SENSIBILIZANDO ADOLESCENTES PARA A RESPONSABILIDADE SOCIAL DA MATERNIDADE-PATERNIDADE PRECOCE

Aparecida Zerbo Tremacoldi, Danielle Oliveira dos Anjos, Roberta dos Santos Ribeiro, Simone Setúbal dos Santos, Andréa Gonçalves dos Santos, Rutilea Mendes de Morais, Jamilly Azevedo Sena, Silvia Maria Santos Carvalho, Jane Lima dos Santos

Resumo


Embora as informações sobre sexualidade e contracepção pareçam estar bastante disponíveis entre os adolescentes, a gravidez precoce ainda é um problema de saúde pública e de grandes impactos sociais. Nesse sentido, a escola desempenha um papel fundamental, não apenas na compreensão de processos biológicos, como também na conscientização do sujeito sobre os aspectos de cidadania e construção de uma sociedade sustentável. No seguinte relato apresentamos nossa experiência acerca projeto de extensão intitulado “Despertando a consciência para o impacto individual e social da maternidade/paternidade na adolescência”, desenvolvido em uma escola pública do município de Ilhéus-BA. Visamos realizar atividades de conscientização da gravidez precoce, em três encontros, dispondo da utilização de métodos lúdicos, oficina, debates e avaliação quantitativa e qualitativa sobre o tema, bem como sensibilizar para o desenvolvimento de outras atividades importantes a serem focadas no processo da infância/adolescência.

PALAVRAS-CHAVE: Gravidez precoce, Educação em saúde, Cidadania.

Palavras-chave


Biologia

Texto completo:

PDF

Referências


ALTMANN, H. Orientação sexual nos parâmetros curriculares nacionais. Revista Estudos Feministas, Florianópolis, v. 9, n. 2, p. 576-585, 2001. Disponível em:http://www.scielo.br/pdf/ref/v9n2/8641. Acesso 02 de Maio. 2018.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Base Nacional Comum Curricular – BNCC 1ª versão. Brasília, DF, 2017. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/. Acesso em: 19 fev. 2018.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Base Nacional Comum Curricular – BNCC 1ª versão. Brasília, DF, 2017. Disponível em:http://basenacionalcomum.mec.gov.br/. Acesso em: 19 fev. 2018.

BRUNER, J. Juego, pensamiento y lenguaje. Perspectivas, v.16, n. 1, p.79-86, 1986.

DESSEN, M. A., POLONIA, A. A família e a escola como contextos de desenvolvimento humano. Paidéia, 2007. v.17, n.36. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/paideia/v17n36/v17n36a03. Acesso em: 19 fev. 2018.

Gomes, R., Silva, C. M. F. P. D., & Njaine, K. (1999). Prevenção à violência contra a criança e o adolescente sob a ótica da saúde: um estudo bibliográfico. Ciência & Saúde Coletiva, 4, 171-181. https://www.scielosp.org/pdf/csc/1999.v4n1/171-181/pt. Acesso em: 25 fev. 2018.

ORGANIZAÇÕES UNIDAS NO BRASIL (ONUBR). Brasil tem sétima maior taxa de gravidez adolescente da América do Sul. 2017. Disponível em: https://nacoesunidas.org/brasil-tem-setima-maior-taxa-de-gravidez-adolescente-da-america-do-sul/. Acesso em: 19 fev. 2018.

Pinto, A. C. S.; Schener, C.; Silva, G. M. D. D., & Schmitt, L. M. C. (2015). A importância do jogo na construção da cidadania. Unoesc & Ciência-ACHS, 7-14. https://editora.unoesc.edu.br/index.php/achs/article/viewFile/8943/4891. Acesso em: 25 fev. 2018.

RODRIGUES, R.M. Gravidez na Adolescência. Rev. Nascer e crescer. São Paulo, 2010. v. 19, n 3. p.1. Disponível em:

SECRETARIA DA SAÚDE DO ESTADO DA BAHIA. Pesquisa realizada no Iperba mostra que gestantes adolescentes desconhecem a maioria dos métodos contraceptivos. Salvador, 2 jun.2016. Disponível em: . Acesso em: 22 nov. 2016.






Direitos autorais 2018 Cidadania em Ação: Revista de Extensão e Cultura

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Cidadania em Ação: Revista de Extensão e Cultura, Florianópolis, Brasil. ISSN 2594-6412 (eletrônico) Indexada REDIB http://www.redib.org/