O funcionamento e a organização da Sala de recurso multifuncional (SRM) da EMEIEF Rotary junto aos alunos em situação de deficiência do Ciclo I.

Daniele Cristina Salgado Garcia, Genylton Odilon Rego da Rocha

Resumo


O presente artigo é uma pesquisa em andamento, que resultará em uma dissertação de mestrado, intitulada como “O currículo da sala de recurso multifuncional: suas contribuições para processo de escolarização de alunos em situação de deficiência da Ciclo I da EMEIEF ROTARY-BELÉM-PA”. A mesma se encontra na fase de análise dos dados, tendo como um dos seus objetivos de investigação compreender como vem se desenvolvendo a dinâmica de funcionamento da sala de recurso multifuncional da EMEIEF Rotary, junto aos alunos em situação de deficiência do ciclo I. Para tanto, lançamos mão da pesquisa qualitativa do tipo estudo de caso, usamos como técnica de coleta de dados a entrevista e a análise documental, onde tivemos como sujeitos desta pesquisa professores da SRM, que atendem aos alunos em situação de deficiência do Ciclo I e os documentos como: plano de atendimento educacional, registro dos atendimento, ficha de avaliação. Os dados coletados estão sendo analisados com base na análise de conteúdo (FRANCO, 2012). Durante processo de análise de dados está sendo possível visualizarmos o movimento que se constitui para organização e funcionamento da SRM, que tem como elementos fundamentais a família dos educandos e sala regular através do professor regente, pois é por meio destes sujeitos que acontece a primeira coleta de informações sobre o aluno, que irá ser atendido pelo Atendimento Educacional Especializado (AEE), onde é criado um perfil deste educando com base nas informações que são coletas e posteriormente elaborado um plano prévio de atendimento que tem o objetivo de investigar as informações que foram coletas. A elaboração do plano de atendimento da origem a proposta curricular da SRM da EMEIEF, revelando sua intencionalidade por meio dos conteúdos, metodologias, recursos e avaliação do processo de ensino aprendizagem dos alunos em situação de deficiência do Ciclo I. A configuração do funcionamento da SRM da EMEIEF Rotary, nos revela que ainda precisa de alguns esclarecimentos quando se defini o AEE, como um conjunto de atividades que são desenvolvidos por meio, recursos de acessibilidade e jogos pedagógicos, com a finalidade de uma proposta institucional de caráter complementar/ ou suplementar, pois estes conceitos não estão claros ainda aos docentes, de como deve ser elaborada uma proposta curricular com estas intencionalidades, visto que podem ganhar  significados distintos refletindo diretamente nas práticas que são desenvolvidas pelos docentes, o que em algumas situações acabam se configurando em reforço escolar para os professores da SRM, já que os alunos ainda não possuem conhecimento que deveria ser ofertado pela sala regular. O AEE toma para si a responsabilidade de oportunizar este conhecimento ao educando, originando um espaço de reforço escolar, o que acaba por gerar o esvaziamento da função primária da SRM, de forma a reforçar práticas que se intitulam como inclusivas, mas acabam reforçando o caráter de “normalização” mesmo que isto não seja a intenção direta dos docentes. Outra questão que foi possível evidenciamos se refere a interlocução entre a sala regular e o AEE, como a dinâmica de organização da escola não possibilita que haja mais momentos de diálogos entre os docentes destes dois espaços, é dificultado o contato entre os docentes para a construção de um planejamento colaborativo, contudo mesmo diante da dificuldade os docentes criaram estratégias para manter a comunicação entre si, por meio do WhatsApp e bilhetes para estar sempre trocando informação sobre o processo de ensino aprendizagem de seus alunos.

 

Palavras –Chaves: Sala de recurso multifuncional, Currículo, Inclusão, Ciclo I.

 


Texto completo:

PDF

Referências


BEYER. O.H. Inclusão e Avaliação na Escola de alunos com necessidades educacionais especiais. - Porto Alegre: Mediação, 2005

BRAUN, P; VIANNA, M. Atendimento educacional especializado, sala de recurso multifuncional e plano individualizado: desdobramentos de um fazer pedagógico. In: PLESTSCH, M; DAMASCENO, A (org) Educação Especial e Educação Inclusiva: reflexões sobre o fazer, RJ: Ed da UERRJ, 2011.

GLAT, R; PLETSCH, M. Estratégias educacionais diferenciadas para alunos com necessidades especiais- Rio de Janeiro: EdUERJ, 2013.

FIGUEIREDO, R; POULIN, J; GOMES, A. Atendimento Educacional Especializado do aluno com deficiência intelectual. São Paulo: Moderna, 2010.

SACRISTÁN, J. O currículo: uma reflexão sobre a prática. Porto Alegre: ArtMed, 1998

SACRISTÁN, J. Saberes e incertezas sobre currículo. Porto Alegre: Penso, 2013.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.