MODERNIDADE E EVOCAÇÃO DO PRESENTE: BAUDELAIRE E A PRÁTICA DO URBAN SKETCHING

Paulo Henrique Tôrres Valgas

Resumo


Esse ensaio trata da modernidade e seu pressuposto de valorização do presente. Primeiramente, relaciona-se o pensamento do crítico belga Paul de Man com o do poeta francês Charles Baudelaire, no livro O pintor da vida moderna e em seus ensaios de crítica, buscando analogias e contraposições. Em seguida, o movimento Urban Sketchers é tratado como uma sobrevivência do desejo observado em Baudelaire, buscando poesia e encanto pelos fenômenos da vida e das cidades do presente. 


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 Paulo Henrique Tôrres Valgas

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

---- Revista Ciclos ---- Programa de Pós-Graduação em Artes Visuais - PPGAV ---- Universidade do Estado de Santa Catarina - UDESC ---

 Av. Madre Benvenuta, 1907, Bairro Itacorubi ---Florianópolis, SC --- CEP 88.035-001