Tecnologia educacional na sala de aula de matemática em uma turma com um aluno com TEA

Sidnéia Valero Egido, Thaís Cristine Andreetti, Luciane Mulazani dos Santos

Resumo


Considerando o panorama atual da utilização de tecnologias no Ensino Fundamental em contextos de Educação Inclusiva no Brasil, apoiados nas diretrizes de base e nas indicações da Base Nacional Comum Curricular, objetiva-se compreender como o uso de Tecnologias Educacionais, na Educação Matemática podem auxiliar no ensino e aprendizagem de alunos com TEA (Transtorno do Espectro Autista). Para tanto, procede-se a um relato de experiência do uso de uma Tecnologia Educacioal na sala de aula de matemática, para o ensino do conteúdo de Simetria em uma turma com um aluno com TEA. Através de uma sequência didática sobre Simetria, envolvendo tanto atividades manuais quanto com o auxílio do computador (trabalhando com o Scratch – software desenvolvido pelo MIT para o ensino de programação para crianças), a professora pode verificar como o aluno com TEA desempenha suas atividades e observar como a tecnologia pode ser utilizada em prol do aprendizado, beneficiando não só o aluno TEA quanto a turma toda. Desse modo, observa-se que o uso do Scratch para o ensino de simetria se mostra eficaz pois desperta a curiosidade e incentiva o pensamento computacional, além de viabilizar a inclusão, já que o aluno em questão não conseguia desempenhar atividades manuais efetivamente, o computador permitiu que ele acompanhasse o ritmo da sala e desenvolvesse as atividades propostas juntamente com os colegas, o que nos leva a concluir que o Scratch trata-se de uma Tecnologia Educacional válida na sala de aula, associado a uma proposta pedagógica significativa pode trazer grandes benefícios para alunos com TEA e viabilizar a Educação Inclusiva em diferentes contextos.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.