboramos um plano de formação para discutir temáticas relacionadas ao contexto da educação especial e da educação básica inclusiva. A metodologia que usamos neste trabalho é a fundamentada numa abordagem qualitativa do tipo ação colaborativa, no qual somos sujeitos participantes deste estudo, por meio da participação e observação, aonde desenvolvemos ações que se voltam ao processo formativo dos participantes do projeto. Nossa participação enquanto coordenadores da formação nos revelou a importância da formação docente junto aos alunos e supervisores, pois os mesmos acabam ressignificando conhecimentos que estavam enraizados na trajetória da educação, sendo considerados como saber absoluto, além de aprender de modo significativo sobre a constituição do espaço escolar e as concepções que a rodeia, levando as suas práticas reflexões sobre estes novos saberes e os compartilhando nas práticas pedagógicas vivenciadas no contexto escolar sobre o processo de ensino aprendizagem, como também a além da produção de trabalhos de conclusão de curso, participação em eventos acadêmicos relatando experiência do projeto abordando assim as teorias que podem sustentar, melhorar, qualificar suas práticas, servindo de parâmetros no ato de ensinar, ao escolher a estratégias de planejar e organizar, construindo assim uma escola mais inclusiva. 

Palavras Chaves: Formação de Professores, Pidib, Educação Inclusiva, Educação básica. 


Texto completo:

PDF

Referências


CONSELHO, Nacional de Educação. CNE/CP 009/2001. Disponível em:< http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/CES0492.pdf>. Acessado em: 04 de Dezembro de 2012.

FRANCO, Maria Amélia Santoro. Pedagogia da Pesquisa-Ação. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 31, n. 3, p.483-502, ago. 2005. Disponível em: . Acesso em: 05 Maio 2016.

GARCIA. Carlos Marcelo. Formação de professores: para uma mudança educativa. Porto: Porto Editora, 1999.

Mesquita, A. M. A. A Formação inicial de professores e a educação inclusiva: analisando as propostas de formação dos cursos de licenciatura da UFPA: Dissertação (Mestrado em Educação). Universidade Federal do Pará; Centro de Educação; Programa de Pós-Graduação em Educação. Belém, 2007.

NEVES, José. PESQUISA QUALITATIVAS – CARACTERISTICAS, USOS E POSSIBILIDADES. Disponível em:< http://www.regeusp.com.br/arquivos/C03-art06.pdf >. Acessado em: 04 de Dezembro de 2012.

PIMENTA, Selma Garrido. Pesquisa-ação crítico-colaborativa: construindo seu significado a partir de experiências com a formação docente. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 31, n. 3, p.521-539, Não é um mês valido! 2005. Disponível em: . Acesso em: 05 maio 2016.

PLETSCH, Márcia. A Formação de Professores para a Educação Inclusiva: Legislação, Diretrizes Políticas e Resultados de Pesquisas. 2009. Disponível em:. Acessado em: 04 de Dezembro de 2012.

SENNA, Luiz Antonio Gomes. Formação docente e educação inclusiva. Cadernos de Pesquisa, v. 38, n. 133, p.195-219, abr. 2008. FapUNIFESP (SciELO). http://dx.doi.org/10.1590/s0100-15742008000100009


Apontamentos

  • Não há apontamentos.