AS REPRESENTAÇÕES GRÁFICAS NO BRINCAR DA CRIANÇA HOSPITALIZADA

Maira Ruiz Martins, Regina Riserio

Resumo


Este trabalho tem como tema avaliar a importância das representações gráficas da criança hospitalizada não só como possibilidade de brincar, mas também como instrumento de expressão e elaboração de sentimentos, sensações e emoções. Pretendemos mostrar que há semelhanças entre o desenho e o contexto da situação de hospitalização, buscando verificar que não só coincidem, mas também são um elemento estruturante para a criança do ponto de vista emocional. Para isso, utilizaremos o material gráfico de 5 crianças realizado durante nossa atuação como sub-coordenadoras na enfermaria geral de pediatria do Hospital Universitário Pedro Ernesto – HUPE e do Instituto de Hematologia Arthur de Siqueira Cavalcanti – HEMORIO, através do projeto de extensão Brincar é Viver ligado a Faculdade de Educação da Universidade do Estado do Rio de Janeiro – UERJ. Este artigo foi realizado a partir do trabalho apresentado e premiado no 41° Congresso Científico do Hospital Universitário Pedro Ernesto – Rio de Janeiro, agosto 2003.

Texto completo:

PDF




Direitos autorais



Cidadania em Ação: Revista de Extensão e Cultura, Florianópolis, Brasil. ISSN 2594-6412 (eletrônico)