POTENCIALIDADES FORMATIVAS NA EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA

Aline Tamires Kroetz Ayres Castro, Maria Elly Herz Genro

Resumo


Este estudo evidencia o percurso da extensão universitária e os diferentes significados que assumiu ao longo do tempo e busca entender como os acadêmicos compreendem a extensão universitária, bem como o que ela representa para sua formação. Para isso teve aporte teórico em Boaventura de Sousa Santos, Antônio Joaquim Severino, José Dias Sobrinho, entre outros. A pesquisa de abordagem qualitativa foi realizada com dez estudantes extensionistas de duas universidades públicas brasileiras, por meio de entrevistas semiestruturadas e análise de documentos que tratam sobre a extensão. Estes foram trabalhados a partir da análise textual discursiva, que implica na identificação de unidades de sentido, seguida do processo de categorização que reaproxima as unidades buscando compor sentidos e da posterior produção dos metatextos e dos textos interpretativos. Os resultados elucidam possíveis contribuições da extensão universitária para o processo formativo dos estudantes, tais como a possibilidade de partilhar experiências com a sociedade, oferecendo a ela um retorno das aprendizagens proporcionadas pela universidade entendida como bem público, o aprimoramento da dimensão humana e a ampliação da formação acadêmica para além dos aspectos técnicos e profissionais, na medida em que identifica-se a possibilidade de relacionar teoria e prática a partir de uma práxis comprometida com a transformação social. Foi possível concluir o valor da extensão universitária enquanto atividade formativa, que tenciona modelos e práticas voltados à mera profissionalização e aquisição de habilidades técnicas, uma vez que as possibilidades de transformação social embasadas em alternativas contra-hegemônicas, precisam valorizar uma formação ampliada, ética e politicamente comprometida.

Palavras-chave


Extensão Universitária. Formação no Ensino Superior. Aproximação entre Universidade e Sociedade.

Texto completo:

PDF

Referências


ALBUQUERQUE, P. P. Incubadoras tecnologicas de cooperativas populares como ação extensionista e intervenção social: limites e possibilidades (UFRGS). In: CORTEGOSO, A. L.; SARACHU, G.; PEREYRA, K. (Org.). Universidad y Trabajo Asociado: Prácticas Académicas Integrales en el Cono Sur. Colección Temática PROCOAS. Montevideo, Uruguai: Extensión Libros, 2012, p. 89-106.

BRASIL. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. Plano Nacional de Educação 2014-2024. Brasília: INEP, 2014.

______. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Brasília: MEC, 1996. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/arquivos/pdf/ldb.pdf. Acesso em: 18 fev. 2012.

CHAUÍ, M. A universidade pública sob nova perspectiva. In: Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, n. 24, p.5-15, set/out/nov/dez, 2003. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rbedu/n24/n24a02.pdf. Acesso em: 12 abr. 2013.

DIAS SOBRINHO, J. D. Educação superior, globalização e democratização. Qual universidade? In: Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, n. 28, p.164-173, jan/abr, 2005.

FORPROEX. Fórum de Pró-Reitores de Extensão das Universidades Públicas Brasileiras. Política Nacional de Extensão Universitária. Manaus/AM, 2012. Disponível em: http://www.renex.org.br/documentos/2012-07-13-Politica-Nacional-de-Extensao.pdf. Acesso em: 7 set. 2015.

______. Fórum de Pró-Reitores de Extensão das Universidades Públicas Brasileiras. Plano Nacional de Extensão Universitária. Coleção Extensão Universitária v.1. Ilhéus: Editus, 2001. Disponível em: http://www.renex.org.br/index.php?option=com_content&view=article&id=45&Itemid=20. Acesso em 14 jan. 2014.

______. I Encontro de Pró-Reitores de Extensão das Universidades Públicas Brasileiras. Conceito de extensão, institucionalização e financiamento. Brasília, 1987. Disponível em: http://www.renex.org.br/index.php?option=com_content&view=article&id=45&Itemid=20. Acesso em 14 jan. 2014.

FREIRE, P. A Importância do Ato de Ler: em três artigos que se completam. 47.ed. São Paulo: Cortez, 2006.

______. Pedagogia do Oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2005.

______. Pedagogia da Autonomia: saberes necessários à prática educativa. 12.ed. São Paulo: Paz e Terra, 1999.

GOERGEN, P. A Instituição Universidade e sua Responsabilidade Social: anotações críticas. In: Quaestio Revista de Estudos em Educação. Sorocaba/SP, ano 4, n. 1, maio 2002, p. 9-25.

LEITE, D. B. et al. A formação do docente na universidade pós-moderna. In: Heuresis Revista Electronica de Investigación, 1998, Cádiz/Espanha. Anais. Espanha, v. 1, n. 2, p. 01-15, abr., 1998. Disponível em: http://www2.uca.es/HEURESIS/heuresis98/v1n2-1.html#ancla6. Acesso em: 8 jan. 2014.

LUCE, M. B. Diversidade e diferenciação do público e do privado na Educação Superior do Brasil. In: Congresso da Associação de Estudos Latino Americanos – LASA, 2001, Washington. Anais. Washington: LASA, 6-8, set. 2001. Disponível em: http://www.ufrgs.br/faced/mbluce/luceforlasa2001.pdf. Acesso em: 26 nov. 2013.

MORAES, R. Uma Tempestade de Luz: a compreensão possibilitada pela análise textual discursiva. In: Ciência & Educação. Bauru, v. 9, n. 2, p. 191-211, 2003. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ciedu/v9n2/04.pdf. Acesso em: 19 mar. 2014.

NOGUEIRA, M. das D. P. Extensão Universitária no Brasil: uma revisão conceitual. In: FARIA, D. S. de (Org.). A Construção Conceitual da Extensão Universitária na América Latina. Brassília: UNB, 2001, p. 57-72.

PEREIRA, C. A.; CARVALHO, N. L. N. de; NOGUEIRA, F. C. A Evolução dos Projetos de Extensão na Universidade Federal de Ouro Preto. In: 6º Congresso Brasileiro de Extensão Universitária. Belém, 2014. Disponível em: http://www.demin.ufop.br/pesquisaeextensao/3.html. Acesso em: 20 ago. 2015.

RIBEIRO, D. A Universidade necessária. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1978.

SANTOS, B. S. A Universidade no Século XXI: para uma reforma democrática e emancipatória da universidade. In: SANTOS, B. S.; FILHO, N. de A. A Universidade no Século XXI: para uma universidade nova. Coimbra: Almedina, 2008, p.13-106.

SERRANO, R. M. S. M. Conceitos de extensão universitária: um diálogo com Paulo Freire. In: Pró-reitoria de extensão e assuntos comunitários – PRAC, João Pessoa, fev. 2006. Disponível em: www.prac.ufpb.br/copac/extelar/.../conceitos_de_extensao_universitaria.pdf>. Acesso em: 16 jan. 2014.

SEVERINO, A. J. Metodologia do Trabalho Científico. 23. ed. São Paulo: Cortez, 2007.

______. A busca do sentido da formação humana: tarefa da Filosofia da Educação. In: Educação e Pesquisa. São Paulo, v. 32, n. 3, p. 619-634, set./dez., 2006a. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-97022006000300013. Acesso em: 12 ago. 2014.

______. Fundamentos ético-políticos da educação no Brasil de hoje. In: LIMA, J. C. F.; NEVES, L. M. W. (Orgs.). Fundamentos da educação escolar do Brasil contemporâneo. Rio de Janeiro: Editora FIOCRUZ, 2006b, p. 289-320.

VÁZQUEZ, A. S. Filosofia da práxis. 2. ed. Trad. Luiz F. Cardoso. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1977.






Direitos autorais 2018 Cidadania em Ação: Revista de Extensão e Cultura

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Cidadania em Ação: Revista de Extensão e Cultura, Florianópolis, Brasil. ISSN 2594-6412 (eletrônico)